Livros Que Me Inspiraram A Ser Alguém Melhor



Livros sempre tem algo a nos oferecer, a acrescentar e todos os leitores sabem disso. Porém, sempre tem aquele livro que se destaca, que nos marcou de alguma forma, que nos ajudou, que nos inspirou. Pensando nisso, fiz uma pequena lista com os livros que de alguma forma me marcou, me ajudou e principalmente, me inspirou.
  • O Pequeno Príncipe - Antoine De Saint-Exupéry 

Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. Com essa história mágica, sensível, comovente e às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Não há adulto que não se comova ao se lembrar de quando o leu criança. Trata-se da maior obra existencialista do século XX segundo Martin Heidegger. Livro mais traduzido da história, depois do Alcorão e da Bíblia, ele agora chega ao Brasil em nova edição, completa, com a tradução de Frei Betto e enriquecida com um caderno ilustrado sobre a obra e a curta e trágica vida do autor.

Quando digo que O Pequeno Príncipe me inspirou e me inspira a ser uma pessoa melhor, não estou brincando.
O momento em que autor dedica o livro para Uma Pessoa Grande que já foi uma criança, é a grande inspiração da história. Todos nós já fomos crianças, eu era uma criança ontem, hoje sou o que chamam de adolescente e amanhã serei uma adulta. A inspiração do livro para mim está nisso, está em você entender a maravilha de ser criança. No mundo em que vivemos, estamos precisando de uma Pessoa Grande com a alma de uma criança, que possa enxergar além do que lhe é mostrado, que é capaz de fazer as coisas importantes mais com o coração e menos com a cabeça, que é capaz de ver o lado bom das pessoas e do mundo, que é capaz de ainda ter a inocência, a alegria, a simplicidade e o brilho no olhar de uma criança.
Depois de ler O Pequeno Príncipe passei a entender um pouco mais o valor das pequenas coisas. A criança tem a simplicidade de amar algo sem tão importância para uma Pessoa Grande e esse é o brilho da vida. Hoje entendo a importância de ser uma Pessoa Grande com a alma de uma criança e são dessas pessoas que o mundo precisa.

  • Inclassificável – Memórias de Estrada - Mel Fronckowiak

Inclassificável porque o território entre a crônica e a prosa poética é repleto de terrenos baldios e árvores frondosas.
Inclassificável porque o cheiro, a cor, o jeito e o sabor dessas pequenas narrativas fazem mais sentido do que nomes, títulos ou classificações.
Inclassificável porque a linha do horizonte acolhe tantos nascimentos e revoados que poderia muito bem ser chamada de ventre.
Inclassificável porque o rímel borrado faz transfigurações para além da rima. E certos ocasos podem ser bem mais férteis do que meros acasos.
Inclassificável porque certas coisas são melhores armazenadas em ventos do que em cofres. E algumas outras espontaneamente se negam ao destino das prateleiras.
Inclassificável porque os nomes de cores de esmalte jamais darão conta de todos os arcos de uma aquarela.
Inclassificável porque a íris dos olhos dos pássaros enxerga além de aviões, caminhões e barcos.
Inclassificável porque não tem ordem nem tem caos. Tem curvas acentuadas, tem mel e tem gosto de sal.
Inclassificável - Memórias da Estrada me inspirou a seguir em frente. Estou em uma fase da minha vida, onde esta obra me ajuda muito. Quero seguir em frente, pegar a estrada e ver o que o mundo pode me proporcionar e o que posso aprender com ele.
O olhar de Mel Fronckowiak para com a vida é fascinante e revelador para mim. Todas as vezes que reli esse livro, sempre cheguei em um trecho que me fez parar e relacionar comigo, com algo que faço ou que quero fazer. Em pequenos momentos, quando ela vê a dureza da vida da janela do ônibus me faz entender que posso seguir, mas que preciso ser forte, tanto por mim quanto pelos outros.
Posso dizer que sou alguém melhor ou que tento ser depois de ler esse livro porque reflito mais. Não acho que Inclassificável - Memórias da Estrada seja um livro pretensioso e isso é o melhor.
Mel Fronckowiak para mim já é uma inspiração e o livro só fez com que isso aumentasse ainda mais. Quero me jogar na estrada pronta para o que tiver que acontecer, mas quero também entender a necessidade do momento, de viver pequenas coisas, porque como ela diz, poucas coisas tem realmente um final.

  • Eu Estive Aqui - Gayle Forman

Desde pequenas, Cody e Meg são inseparáveis. Elas sempre planejam deixar a cidadezinha onde moram, em Washington, e estudar juntas em Seattle. Porém, tudo muda quando Meg consegue uma bolsa integral de uma faculdade prestigiada e vai embora sozinha. Sem a mesma sorte, Cody fica presa na cidade, fazendo vacinas para ajudar nas despesas domésticas.
O destino das duas parece selado, até que Cody recebe a pior notícia de sua vida: Meg se matou. Com uma meticulosidade macabra, sua melhor amiga encomendou um veneno com um alto nível de eficácia e escreveu e-mails a familiares e amigos, programando o envio para depois de sua morte, de forma que ninguém interferisse na decisão fatal.
Por mais que se esforce, Cody não consegue entender por que Meg se suicidou. Quando começa a investigar o que há por trás da morte, ela logo depara com o culpado perfeito: Ben McCallister, o músico metido a galã que vai para a cama com o maior número possível de garotas. O cara que era amigo de Meg e que a abandonou depois de transar com ela.
Contudo, com tempo, Cody percebe que a questão é muito mais complexa do que uma decepção amorosa. Suspeitando de uma frase enigmática do bilhete de suicídio da amiga, ela mergulha num universo virtual obscuro e sedutor e descobre um lado sombrio da própria mente, que a assusta, mas, ao mesmo tempo, a ajuda a lidar com a morte da amiga.
Quanto mais avança na investigação, mas Cody percebe que, para seguir com sua vida, precisa perdoar Meg e, o mais importante, perdoar a si mesma.
Trazendo como tema assuntos como suicídio e depressão, Eu Estive Aqui é um livro que me fez pensar, pesquisar e procurar saber mais sobre esses casos que acontecem constantemente em nossa sociedade e é tão pouco debatido e discutido. Ler esse livro me fez ver a depressão e o suicídio com outros olhos e compreender melhor. 
Quando digo que me ajudou a ser alguém melhor, é verdade, porque depressão e tentativa de suicídio é uma questão pessoal minha, já que pessoas da minha família sofrem dessa doença. Eu Estive Aqui, com sua protagonista tão forte, me ajudou a agir melhor e principalmente, a pensar melhor sobre essa doença, que muitos ainda não consideram uma doença e sim um capricho, uma frescura. 
Hoje posso dizer que tenho outra visão, outros olhos para questões como essas e entendo bem melhor que não é só na minha família que algo assim pode acontecer e como me portar diante de situações tão fortes. Posso dizer que além de me considerar uma pessoa melhor para mim mesmo, sou uma pessoa melhor para a pessoa que infelizmente sofre de depressão.
  • Quem é Você, Alasca? - John Green
Miles Halter tem fascinação pelas últimas palavras que grandes pessoas disseram antes de morrer. Vive de devorar biografias. Mas está cansado de ter só isso para livrá-lo do tédio que é a vida com os pais, na Flórida. Em busca do que o poeta François Rabelais chamou em suas últimas palavras de o “Grande Talvez”, Miles sai de casa para ingressar na escola Culver Creek, um internato no Alabama. Muitas coisas o esperam lá, entre elas, Alasca Young. Inteligente, engraçada, louca e incrivelmente sexy, Alasca vai arrastar Miles para seu labirinto e catapultá-lo sem misericórdia na direção do Grande Talvez.
Eu sei que muitas pessoas não irão concordar comigo, mas, para mim, Quem é Você, Alasca?, me inspira a ser alguém melhor, nem tanto a isso, mas me inspira a como o protagonista, Miles, ir atrás do Grande Talvez.
Me considero um pessoa melhor para mim mesma, mais disposta a enfrentar o medo atras do incerto, que como já diz pode dar certo ou não. É ir atrás de um talvez, mas também ir atrás da felicidade e quem sabe se der errado, pelo menos terei algo para contar e talvez até rir no futuro.

  • Extraordinário - R. J. Palacio

August (Auggie) Pullman nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.
Por último, mas não menos importante, muito pelo contrário, Extraordinário é um livro que ensina qualquer pessoa a ser alguém melhor. Um livro que as palavras tolerância e gentileza podem defini-lo, ensina qualquer um ou pelo traz a mensagem para que nos tornemos mais tolerantes e mais gentis.
Extraordinário é um livro que me fez refletir, que me fez parar para pensar no que faço, no que penso e em meus atos. Me fez me perguntar se sou gentil, se trato mal as outras pessoas, se pratico bullying, mesmo que para mim pareça só uma brincadeira.
Precisamos de um mundo com pessoas mais tolerantes, mais gentis e mais capaz de aceitar o diferente e essa mudança começa comigo, começa com a forma que vou educar meu filho no futuro, começa com a forma que trato as pessoas na rua, independente se as conheço ou não.
Depois de ler Extraordinário, não sei se consigo sempre, mas pelo menos tento ser mais gentil que o necessário.

Gostaram da lista? Vocês tem algum livros que os inspiram?

8 comentários:

  1. De todos, O Pequeno Príncipe mexe com meu coração. Foi o primeiro livro que eu li quando era criança, e cada vez que eu leio de novo tem mais significados :D

    Lindo blog! Seguindo de volta com mto gosto <3

    Bjinhos,
    ❥ AmigaDelicada.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico tão feliz por uma blogueira com um tão bom, tão perfeito ter gostado do meu blog!

      O Pequeno Príncipe é maravilhoso!!!

      Excluir
  2. Oi linda, vim retribuir sua visita e amei teu blog! Muito lindo, feito com o coração e já estou te seguindo de volta para acompanhar tudinho aqui viu...
    Olha só, desses eu li somente o Extraordinário e esse livro vai ser pra toda a minha vida! Tirei muitas lições dele. Os outros ainda estão na lista de leitura e espero que eu possa ler em 2017.
    Flor, muito sucesso no teu blog, sempre estarei por aqui, amei tua escrita! Beijos!

    www.lendo1bomlivro.com.br
    @lendo1bomlivro

    ResponderExcluir
  3. Olá, O Pequeno Príncipe e Extraordinário são livros lindos, quando nós lemos começamos a refletir sobre a vida, eles nos ensinam muito. Amei o blog e já estou seguindo ;) Feliz 2017.

    www.mundofantasticodoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Eu não li nenhum, mas já escutei falar de alguns, quero ver o filme de o Extraordinário, tem tudo pra ser lindo
    www.byanak.com.br

    ResponderExcluir
  5. Resenha ótima dicas maravilhosas amei, obrigado pela visita.
    Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderExcluir
  6. Adorei a seleção de livros! Acho que de todos, Extraordinário é o que mais nos faz pensar na vida e desejar ser alguém melhor, né? Os melhores livros são assim. Que nos inspiram, que nos fazem crescer.


    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Adorei suas escolhas, e me incluo na de Extraordinário e Quem é Você, Alasca. São dois livros que eu amo do fundo do coração, alguns dos meus favoritos.
    Beijos,
    Carol | Fantasma Literário
    http://ofantasmaliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir