14 de janeiro de 2017

Resenha | As Vantagens De Ser Invisível - Stephen Chbosky

Livro: As Vantagens De Ser Invisível
Autor: Stephen Chbosky
Tradutora: Ryta Vinagre
Editora: Rocco
Páginas: 224

Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, As vantagens de ser invisível reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir “infinito” ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.

Divertido, instigante e devastador, As Vantagens De Ser Invisível conta a história de um garoto que precisa viver seu presente, pensar em seu futuro e lidar com o seu passado, principalmente com o que não se lembra. Este livro, com delicadeza vai te levar para uma realidade emocionante, divertida, destrutiva e perturbadora.

As Vantagens De Ser Invisível é um livro contado em forma de cartas, e essas cartas são escritas por Charlie, que as escreve para um amigo anônimo que "conheceu" ao escutar uma garota falar desse desconhecido na escola. A primeira carta, Charlie fala sobre seu amigo Michael, que se suicidou e logo percebemos que a mente de Charlie é bem criativa, e que ele pensa demais. Ele começa a escrever essas cartas porque está com medo do seu primeiro ano no ensino médio, mas rapidamente, ele faz dois amigos, Sam e Patrick. Desde o primeiro momento, percebemos que ele se apaixona por Sam, mas como ela diz: Não é para ele pensar nela daquela forma e é isso que ele faz.
Com os amigos, Charlie vai contando em suas cartas situações íntimas, muitas vezes divertidas e e em outras, devastadoras, como o primeiro beijo, a masturbação, o uso de drogas e até o abuso sexual.


Quero começar falando que eu não tinha ideia do que As Vantagens De Ser Invisível podia ser, porque é a primeira vez que leio o livro e nunca assisti o filme (porque não gosto de assistir a um filme baseado em um livro antes de ler o próprio livro e porque não sou muito fã de filmes baseados em obras literárias). Então, por mais que seja muito conhecido, este livro era total novidade para mim.
Quando eu vi que a história seria contada por cartas que o protagonista escrevia para um desconhecido, fiquei realmente empolgada, porque isso me prendeu no início da história. Charlie tem uma imaginação fértil e isso é extremamente importante para a história, como um adolescente que lê muito, mas não escreve tanto, as cartas são, se posso dizer, de certa forma, amadoras e isso é bom. É bom porque traz o livro de forma descontraída e informal, como se você estivesse conversando com o personagem, fazendo parte daquela história.
No meio da história, comecei a ficar frustrada porque a personalidade do Charlie muitas vezes me fazia imaginá-lo como uma criança e eu precisava ficar me lembrando constantemente de que ele já era um adolescente. Isso ocorreu por causa de certas atitudes do personagem, como ele chorar constantemente, e aquilo chegou a me irritar. Teve um momento em que pensei: Que porcaria é essa? Ele só chora! Vou parar de ler isso.
Mas, felizmente, eu não desisti, porque se eu tivesse desistido, teria perdido uma das melhores histórias da minha vida. 

"Sam se sentou e começou a rir. Patrick também riu. Eu comecei a rir. 
E naquele momento eu seria capaz de jurar que éramos infinitos."

As Vantagens De Ser Invisível, por mais que seja um livro que possa te fazer sorrir ou até rir bastante, já que ele tem essa escrita informal, como falei, é uma história que quando você menos espera, vai te fazer uma revelação, que sinceramente, às vezes, eu precisava ler de novo para ter certeza de que era aquilo mesmo que eu estava lendo.
Um exemplo disso, que acredito não ser spoiler, é quando ele fala sobre a tia que faleceu e que já sofreu abuso sexual. Ou quando ele se lembra de ter visto um garoto estuprar uma garota em seu quarto. E também, quando ele fuma maconha. Coisas assim. Essas revelações me fez ficar chocada e até com vontade de chorar, porque elas passam tão rapidamente na história, que parece que você acabou de levar um tapa na cara sem saber o motivo. E isso faz a história ficar instigante e se perguntar: O que está acontecendo? O que vai acontecer? 

"As coisas mudam. E os amigos partem. E a vida não para para ninguém."

Como a história de sua tia, Charlie também conta a história de sua irmã, que apanha do namorado e a forma como ela age com isso é também uma revelação para o livro. E enquanto isso acontece, não é demonstrado a ligação de Charlie com a irmã ou a situação, mas depois, é claro e evidente a preocupação e o amor com a irmã, mesmo que não sejam irmãos de um comercial de família feliz. Afinal era uma história de verdade, coisas acontecem, e pessoas que amamos sofrem.
Os melhores amigos de Charlie – Sam e Patrick –, tem uma importância e tanto para a história, cada um com sua história: Sam, com o namorado, talvez não tão perfeito e Patrick tendo que lidar com sua orientação sexual e uma paixão secreta. Os dois são responsáveis por levar Charlie para a vida, por ensinar Charlie a viver e curtir o momento.
Bill, professor de Charlie é simplesmente o personagem mais importante nessa fase da vida de Charlie. Dando livros e pedindo trabalhos extras para Charlie, Bill dá ele algum significado, e mesmo que não fale no livro, é evidente a importância do professor para ele, porque Bill é a pessoa que confia e acredita em Charlie. É a pessoa que pede para Charlie "participar" da vida e isso é muito importante, mesmo que ele não saiba.

"Não há nada como a respiração profunda depois de dar uma gargalhada. Nada no mundo se compara à barriga dolorida pelas razões certas."

Em sua simplicidade, Stephen Chbosky traz em seu livro uma história fascinante e que sinceramente você não espera por isso. Quando peguei o livro pela primeira vez na livraria, gostei do nome, da capa, da sinopse, mas não esperava que naquelas páginas estaria uma história que fosse tão surpreendente e de alguma forma, em seu próprio modo, tão brutal.
Se vocês que ainda não leram o livro, forem ler e ficarem um pouco frustrados pelas partes dele chorar muito e parecer que nada acontecem, peço, sinceramente, que não desistam do livro. O final, que achei que não seria surpreendente, foi simplesmente de tirar o fôlego e me fez perceber que fiz uma boa escolha ao continuar lendo. O final (infelizmente, não posso contar) explica tudo e me fez olhar para toda a história e vê-la com outros olhos, entendi porque Charlie chora tanto e chorei com isso.

As Vantagens De Ser Invisível, com uma narrativa aparentemente simples, porque nem sempre tudo é o que parece e sempre existe mais do que é contado, talvez até para o próprio protagonista da história, é um livro que vai te surpreender e vai te fazer ficar sem fôlego. Vai te levar para a realidade, muitas vezes, divertidas e brutal de um adolescente. 

Está preparado?
"Somos quem somos por várias razões. E talvez nunca conheçamos a maior parte delas. Mas mesmo que não tenhamos o poder de escolher quem vamos ser, ainda podemos escolher aonde iremos a partir daqui. Ainda podemos fazer coisas. E podemos tentar ficar bem com elas"
Adquira

Nenhum comentário:

Postar um comentário