Resenha | Para Todos Os Garotos Que Já Amei - Jenny Han

Livro: Para Todos Os Garotos Que Já Amei
Autora: Jenny Han
Tradutora: Regiane Winarski
Editora: Intrínseca
Páginas: 320

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa de chapéu que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de namorados, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou – cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não confessaria a ninguém, pois revelam seus sentimentos mais profundos. Até que, um dia, essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e, de uma hora para outra, a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

Para Todos Os Garotos Que Já Amei foi o primeiro livro que li de Jenny Han e sinceramente, não sabia bem o que esperar. Pelo título do livro, pensei que seria uma história que a base seria o romance e por mais que para algumas pessoas possa parecer isso, para mim não. Para mim, a base de toda a história é o crescimento de Lara Jean – a protagonista –, e não somente dela, mas de todos os personagens.

Lara Jean é a irmã do meio, sendo que tem mais duas irmãs. Sua mãe morreu quando ela ainda era criança, deixando-as somente com o pai. Elas tiveram que amadurecer mais cedo, mas principalmente a mais velha, Margot, que acabou assumindo a responsabilidade de ser a figura representativa e responsável da casa. Porém, Margot vai embora para a Escócia estudar e toda a responsabilidade é transferida para Lara. E com isso ela começa a se questionar e principalmente sentir medo, como irá levar Kitty para os lugares, sendo que tem medo de dirigir? Como irá ser o exemplo para a irmã mais nova como Margot foi para ela? Como será tão boa quanto Margot? 
Para seu desespero ainda maior, suas cartas de amor de despedidas são enviadas misteriosamente a todos os garotos que já amou. E agora ela tem que lidar com garotos surpresos, magoados e principalmente a questionando. Para tentar esconder seus sentimentos por um garoto do qual não poderia gostar, ela arruma um namorado de mentira, Peter, que também foi um dos garotos para o qual escreveu uma carta. 



Jenny Han aborda com uma escrita leve, simples e direta os dramas da Lara Jean, os dilemas juvenis que todos passam. Acho que o melhor é isso, estou na mesma fase de Lara e é bom ler sobre coisas que não exatamente igual, mas acontece comigo. Não é igual, porque não tenho um Peter para mim (seria maravilhoso se tivesse).
O processo de mudança que Lara Jean tem que passar é instigante, emocionante, diverto e até reflexivo. A história, desde as cartas que são parte dela e são também uma forma dela se despedir de uma pessoa que nem nunca teve uma relação de verdade e a dependência que ela tem da irmã mais velha, mostra que o que Lara mais tem é medo. Medo de assumir responsabilidade. Medo de mudanças. Medo de amar e ser correspondida.

“Se o amor é como uma possessão, talvez minhas cartas sejam meu exorcismo. As cartas me libertam. Ou pelo menos deveriam.”  

O romance do livro é maravilhoso porque é simples e acontece naturalmente, mesmo que não pareça. Quem acompanha minhas resenhas sabe que sou crítica com protagonistas, porque as vezes o autor acaba idealizando um personagem perfeito e isso é irritante, então muitas vezes acabo odiando o romance de uma história por causa da falta da boa construção de um personagem. Entretanto, isso não aconteceu com Para Todos Os Garotos Que Já Amei. Realmente me apaixonei pelos personagens de Jenny Han, que são bem construídos e bem desenvolvidos, mesmo que as personalidades deles sejam bem distintas umas das outras.



Outro ponto importante é os assuntos básicos que a história abrange, como os esteriótipos que a sociedade cria e nós acabamos julgando os outros sem realmente conhecê-los, sendo que podemos nos surpreender. Nunca conheceremos ninguém de verdade se só apontamos o dedo e julgamos, sem dar a chance de conhecer o outro de verdade. A relação de Lara com Peter, naquela amizade que cresce junto com eles, onde um mostra claramente que julgava o outro sem realmente conhecer é algo que gostei. Um encontrando no outro um confidente – uma amizade verdadeira –, e é essa amizade que ajuda Lara a enfrentar as dificuldades que surgem por seu caminho.

Uma história encantadora e que prende o leitor com protagonista em um desenvolvimento pessoal, amizades para levar para a vida toda, uma família amável e um romance perfeito que fará qualquer um torcer para que fiquem juntos, Para Todos Os Garotos Que Já Amei é uma história que pode levar qualquer um para uma viagem no ensino médio, com sentimentos confusos e realistas, onde o leitor pode crescer com a protagonista.

Minhas cartas são de quando não quero mais estar apaixonada. São cartas de despedidas. Porque, depois que escrevo, aquele amor ardente para de me consumir.”

 Adquira

0 comentários:

Deixe seu comentário