19 de junho de 2017

Resenha | A Vila dos Pecados – Soraya Abuchaim

Livro: A Vila dos Pecados
Autora: Soraya Abuchaim
Editora: Coerência
Páginas: 452
Final do século XIX. Enquanto o mundo passa por transformações importantes, existe uma vila inóspita, que vive à margem da civilização e que tem as suas próprias e estranhas leis.
Lendas escuras a rondam e histórias macabras sobre Ponta Poente povoam o imaginário popular.
Quando o padre Alfonso Anes, um exemplo vivo de amor e resignação, chega à vila para substituir o seu antecessor, depara-se com segredos que o farão duvidar da própria sanidade, e uma onda de mortes trará o caos para aquele lugar ermo.
Quem estará a salvo? Serão estes segredos o fim de quem os esconde? O que esse universo tenebroso revelará para o mundo?
Um suspense sinistro, que envolverá completamente o leitor e o levará a compartilhar dos segredos da Vila dos Pecados.
Padre Bento em seus últimos minutos de vida, enquanto sente a morte lhe rodear se lembra de toda a sua vida. Se lembra da boa criança que foi e que não queria se tornar padre, mas por insistência da mãe, que dizia que essa era sua missão, foi estudar para então vir a ser, hoje, padre de Ponta Poente. Mas depois de uma longa jornada, sua vida estava chegando ao fim. Ele se lembra de todos os pecados que cometeu em sua vida. Era para ter sido o homem bom que aparentava ser, afinal era a figura designada para trazer paz para aquela vila, porém, nunca foi assim. Usou as pessoas e seu poder e agora estava chegando sua hora. Talvez se arrependesse, mas até quando pode usar o nome de Deus, fazer o mal e ficar tudo bem? Bom, Padre Bento fez muito mal, e a única coisa que importava agora era que ele estava indo embora. A morte finalmente veio lhe buscar. E agora o que sera daquela vila que tanto dependia da figura representativa da bondade e do perdão? Um novo padre viria e será que ele seria conivente com tudo o que acontecia naquela vila que tinha suas próprias regras?
Alfonso Anes é verdadeiramente a figura da bondade e do amor. Um padre que realmente é devoto a sua missão de passar a paz, a bondade, o amor e o perdão aos outros. Após a morte do antigo padre, Bento, Alfonso é designado a ser o sucessor em Ponta Poente. Porém, ao chegar lá, ele encontra uma vila pequena, que aparentemente é muito boa de se viver, mas nem tudo é o que se parece. Ponta Poente é naturalmente aquilo que conhecemos: bonita por fora, podre por dentro. 
Pessoas com muitos segredos começam a temer o que pode acontecer a partir do momento em que um novo padre chega e parece ser realmente bom, incapaz de se corromper ao mal – ao contrário do antecessor –, afinal um padre, principalmente no final do século XIX, é uma influência muito grande a sociedade, principalmente em uma vila tão pequena. Segredos obscuros podem vir a tona, entretanto, isto não é o pior, pois uma onda de mortes traz definitivamente o caos para Ponta Poente, colocando a prova quem são as pessoas verdadeiramente e quais seus maiores pecados. Perguntas surgiram: Até onde cada um é capaz de ir? Os bons podem se corromper? E a principal, alguém será salvo? Quem?

