RESENHA | Azul Como Ela Nunca Conheceu – Sil Zafia

Livro: Azul Como Ela Nunca Conheceu
Autora: Sil Zafia
Publicação: Independente
Páginas: 250
Desde os tempos mais antigos, os jogos de azar sempre foram muito procurados pelos homens. No século XVIII, estes jogos atingiram o clímax entre os cidadãos.
Roggero Fontana era um viciado em apostas, à beira da falência. Em uma de suas jogadas habituais, desesperado, aposta a mão de sua própria filha, Isabella, com John Smith, um misterioso forasteiro.
Mas Roggero perde o jogo e, consequentemente, sua filha.
O casamento acontece de forma rápida; John tem urgência em levar Isabella para sua isolada fazenda. Lá, a jovem descobre, da pior maneira, quem é John — um sádico bipolar. Uma hora ela é tratada com carinho, na outra, sofre torturas frequentes e criativas. Tais atrocidades deixam cicatrizes irreparáveis no seu corpo e na sua alma.
Isabella vê seu mundo desmoronar quando é obrigada a casar-se com John Smith, um homem peculiar e agressivo, de comportamento instável. Logo nos primeiros dias de casada, ela descobre que ele não é um simples crápula que gosta de torturar física e psicologicamente pessoas mais fracas que ele. John é muito mais que isso e guarda um segredo que pode fazer com que ela seja mandada direto para o inferno.
Isabella é uma jovem cheia de sonhos. Como eram os costumes do século XVIII, ela sonhava em casar, ter filhos e viver uma vida maravilhosa. E isso poderia realmente acontecer, afinal ela estava se encontrando com Stefan Bortolini, um homem educado, carinhoso e amável. Tudo seria perfeito, porém, acabando com a felicidade de Isabella que nunca desejou um casamento arranjado, ela seria obrigada pelo pai a se casar com outro.
Roggero Fontana, pai de Isabella é um viciado em aposta que coloca em jogo tudo o que tiver para apostar e desta vez não foi diferente. Queria apostar, mas não tinha mais nada e foi então que teve a ideia. Foi então que ofereceu sua filha como aposta. Se perdesse, ela teria que se casar com John Smith. E claro, Rogerro perdeu e consequentemente, sua filha estava fadada a um futuro ao lado de um até então desconhecido.
O casamento rapidamente é feito e Bella só conhece seu noivo no altar. Ao olhá-lo pela primeira vez, ao olhar os olhos azuis dele pela primeira vez, Isabella chegou a imaginar que poderia dar certo. Ela teria que aceitar o seu futuro e talvez fosse realmente feliz. Após a noite de núpcias , da qual Bella realmente imaginou que seria bom viver ao lado de John Smith, na manhã seguinte, tudo se prova ao contrário. Estúpido e bipolar, John pode se tornar a pessoa que Bella mais irá odiar. Em alguns momentos ele é totalmente carinhoso e ela pensa que pode amá-lo, e então ele se transforma na pessoa que a machuca e deixa cicatrizes horríveis pelo seu corpo.
Mas Bella não consegue fugir dele, porque ele sempre a encontraria, então ela passa a ver seu mundo se desmoronar sem conseguir entender as mudanças de humor do esposo, porém, quando pensa que não pode ficar pior, Bella começará a entender e descobrir os segredos do marido e tudo se torna ainda mais perigoso, estranho e assustador quando ela descobre que ele pode mandá-la diretamente para o inferno.

Fazia um bom tempo já que eu não lia um romance e então ler Azul Como Ela Nunca Conheceu me fez lembrar porque amo tanto este gênero, ainda mais quando ele trás um pouco de mistério e até de fantasia. Sabe quando você começa a ler um livro e só para de lê-lo ao chegar na última página? Este livro é assim. Quando comecei a lê-lo, passei a noite toda lendo-o porque é tão maravilhoso que é impossível parar de ler por um só momento.

Isabella é a protagonista dos meus sonhos. Uma protagonista humana verdadeiramente, que tem qualidades e defeitos. Que é obrigada a aceitar o que o destinho coloca em seu caminho, mas isso não quer dizer que ela está satisfeita. Um ponto muito importante desta protagonista que além de ter todos os medos de uma jovem daquela época que irá se casar com um desconhecido, os sentimentos dela oscilam. Na primeira vez que ela vê John, ela percebe que talvez possa amá-lo e está disposta a isso, mas ela não se torna cega. Quando ela a machuca pela primeira vez, ela não justifica isso como algo normal como muitas outras mulheres fariam, principalmente naquela época. É claro que existe toda uma história por trás do que John é e do que faz, mas acima de tudo, ela se ama e isso é o que mais importa. Em momento algum ela pensa em se submeter ao que ele quer porque possa amá-lo ou algo assim e isso foi o que me fez amar a protagonista sem dúvida alguma.
"As paredes de falsidade pareciam se fechar em sua volta.
Entretanto, todos os detalhes vazios e melancólicos sumiram quando ela o viu."
John Smith é um personagem que fez os meus sentimentos, assim como os da Bella, oscilarem. No início foi uma completa relação de amor e ódio por ele. Quando li a sinopse do livro, achei que não fosse gostar dele, mas tenho que confessar que o amei desde o primeiro momento. Porém, depois de algumas atitudes, eu o odiava e depois amava e isso se repetiu muito no livro. Agora que li o livro todo, sei que eu o amo por mais que tenha raiva de algumas atitudes tomadas pelo personagem, mas isso me encantou na escrita da autora. Ela trouxe o mocinho da história que não é um mocinho comum como estamos acostumados, muito pelo contrário. Muitas vezes dá aquela dúvida no leitor se ele não se tornará o vilão de toda a história.
Quando descobrimos o que aconteceu para que ele se tornasse o que é foi o momento crucial do personagem. A partir daquele momento, não tem como negar o meu amor por ele, assim como a protagonista, por mais que ás vezes parecesse errado amá-lo. Ele é bipolar, então ele tem de tudo um pouco, muitos defeitos, mas também diversas qualidades. Tem atitudes erradas e atitudes certas. Ele sem dúvida é um personagem que vem com muito para compartilhar com o leitor.

Por mais que seja uma história digamos que rápida e mais focada entre Bella e John e em seus segredos, temos alguns outros personagens como o Rafael. Eu nunca gostei dele e depois do final do livro, passei a odiá-lo, mas este é um personagem que trás muita curiosidade para a história e estou ansiosa para saber os segredos dele e espero, sinceramente, que no próximo livro o John pare de achar que deve a vida a ele.
"Naquele momento, não ligava. Não sabia do mal que ele seria capaz de lhe causar. Naquele instante, ela apenas se deixou levar." 
Como eu falei que imaginava que não fosse gostar do personagem principal, eu tinha um certo receio de ler o livro e não gostar porque imaginei que fosse romantizar o relacionamento abusivo. Porém, por mais que tenhamos algumas agressões do John contra a Bella, a autora em momento algum romantiza o relacionamento. Primeiramente, porque tudo tem um porquê a mais por trás que envolve o mistério e a fantasia da história. Até porque ele a machuca, mas depois consegue fazer com que a cicatriz e a dor suma.
Segundo, como eu disse, a protagonista em momento algum acha normal as atitudes do esposo e nem aceita. Muito pelo contrário, ela só não foge porque é impossível fugir dele, ainda mais naquela época onde ela seria a errada e faria sua família passar vergonha e tudo mais. John não sabe se socializar, mas Bella em momento algum justifica as atitudes dele mesmo que talvez possa gostar dele. Então, a escritora não romantizou nada e muito pelo contrário, porque ela consegue trazer a duplicidade do personagem, formando assim, sentimentos contraditórios no leitor, que passa a odiá-lo por suas atitudes ruins e amá-lo pelas boas atitudes.
"Naquele instante, ela soube que, se existisse uma oportunidade, perdoaria John por todos erros.
Por que?
Quem saberia?
A cor escarlate da morte muda tudo."
Mesmo sendo narrado em terceira pessoa, acompanhamos mais a história do ponto de vista da Bella e isso tornou todo o mistério, a fantasia, o romance e principalmente os sentimentos da história mais intensos. É muito maravilhoso ver que nós, leitores, estamos tendo os mesmos sentimentos e as mesmas emoções que a protagonista. Assim como a Isabella, não conhecemos o John. Não sabemos como ele é, o que faz e principalmente: o que é capaz de fazer.
Eu não sei como, mas é incrível como a escrita da autora consegue fazer isso com o leitor. No momento em que Bella pensa que pode se apaixonar pelo John, o leitor também acredita nisto; no momento em que ela sente raiva dele, o leitor também sente; quando ela quer fugir, o leitor quer que ela fuja. É surreal a forma como conseguimos entrar na personagem em questão de sentimentos, medos e emoções. A escrita da Sil Zafia é capaz disso.

Falando sobre a escrita da autora, é fantástico a forma como ela escreve. A autora trás uma escrita jovem, leve e até simples, mas em momento algum se esquece que a história se passa no século XVIII, muito pelo contrário, diversos detalhes nos remetem aquela época e o leitor consegue ser transportado para o mundo da história sem precisar de uma escrita toda elaborada daquela época.
"Toda a dor vai desaparecer agora. Descanse. Eu te amo. Você será minha... outra vez... em uma nova vida."
Preciso falar sobre o final do livro. Aliás, preciso de alguém que tenha lido Azul Como Ela Nunca Conheceu só para conversar sobre tudo o que foi este livro. É muito difícil encontrar um livro que termine tão maravilhosamente quanto começou. Azul Como Ela Nunca Conheceu é um desses livros que é uma constante do início ao fim. Sem contar que a autora deixa o leitor em êxtase e completamente ansioso para a continuação, porque acredito que nunca li um final tão surpreendente que só deixa o leitor com vontade de já ter a continuação para começar a lê-la imediatamente.
"Ela não sabia de todos os demônios que se escondiam naqueles olhos, por isso ficou encantada."
Azul Como Ela Nunca Conheceu é aquele livro que tem romance, mistério e fantasia, mas o melhor é que a história pega o melhor de cada gênero e cria algo magnífico. É aquele livro que você tem tanto para falar, mas as palavras somem porque nada do que fale irá fazer jus ao quão maravilhoso ele é. Uma história que te trás todos os sentimentos e permite que você se sinta parte daquela trama, Azul Como Ela Nunca Conheceu é um livro de fazer o leitor passar a noite lendo e que quando terminar, só desejará a continuação para passar acordada mais quantas horas forem necessárias para lê-lo.
"Não havia som algum. Nenhum sinal de que aquela situação se resolveria. Num pranto silencioso, implorou pelo fim, pelo sossego da alma."

12 comentários:

  1. Oie,
    Gostei bastante da resenha, já quero ler
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Que capa linda! Achei a premissa bem interessante e fiquei curiosa para ler a obra...

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Nossa que livro, deve ser agonizante ver ela sofrer maus tratos e não poder tirá-la de lá e principalmente vontade de espancar o seu pai, como um pai pode fazer isso? entregar sua filha para um desconhecido por vicio, não é um pai de verdade, Isabelle é um personagem muito forte por ter que passar por tudo isso, quero que ela seja feliz e para saber quero ler kkk.

    Sua resenha como sempre é maravilhosa.

    Um grande beijo.

    Jhenny

    https://sussurrandosonhos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    Amei a resenha, e essa capa é muito linda. Adorei a premissa, já vou procurar ler,

    Beijos,
    Garota Perdida nos Livros

    ResponderExcluir
  5. Oieee! Eu amo romances, leio sempre e já fiquei interessada nesse! A capa é linda e a descrição de Isabella me agradou bastante. Também curti essa relação de amor e ódio com John às vezes esses sentimentos são bem positivos. Enfim, parece ser uma boa história, quero conferir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Na sinopse já odiei o Jhon kkk mas como você falou que amou o personagem vou dar um voto de confiança rs,resenha perfeita!😘
    aleituramagica.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Quem diria que uma capa linda assim trouxesse uma história tão intensa.
    Não importa o que digam, eu tenho certeza que vou dar odiar o John até o infinito
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  8. Oie
    Eu adorei o enredo, parece ser uma história muito boa. Preciso voltar a ler fantasias.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Amei sua resenha, essa história me envolveu bastante. Quero conhecer mais! ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  10. Oii
    super me interessei em ler esse livro, a coitada da protagonista parece passar por tanta coisa e ao ler a sinopse eu já fiquei é com raiva do John , mas espero que quando eu tiver oportunidade de ler minha opinião mude como a sua que acabou gostando dele, parece ser super envolvente.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Comecei a ler a resenha e já peguei o kindle para baixar ele hehe. Eu preciso ler esse livro. Também achei que seria um relacionamento abusivo, que bom que não é. Mas que pena que não é livro único. Odeio ficar esperando hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  12. Uow!! Eu ainda não conhecia o livro e agora fiquei com uma vontade imensa de lê-lo! Gosto muio de livros assim que mesclam romance com drama, e foi um alívio saber que mesmo quando a protagonista compreende os motivos e os segredos dele, ela não se entrega, já que claramente nada justifica a forma como ele a tratou. Acho que nenhuma dor no mundo serve de desculpa para tratar mal o próximo. E já li muitas histórias onde a mocinha se submete a isso por amor, mas nesse caso ela não tem escolha, por mais que chegue a amá-lo um pouco. Nossa, já to filosofando aqui e ainda nem li o livro hahaha adoreeei a resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir