Resenha – Por Um Toque De Ouro

Autora: Carolina Munhóz
Editora: Rocco
Páginas: 272
Adquira: SaraivaSubmarinoAmericanas
Sinopse:
Dinheiro, poder e sucesso. Quem não deseja tudo isso? Mas e se alguns milionários na verdade têm muito mais sorte do que outros? E se toda essa sorte se revelasse como um poder especial?Emily O'Connel nunca imaginou que pudesse ter um toque de ouro. Herdeira de uma das marcas mais luxuosas de sapatos e bolsas haute couture do mundo, sorte e glamour praticamente correm no sangue de sua família.Um dia, porém, Emily percebeu que sua sorte talvez seja muito maior do que imagina. Na manhã seguinte ao feriado de St. Patrick, após ganhar milhões em uma noite de jogatina, a garota se vê vítima de uma tentativa de estrupo. O que a tira das estatísticas policiais, no entanto é a forma como ela consegue se livrar quase magicamente do perigo. Tudo se complica quando Emily conhece o misterioso e encantador Aaron Locky. Afinal, que segredos ele esconde por trás de seus cabelos compridos e de sua risada irônica? De algum modo, Aaron exerce sobre ela uma atração irresistível, como se uma aura de poder os cercasse e os unisse. Ele tem muito a ensinar a Emily, mas, entre todas as coisas, ela nunca imaginaria que poderia estar envolvida com uma tradição secular.

Faz um bom tempo que comprei Por um toque de ouro, só que tinha outros livros para ler antes e eu comprava outros que acabava lendo antes e ele foi ficando, mas sinceramente, agora que o li, me arrependo de não ter lido antes.
Eu tinha uma preciosidade em minha estante e não fazia ideia. Sabe quando você pega um livro, e na primeira página você já percebe que ele é magnífico e que você não vai parar de ler até terminar? Bom, comigo foi bem assim. Eu precisava fazer as minhas coisas, mas não queria para de ler. Então, de antemão, já digo, leiam! É perfeito!

A história começa com a nossa protagonista Emily O'Connel em uma mesa de pôquer, ganhando milhões. No início, já sabemos que Emily é bilionária, linda e popular. Tudo realmente começa quando, após ganhar no pôquer, beber e dançar, no banheiro da festa de comemoração ao feriado St. Patrick, Emily se vê vítima de uma tentativa de estrupo. O que a salva de ser mais uma nas estatísticas, é que magicamente e misteriosamente ela consegue se livrar do perigo.
Deste ponto, Emily começa a se preocupar e não entender toda essa sorte que existe em si. 
Mesmo com isso em sua cabeça, Emily tem Darren, que sinceramente, todas as pessoas deveria ter um amigo como ele. Darren é do mundo de Emily, rico, bonito e gosta de meninos. Com todos os acontecimentos da história, ele é o porto seguro de Emily, até porque, independente do que aconteça, ele está lá por ela.
Tentando deixar de lado o acontecimento na festa, em um casamento, Emily o conhece. Ela conhece o misterioso e encantador Aaron Locky. Desde o primeiro momento, Emily sente por ele uma atração irresistível, porém Aaron não é misterioso apenas para encantar garotas, ele realmente parece esconder segredos, entretanto, isso não impede Emily de se entregar a essa paixão que sente por ele.
Aaron é a principal peça para Emily descobrir sobre coisas de sua família, sobre seu passado e principalmente sobre seu “pote de ouro”.
Sobre os personagens, o que posso dizer é que amei a Emily. Eu tenho um certo preconceito com protagonista, porque eles são sempre colocados como pessoas perfeitas, e não gosto disso. Porém, Emily O'Connel é completamente diferente, ela não é ruim, mas não é perfeita e faz coisas que qualquer adolescente que tivesse o dinheiro, a beleza e a popularidade dela, faria. Digamos que ela é um pouco Blair Waldorf. Ela é mimada em alguns momentos, mas em outros mostra que entende o que está acontecendo e até dá soluções para resolver.
Darren, o melhor amigo de Emily, é como já falei, o meu personagem preferido. Ele é divertido, mas ao mesmo tempo sabe a hora de ser sério e de dar seus conselhos. Não tem como não rir dele e muito menos não amalá-lo. E sinceramente, ele sai com cada cara lindo, que só fico com inveja. Mas, sem dúvida, ele é um personagem muito importante para a finalidade dessa história, porque sem ele, Emily não seria nada, é ele que sempre sabe quando ela está ou não bem. Ele sabe animá-la, tenta entendê-la, e o mais importante, os dois se amam, e se ele não fosse gay, com certeza formariam o melhor casal de todo o livro.
Já o Aaron, eu não gostei dele desde início. Eu não o odeio, mas não gosto do personagem. Por mais que seja por ela que Emily se apaixone, não acho ele o melhor personagem. Aquele jeito desinteressado dele, me entendia e acho ele arrogante. Quando Emily o vê, já o descreve como um cara lindo, e aquela perfeição que ela vê nele, fez com que eu gostasse menos ainda dele, como já disse, não gosto de personagens que são descritos como perfeitos. Mas, no final, eu entendi o porque do personagem ser daquela forma (não vou contar, vocês precisam ler).
O livro tem muitos personagens, e sinceramente, gostei de todos, cada um da sua forma. A história, é também um guia turístico de Dublin, com detalhes sobre lugares, que sinceramente, me imaginei lá. Para quem já visitou Dublin, deve ser ainda melhor ler, e se lembrar dos lugares.
Outro ponto fantástico do livro, é que existe detalhes sobre pessoas realmente famosas. Desde a família real inglesa, que são mais conhecidos até outros não tão conhecidos para adolescentes. É legal a forma como as histórias deles se encaixam com a a história do livro.

Por um toque de ouro, já foi lançado a pouco mais de um ano, e o segundo livro, lembrando que será uma trilogia — Trilogia da Série Trindade Leprechaun —, tem lançamento previsto para o dia oito do mês que vem.
Se ainda não leu Por um toque de ouro, vale muito a pena comprar e se embarcar nessa história magnífica.

0 comentários:

Deixe seu comentário