A Vila dos Pecados é um suspense escrito pela nossa Dark Queen, Soraya Abuchaim. É muito complicado começar essa resenha e não porque palavras me faltam, é como se eu soubesse o que falar, só não encontro a forma correta de me expressar porque nada, NADA do que eu fale será capaz mostrar a magnitude que este livro tem. Eu simplesmente nunca irei conseguir me expressar da forma digna que esta história realmente merece.
"Em Ponta Poente, ninguém era aquilo que demonstrava ser, e os pecados corriam livremente pelas suas ruas estreitas, como sangue nas veias de um ser humano."
Eu sempre gostei de trazer para as minhas resenhas um pouco sobre os personagens e suas personalidades porque sem dúvida isto é um dos pontos principais para uma história ser boa, no meu ponto de vista. É complicado citar personagens específicos de A Vila dos Pecados porque é uma história que trás todos os personagens com muita presença e sem dúvida alguma, muita personalidade. Você tem diversos personagens em que no primeiro momento você os divide entre os que são do bem e o que são do mal, porém, ao longo da história, por mais que tenhamos pessoas que desejam e fazem o bem enquanto outras só cultivam o mal, todas são humanas. São seres humanos, todos são capazes de errar porque todos tem suas fraquezas. Isso sem dúvida foi o que me fez amar a história, porque o que mais prezo em um livro é quando eu vejo que os personagens é como eu, a partir do momento em que são humanos, tem suas falhas e ninguém é perfeito. A autora trás isso como uma das principais características de seu livro.
"Entregou-se ao sono pesado, das pessoas verdadeiramente tranquilas de consciência. Ele daria o seu melhor, só esperava que fosse suficiente."
Em volta ainda da questão de que todos tem qualidade e defeitos, ninguém é perfeito, neste livro eu acabei julgando-o um pouco antes de lê-lo por pensar que fosse impor a religião católica de alguma forma já que se trata de dois padres. Porém, logo no primeiro capítulo já nos mostra que alguns padres não são o que verdadeiramente mostram. E não estou dizendo que nenhum padre ou pastor seja ruim, porém nem todos são bons e usam o nome de Deus para muita coisa errada, da mesma forma que temos o contrário também, muitos realmente são ótimos. O bom de A Vila dos Pecados é que temos esses dois lados da história. Um padre não era o que se mostrava ser e usava da sua posição para o bem próprio, enquanto o outro, a bondade em ser humano queria realmente ajudar aos outros. 
Uma questão interessante e de alguma forma corriqueira que a escritora traz para a história sem dúvida é a forma como o padre é uma pessoa normal. Sabe, principalmente para alguém que é de uma família católica, acaba vendo o padre como alguém que não comete erros, que não consegue ter o mínimo que for de um sentimento ruim, como a raiva ou até não se da conta de que ele faz coisas simples, como ter uma rotina comum. Com sutileza, isso vem sendo nos apresentado e é algo que por mais que pareça bobo, torna a história ainda mais rica do que é. 
E, por favor, se vocês não gostam de histórias que envolvem religião, não menosprezem esta porque ela não é isso. A Vila dos Pecados é uma história sobre a maldade do ser humano e o quanto isto pode afetar a tudo e a todos ao seu redor, se você acredita ou não na religião, por mais que um dos pontos de vista seja de um padre, a história não é isso, porque o próprio padre precisa desconstruir crenças dele (outro ponto muito interessante) porque nada é uma verdade universal. Cada acredita em algo ou em nada e cada um tem a sua fé, e se não tem fé, tem esperança. A história é isso: a esperança de que o bem possa ser maior que o mal. 
"Quando conhecemos uma única verdade, ela se torna absoluta para nós, não é mesmo?"
Narrado em terceira pessoa, a autora não focou em contar a história a partir de apenas um personagem. Temos o ponto de vista de diversos personagens, mas não são as mesmas cenas, o que é ótimo. A história vai seguindo normalmente. Até por isso que sinto que é complicado falar de apenas alguns personagens, porque a autora realmente conseguiu criar personalidades fortes para seus personagens e todos eles se tornam protagonistas, entendem? Todos tem suas histórias, seus pecados e suas vidas e é fascinante a maestria com que a Soraya consegue envolver o leitor com cada personagem, seja você o odiando ou amando ele. Ela não se perde em momento algum e consegue criar e desenvolver toda a história deixando o leitor preso nela do início ao fim.
Eu tenho alguns capítulos específicos que me fizeram realmente perder o fôlego, mas não vou dizer para não perder a graça. O que posso dizer é que temos dois capítulos narrados em primeira pessoa que é o interlúdio do assassino, e esses capítulos são surreais porque você não sabe quem é o assassino, mas ele te dá pistas que ajuda, entretanto deixa mais confuso. Sem contar, que por ser narrado em primeira pessoa, é como se o assassino estivesse conversando conosco, com o leitor. É tipo: É, eu matei. Eu gostei de matar. E você não saberá quem sou eu..., sem dúvida isso me fez ficar ansiosa, com a respiração acelerada e com mais ganância de chegar ao fim daquela história e conseguir desvendar todo aquele mistério.
"O erro é sempre de quem engana, nunca de quem é enganado. A consciência tranquila é nossa maior aliada na felicidade."
Eu disse diversas vezes para mim mesmo antes de ler o livro: "Não goste de nenhum personagem, muito menos imagine algum romance, a Soraya adora destruir os corações dos leitores." Porém, mesmo depois de dizer isso diversas vezes, eu não consegui não amar nenhum personagem. Dois em especial me fez imaginar que a história da Soraya pudesse ter, no mínimo, um pouco de romance, mas como se ela risse de mim, foi lá e os matou. Gente, não posso dizer os personagens, mas sabe quando você é pego de surpresa pelo escritor? Foi bem isso que a escritora fez. E por mais que eu quisesse meus amados personagens de volta, é maravilhoso ver como a autora realmente consegue causar o impacto desejado. Ela consegue fazer com que o leitor entenda que coisas ruins vão acontecer, mas mesmo assim não deixa de te surpreender. Ela realmente consegue ser surpreendente, ela consegue criar um verdadeiro suspense.

