Entrevista com Helena Andrade, escritora de Simplesmente Amor


Oi, pessoal! Tudo bem com vocês? Hoje, tenho a honra de trazer para vocês uma entrevista com a escritora Helena Andrade.
Helena é a escritora de Simplesmente Amor e para quem quiser saber mais sobre o livro, é só clicar aqui.


Como surgiu a vontade de escrever? 
Foi quando os livros que estava lendo não me encantavam mais, daí me propus o desafio e em quatro meses Despertar estava escrito.

Quando foi que você começou a escrever Simplesmente Amor? E quando foi que você disse: “Tenho que mostrar essa história para o mundo”?
Comecei a escrever a história mesmo antes de publicar Despertar. Enquanto meu primeiro livro estava em análise pelas editoras, eu já iniciei a história de Alícia e Miguel. No entanto, fiz uma pausa nela. Teve um período bem conturbado de trabalho e estudo, no qual deixei um pouco a literatura de lado. No entanto em 2015, voltei a trabalhar na história e no final do ano passado ela veio ao mundo. Simplesmente Amor é uma história encantadora. Eu amei ver o resultado.

Você teve algum medo ou receio de publicar Simplesmente Amor? 
Nenhum! Sempre tenho para mim que as histórias são criadas para compartilharmos. Adoro propiciar isso ao leitor.

Antes de publicá-lo, chegou a pensar em desistir? Em não publicá-lo? 
Pensei algumas vezes, mas não foi por não acreditar no potencial da história. Tinha certeza que ela poderia proporcionar um momento único ao leitor, porém a publicação no Brasil é muito difícil. É uma busca árdua conseguir uma editora. Infelizmente poucas, de fato, leem os manuscritos que recebem.

O que mais te motivou a escrever Simplesmente Amor? 
Quis construir uma história onde abordasse o amor verdadeiro. Sabe aquele em que encontramos alguém e sabemos exatamente que esta pessoa já fez parte de nossa vida? Aquele sentimento que surge como inexplicável? Eu só a escrevi de forma que fizesse sentido e gostei do resultado.

Simplesmente Amor trás a história de Alícia e ela é uma personagem em que o destino não foi tão bom. Você acha que se ela não tivesse sofrido o acidente, consequentemente não tivesse perdido a memória, Alícia poderia não saber lidar com o seu passado? Poderia tomar atitudes erradas? 
Alícia é uma boa pessoa, mas você percebe o quanto ela amadurece com as experiências. Assim como em nossa vida, tem fatos que ocorrem e que mudam completamente nossa visão de mundo. Acredito que o acidente foi primordial para o crescimento dela, até mesmo para valorizar todas as riquezas que a vida lhe trouxe.

O livro trás a questão da adoção de crianças e dos orfanatos, você sempre quis discutir esse tema em Simplesmente Amor? 
O tema faz parte da trama. Porém independente disto, eu gosto de colocar questões sociais em minhas histórias. Elas fazem parte do cotidiano e abordá-las com leveza conscientiza mais fazendo-nos inclusive refletir sobre elas. 

O título do livro é bem real a história porque se trata realmente do amor e não só na parte romântica, e sim na questão familiar, na amizade, ou seja, no amor ao próximo. Foi complicado escrever com verdade esse sentimento de alguma forma? 
Não! Um dos pontos mais encantadores para mim na escrita é poder expressar sentimentos intensos através das palavras.

Você teve alguma dificuldade para desenvolver algum personagem ou alguma parte da história? 
Na verdade no último capítulo demorei para decidir se o mantinha na voz de Alícia, como já havia escrito, ou construía a partir da visão de Miguel. O resultado você já sabe. De qualquer forma gostei da escolha final. 

A história começa com um impacto fascinante que é o acidente e a partir desse ponto o leitor já começa a ter perguntas e curiosidades com a história. Isso é muito bom, e melhor ainda é que você consegue terminar o livro com a mesma intensidade com que começou. Como conseguiu fazer isso? Foi complicado manter a história em uma constante sem se perder? 
É maravilhoso saber que provoquei isso no leitor e especialmente em você, uma leitora tão assídua. Eu adoro histórias que nos carregam com intensidade. Acho que é uma dádiva conseguir fazer isso. Todos os feedbacks que tenho, tanto de Simplesmente Amor quanto de Despertar, os leitores relatam que começam e não conseguem parar até chegar ao fim e, muitas vezes, quando estão próximos não querem que acabe. Isso é fantástico. Então, acho que é meu jeito de escrever. 

Eu, particularmente, amo os personagens coadjuvantes e em Simplesmente Amor isso não foi diferente. Sou completamente apaixonada pela Milena e pelo Diogo, mesmo que eles não tenham tanta participação na história, porém, no fim, eu fiquei me questionando se ela pode engravidar e se isso de alguma forma afetou a vida do casal. Então gostaria de saber se você já pensou em escrever algo sobre eles? Talvez um livro? Um Spin-off? 
De fato não pensei. Neste momento estou escrevendo meu novo livro, inclusive com prazo para enviar a editora, mas quem sabe em um futuro. Concordo que eles são muito interessantes também, eu poderia desenvolver a história do romance deles desde o primeiro encontro. Acho que seria bem instigante...

Você pensa em uma continuação para Simplesmente Amor? 
No momento não. Tem alguns leitores que me pedem também a continuação para Despertar. Talvez, se surgir a oportunidade.

Se fosse escrever Simplesmente Amor hoje você mudaria algo na história? 
Não! A história está pronta. Ela veio ao mundo como tinha de ser.

Acredita que conseguiu passar o que realmente queria com Simplesmente Amor? 
Sim, a história tem todos os elementos necessários para encantar e mostrar as faces deste maravilhoso e profundo sentimento.

Para encerrar, gostaria de dizer algo para seus leitores que se tornaram seus fãs?
Gratidão pelo carinho, apoio e por me incentivarem. A carreira do escritor não é fácil e receber o retorno de vocês faz toda a diferença. Espero que possa continuar a escrever e principalmente que vocês queiram ler mais de Helena Andrade, que contem aos amigos, parentes, seguidores e pro mundo que tem histórias encantadoras a serem conhecidas.

Pessoal, espero que tenham gostado da entrevistam eu realmente amei realizá-la. Para quem já leu o livro, espero que gostem de saber estes detalhes de Simplesmente Amor e, para quem não leu, espero que essa entrevista possa despertar o seu interesse em mergulhar nessa história tão fascinante.

7 comentários:

  1. Oi!!
    Gostei da entrevista. Da Helena só li Adeus à humanidade, que gostei.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Que legal a entrevista e conhecer mais da autora. Tenho muita vontade de ler o livro e saber como ele surgiu é muito bacana, adorei.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi, adorei a entrevista! Ainda não conhecia a autora, mas é muito simpática. Vou dar uma conferida na resenha do livro. Adoro uma boa história de amor verdadeiro.

    Beijos
    construindoestante.blogspot.com.br || Concorra a um vale presente de R$40,00

    ResponderExcluir
  4. Gabriela linda, eu amei participar da entrevista. É sempre muito bom poder contar sobre meus livros. Acho que isso aproxima o leitor da trama.
    Gratidão pelo carinho e apoio.

    Simplesmente Amor pra você!!!
    Beijos,
    Helena

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Eu amei a entrevista! A Helena Andrade pareceu ser uma pessoa super simpática! Eu fiquei curiosa com Simplesmente Amor e vou conhecer mais sobre ele.

    Beijão
    www.cretinaliteraria.com

    ResponderExcluir
  6. Oie Gabriela, tudo bom?
    Adorei conhecer mais sobre a Helena, não conhecia o trabalho dela e fiquei bem interessada. Só a simpatia dela me ganhou.

    Beijos,
    paixaoliteraria.com

    ResponderExcluir
  7. Olá...
    Também virei fã da Helena e da escrita dela, adorei saber um pouco mais de detalhes sobre Simplesmente Amor. ótima entrevista. Parabéns
    Beijos

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir