Resenha – Se Eu Ficar

Livro: Se eu ficar
Autora: Gayle Forman
Tradutora: Amanda Moura
Editora: Novo conceito
Páginas: 224
Sinopse:
A última coisa de que Mia se lembra é a música.
Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado os destroços do carro de seus pais – mas não sente nada.
Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.
Se ela ficar...
Se eu ficar é um livro que também já foi adaptado para filme, então, talvez você já tenha ouvido falar sobre o mesmo.
A história é sobre Mia, uma adolescente que logo no início do livro, vemos que é vítima de um acidente onde sua família morre. Nesse acidente, Mia vê os paramédicos resgatando sua família, e ela percebe que é a única sobrevivente, porém, ela logo percebe que ninguém a vê e ninguém a ouve. Entendemos o que está acontecendo quando Mia vê os paramédicos a colocarem na maca. Ela está se vendo deitada, inconsciente. Então, entendemos que o espirito de Mia sai de seu corpo e observa tudo o que acontece ao seu redor.

No hospital ela fica vagando, vendo seus parentes e seus amigos chegarem desesperados, enquanto seu corpo está na cama, inerte, em coma.
A partir desse ponto, a história se passa entre Mia relembrando o passado, tentando entender o presente e imaginando como será um futuro sem sua família.
Em suas lembranças, vemos que Mia era uma adolescente nerd e que se sentia um pouco deslocada entre sua família já que ela gostava de música clássica e eles eram punk. Porém, ela sabia do amor incondicional que sua família tinha por ela e ela por eles. Seu pai largou sua banda de rock para assumir a responsabilidade de ser pai e se tornou professor. Sua mãe de uma jovem rebelde que curtia totalmente a vida, se tornou uma “mãe ursa”, segundo a própria Mia. A família se completa com Teddy, irmão mais novo de Mia. Teddy só dormia ouvindo Mia tocar quando era bebê e era ela que lia para ele dormir.
Como toda adolescente tem sua melhor amiga, Kim e como todas as amigas, elas têm suas próprias coisas, suas ideias e tudo mais. Kim, percebemos que é uma verdadeira amiga, que entra em desespero ao pensar na possibilidade de perder amiga e que pode até ajudar em um plano para fazer uma pessoa importante para Mia, entrar no hospital.
Sendo um livro de drama e de romance, o romance entra na história por causa de Adam, que faz Mia sentir borboletas no estômago. Como sua família, Adam também é completamente diferente de Mia e adora rock. Entretanto, entre eles, as diferenças se encaixam e formam um casal apaixonado.
Não é incrível como a vida é uma coisa e então, de repente, torna-se outra? Sabe quando você tem momentos incríveis na sua vida em que tudo está dando certo e você até sente um medo de, de repente, tudo mudar? Muitas vezes, o vento sopra contra a maré e a nossa vida, que parecia ser um sonho, vira de pernas para o ar e a gente pensa que não vai suportar. A verdade é que os momentos bons jamais existiriam e seriam bons se não fossem os ruins, não é verdade? Acredito que precisamos passar por dificuldades e momentos dolorosos para darmos valor a cada momento que nos faz feliz e faz bater o nosso coração mais forte. Com a correria do dia-a-dia esquecemos de aproveitar cada segundo que temos porque a verdade é que nunca sabemos o dia da amanhã, o minutos seguinte, nosso próximo passo.
No hospital, Mia, ouve a enfermeira Ramires lhe dizer que não são os médicos que decidem se ela vai ficar ou não, isso só pode ser decidido pela própria Mia. Ela mesma tinha que escolhe se iria ficar e tentar continuar com a sua vida ou se não, se iria deixar seu corpo falecer e ir para onde quer que seus pais estivessem.
Sua família toda tinha morrido naquele acidente, ela era a única sobrevivente, se escolhesse ficar, não teria mais seu pai, não teria mais sua mãe e não teria mais seu irmão. Era apenas ela. A vítima de um acidente causado pelo destino. Entretanto, tinha Adam, que mesmo que eles não estivessem tão bem nos últimos dias, ainda era o garoto por quem era perdidamente apaixonada. Tinha seus avós, que a amavam e fariam de tudo para cuidar dela. Tinha seus amigos. Só não tinha seus pais e seu irmão. A escolha era dela. Ficar ou não.

Se eu ficar é um livro que nos leva a incontáveis reflexões, entre elas, a importância da família e dos amigos. É aprender a valorizar o momento, pois não sabemos quando tudo pode mudar e o que pode acontecer no próximo minuto. É emocionante, é profundo e é lindo. É impossível não ter algo que nos toque, que nos faça parar para pensar sobre. Se eu ficar é sem dúvida alguma, magnífico, pois a magnitude que a autora consegue expressar até a parte mais triste é arrepiante. É maravilhoso.
Se você ainda não embarcou nessa história, não perca tempo, pois você vai viajar em suas próprias emoções com essa história.
Percebi agora que morrer é fácil. Viver é difícil.
Adquira

0 comentários:

Deixe seu comentário