Eu preciso dizer para vocês da forma maravilhosamente surpreendente que a escritora consegue entrar em sua mente. Eu não sei se vocês sabem, mas sou muito medrosa e não gosto de filmes e livros que sejam de terror, mas sempre achei o trabalho da Soraya fascinante e isso me fez querer ler os livros dela mesmo não sendo os meus gêneros favoritos. Em uma entrevista ela disse que este livro não era tão terror, era mais leve e sinceramente, não sei se é porque sou realmente medrosa, mas ela conseguiu me passar medo. E, de verdade, eu não acreditava tanto que pudesse sentir isto lendo algo. Eu tive pesadelos com a história e era como se a autora tivesse entrado dentro da minha mente e não me deixasse pensar em mais nada que não fosse esta história. Foi arrebatador. Quando digo pesadelos, não digo no sentido ruim, mas foi a primeira vez que sonhei com uma história onde eu era parte dela. Claro, foi horrível alguém me matar em Ponta Poente, mas fazer o que, né? Brincadeiras à parte, eu acho incrível como as histórias dela, desde o primeiro livro que li dela, Até Eu te Possuir, consegue entrar na cabeça do leitor. Você acaba sendo levado para aquilo sem consegui escapar e quando perceber, tudo o que deseja é ler mais e mais.
"Se eu quero contribuir com alguma coisa boa nessa existência, é te dizer que a pior coisa que um homem pode fazer com sua própria vida é viver em função das leis sociais, que podem ser cruéis e impositivas."
Temos um assassino nesta história e todos são suspeitos em uma vila tão pequena. Os assassinatos tem pontos em comum, mas não o necessário para encontrar o culpado, e além do mais, a partir deles, o caos realmente tomou conta, prejudicando muitas outras pessoas. Isso é o que quero dizer quando digo que a história é realmente viciante e te faz prisioneiro dela. Eu tinha os meus suspeitos e a cada capítulo pensava alguém e tinha uma nova prova então eliminava outro. Tenho a felicidade de dizer de que cheguei a resposta de quem era o assassino. Quando pensei é tal personagem, tudo se tornou ainda maior, porque mais perguntas surgiam: será mesmo? Como? É impossível! Quando é realmente relevado fiquei surpresa porque por mais que eu pensava que podia ser tal personagem, ainda era meio que impossível. Foi realmente surpreendente. Sem dizer o final e como tudo termina, porque, Deus como alguém pode criar algo tão fascinante do início ao fim? Era só isso que eu pensava ao terminar de ler o livro.
"É muito mais fácil ser conivente com o mal do que lutar contra ele. Com o tempo, já nem se percebe que há maldade ali, que há coisa errada; as pessoas tornam esse tipo de atitude uma rotina, e passa a ser corriqueiro."
A Vila dos Pecados é aquele livro que te promete muito e te deixa cheio de expectativas e ao lê-lo você percebe que ele vai além do que prometeu e das suas expectativas. Mesmo passando no fim do século XIX, é uma história muito jovem em uma escrita que mesmo rica tanto de vocabulário quanto de desenvolvimento faz com que todos se conectem com a história.
Ao contrário de muitas histórias, A Vila dos Pecados é realmente um suspense. Ao lê-lo, a história entra em sua mente sem deixá-lo por um segundo que for sem pensar naquilo. Se você decidir lê-lo, lembre-se de que a realidade dele é muito surreal, porque seus personagens são realmente humanos. Você será levado para uma história permeada por tudo aquilo que a humanidade sente, constrói e destrói. O mundo é consequência das ações de seus habitantes. O que você está fazendo para o seu mundo? É bom? É ruim? Qual a salvação?
"Tudo sempre chega a um fim. Mas não se iluda: o fim pode não ser como espera-se, mas sempre, em qualquer ocasião, é o que tem que ser. Sempre."
Adquira

Mostrar Comentários
Ocultar Comentários

9 comentários:

  1. Uau!!! Que resenha Maravilhosa!! ❤❤❤ A Vila dos Pecados realmente é um livro inesquecível trazendo junto a maldade rotineira!! Parabéns pela resenha Incrível!! 👏👏👏

    Blog Canção dos Livros!
    https://blogliterariocancaodoslivros.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  2. Nossa, toda vez que passo aqui a lista de leitura aumenta.
    Esse livro me deu vibes de O Vilarejo (que gostei bastante). Com certeza vou dar uma chance
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Três Anos do blog A Colecionadora de Histórias

    ResponderExcluir
  3. Oie
    Fiquei curiosa pelo enredo, parece ser bem interessante e instigante.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Uau! Esse livro é demais em...
    Sou louca por qualquer livro de romance, mas tenho certeza que irei amar ler esse livro do de suspense e que resenha foi essa??
    Apaixonante! Você está de parabéns com esse post excelente. Fiquei cada vez mais presa em cada palavra que lia e pude sentir a emoção que o livro traz, só pelas sua palavras!
    Um beijo,
    melissamorei.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Uau, esse livro parece ser bom mesmo, ein... Adorei sua resenha e fiquei suuuper curiosa para ler a obra!

    Beijos,
    Duas Livreiras / Sorteio de 11 kits

    ResponderExcluir
  6. Oieee eu estou rindo com vc dizendo que a autora matou justo aqueles que vc pensou que podia dar romance hehehe sei bem como é isso hehehhehe O livro parece ter uma boa trama e os personagem bem complexos, é muito bom quando os autores trabalham assim, nos deixando digerir a história por vários dias. E como sempre, resenha super completa, parabéns!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Oi adorei a resenha menina que livro é esse? Estou muito interessada adoro suspense,já quero esse livro pra mim!sei muito bem quando os personagens que você quer que fique juntos morre dar vontade de matar o autor haha 😘
    aleituramagica.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. Nossa, adorei a dica!! Já entrou na minha listinha para ler no futuro...
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Não conhecia o livro, e nem a autora, mas a premissa me chamou atenção. A sua resenha está ótima, adoro um mistério e a história ainda é narrada por vários personagens...Espero poder ler em breve.
    Beijos!

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir