3 de dezembro de 2016

Resenha | Will & Will - Um Nome, Um Destino – John Green e David Levithan


Livro: Will & Will - Um nome, um destino
Autores: John Green e David Levithan
Tradução: Raquel Zampil
Editora: Galera Record
Páginas: 352
Sinopse: 
Amor adolescente, intriga, raiva, sofrimento e amizade. Tudo isso temperado com doses maciças de comédia. Prepare-se para o universo de Will & Will. E para pérolas de sabedoria que vão mudar sua vida... Ou pelo menos aumentar seu número de curtidas no Facebook.
Em uma noite fria, em uma improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra... Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Um Will é amigo do mais expansivo gay de sua escola. O outro precisa explicar à própria mãe sua orientação sexual.
Mas, mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em uma aventura de proporções épicas.
 Pela segunda vez seguida, vamos falar sobre John Green, mas dessa vez não só dele, como também do autor David Levithan. John e David resolveram se juntar para dar vida ao livro Will e Will.
Como a própria sinopse já disse e até o título do livro, a história é protagonizada por dois personagens, que no caso têm os mesmos nomes. Os capítulos são intercalados entre um Will e outro, no começo pode parecer meio confuso, mas não é não.
A história é basicamente sobre dois garotos com vidas bem diferentes, mas com o mesmo nome e que aparentemente só isso os une. Eles se conhecem em um sex shop após um Will ter o coração despedaçado e outro ter sido barrado na entrada da balada.
Como eu disse, com os capítulos intercalados entre um Will e o outro, a história flui naturalmente e quando você vê já está no fim. Esse foi o primeiro livro que li de David Levithan, e realmente me surpreendi. Acredito que ele seja um escritor meio parecido com John Green, por isso o livro é tão maravilhoso.

O melhor é que o livro não é pretensioso. Quando você lê a sinopse, pode parecer um livro bom, mas não um livro magnífico (o melhor adjetivo que achei para essa obra). Só que quando você o lê, percebe que tem em mãos uma obra fantástica, capaz de mudar as opiniões, os pensamentos e as atitudes de muitas pessoas.


A leveza com que eles trazem assuntos tão polêmicos é surpreendente. Um Will, que no caso é hétero sexual, tem um melhor amigo, Tiny Cooper, um gay extrovertido, que encanta a todos e que não se importa se as pessoas iram ou não falar ou julgar sua orientação sexual. Will com seus problemas particulares e tendo que viver sobre o que as pessoas falam dele, como ele ter um relacionamento com Tiny, se vê sentir atração por Jane, sua amiga. Um romance que só lendo para saber se dará certo.

O outro Will, homossexual, viaja até Chicago para conhecer pessoalmente Isaac, seu namorado virtual. Porém, as coisas não dão certo, e no final da noite ele está beijando Tiny Cooper, o melhor amigo do outro Will, no banco de um parque. Um romance se inicia entre eles e aparentemente tem tudo para dar certo.

Entretanto, a história não se baseia só em romances, muito pelo contrário, Will e Will, traz assuntos polêmicos como orientação sexual, questões familiares, como se assumir homossexual para sua mãe. O maravilhoso do livro é isso, John e David conseguem trazer assuntos tão importantes que precisam ser debatido pela sociedade com uma leveza e uma tranquilidade. Eles realmente conseguiram escrever o que queriam, no meu ponto de vista.


Will e Will é um livro que traz a homossexualidade e até a homofobia como temas protagonistas da histórias, mas que tem o objetivo de mostrar amor. É um livro sobre o amor. Sobre amar ao próximo, independente das escolhas de cada pessoa. 
Algo que eu não sabia é que a Galera Record (editora do livro) enviou a Marco Feliciano, um exemplar do livro. Na primeira página, tinha a seguinte dedicatória: “Prezado deputado Marco Feliciano, É só amor. Talvez com este livro o senhor consiga entender”.
Fiquei surpresa e maravilhada com essa atitude da editora. Eles realmente mostraram a mensagem do livro: ame. Ame o próximo e deixe para trás os seus preconceitos.


Indico este livro para todas as pessoas, mas principalmente para os preconceituosos. Para os homofóbicos. Quem sabe entendam que não se julga ninguém. Cada um faz o que quer de sua vida. Somos seres capazes de amar incondicionalmente e é isso que devemos fazer. Amar.

"Você gosta de alguém que não pode retribuir seu amor porque é possível sobreviver ao amor não correspondido de uma forma que é impossível no caso do amor correspondido."

Adquira:

Nenhum comentário:

Postar um comentário