Resenha – A Fada

Livro: A Fada
Autora: Carolina Munhóz
Editora: Leya
Páginas: 256
Sinopse:
Jovens costumam ganhar presentes caros, viagens ou festas surpresas em aniversários de 18 anos. Melanie Aine ganhou o falecimento do pai, o abandono da mãe, uma estranha tatuagem e a descoberta de que não era humana.
Como se tudo isso não bastasse, Melanie descobriu que faz parte de um mundo onde seres mágicos existem e que sua vida comum na enevoada Londres estava com os dias contados.
Agora ela terá de remexer no passado de sua família para descobrir que tem uma missão que lhe foi designada, encontrando um legado com segredos inimagináveis.
A única parte recompensadora dessa história parece vir do encontro com um bonito homem misterioso, oriundo de uma família de bruxos poderosos. No entanto, a relação dos dois caminha em uma linha tênue entre afeto e fúria.
Um afeto que pode levá-la à transcendência e à vida eterna.
Uma fúria que pode conduzi-la à morte e ao esquecimento.
A Fada, conta a história de Melanie Aine das Fadas, herdeira do trono de Fairyland. Melanie tinha uma vida normal, mas no dia de seu aniversário, por motivos misteriosos, seu pai morre e sua mãe é obrigada a se tornar rainha, até que Mel – a herdeira –, possa assumir seu trono. Só que nem ela e sem ninguém sabe o que ela precisa fazer para isso acontecer. Sua missão é um mistério, e até que consiga ser descoberto, ela vive dias confusos de luto.

Procurando respostas, mesmo sem entender nada, Melanie é levada para esse mundo sobrenatural de uma hora para outra e isso a confundi. Então, os pensamentos e sentimentos da personagens são confusos, sem saber realmente o que está sentindo. Uma hora ela entende a mãe, no outro não. Entretanto, isso não atrapalha a narrativa da história, pois entendemos que as situações de tudo o que aconteceu são fortes demais para apenas uma menina.
Neste mundo onde a fantasia se torna realidade, onde fadas e bruxas existiam, Mel conhece Arthur Wales, misterioso e de uma família de bruxos.
A relação de Melanie e Arthur é em cima da paixão e a fúria. No mesmo momento em que está tudo bem, tudo explode e uma briga entre os dois, onde realmente podem se machucar, acontece.
Arthur pode trazer respostas à Melanie, mas também pode trazer perguntas. E a história se baseia entre descobrir sua missão e em sua relação confusa com o bruxo misterioso.
A narrativa da história me encantou, pois é contada com uma simplicidade ótima e fácil, com palavras comuns e os sentimentos expostos. Não acho que tenha aquele mistério sobre o que a protagonista esteja sentindo, acho que ela sempre entende o que sente, mas como qualquer pessoa que é jogada situações diferentes, fica confusa. Em um momento ela se entrega, em outro se fecha.
Carolina Munhóz trouxe Melanie para a história com os verdadeiros conflitos de uma pessoa que acabou de completar dezoito anos e acaba tendo o peso de estar se tornando um adulto. Melanie tem o peso de descobrir o que é, em seu aniversário e ter em cima de si, o fato de ter que descobrir qual a sua missão e qual é o significado de tudo o que acontece em sua vida. Melanie vê sua vida mudar e precisa de resposta.
Arthur, que é o interesse romântico de Mel, é trazido de forma súbita e mesmo que no início tenha toda aquela mágica que Melanie vê em torno dele, por o achar bonito e interessante, acho que ele acaba estragando um pouco a história. Os ataques relâmpagos dele, é frustante, como uma luta entre eles após uma noite regada a champanhe. O relacionamento deles é intenso e se desenvolve rapidamente naquela paixão que faz ter a impressão de o mundo ter paralisado ao seu redor só por estar na presença um do outro.
O que menos me agradou na história é o relacionamento de Melanie com Arthur, já que se poderia ter trazido um personagem muito melhor para história, sendo que Arthur consegue passar de romântico à furioso em menos de segundos e não é disso que Mel precisa no momento em que está vivendo.
A leitura do livro é rápida, e quando vemos, já estamos no final. Mesmo que alguns pontos da história possa desagradar, acho o final do livro magnífico, pois tudo se resolve sem fazer barulho e te deixa claro o que a autora quis trazer com A Fada. Não tem como não sorrir com o final do livro,
Fora a história de A Fada, o livro traz de presente, após terminar a história, uma outra pequena história – Outra vez na escuridão –, baseado no romance O inverno das fadas, que também é da Carolina Munhoz. Acho que essa história merecia ser contada em mais páginas, pois é tão perfeita, que te faz querer que não acabe, mesmo estando ansiosa para o final.
A Fada foi o segundo livro que li da escritora Carolina Munhóz, e mesmo que ainda não tenha lido todos, a autora, até o momento, nunca me decepcionou, pois em nenhum momento tive vontade de parar de ler o livro, muito pelo contrário.
Carolina Munhóz é brasileira e sem dúvida merece ser aplaudida de pé por mostrar ao mundo que o Brasil tem escritores ótimos tanto quanto os outros países.

– Você é uma fada? – Perguntou mais descontraído.
– Por que não uma bruxa? – indaguei.
– Bruxas são feias. E você é linda.
Ouch. Mais uma ele me pegava.
– Nem todas as bruxas são feias – insisti.
– Mas todas as fadas são lindas.

Adquira

0 comentários:

Deixe seu comentário