RESENHA | ARCÓRNIO - O TESOURO NO FINAL DO ARCO-ÍRIS – Marine Melo

Livro: Arcórnio - O Tesouro no Final do Arco-Íris
Autora: Marine Melo
Páginas: 170
Sinopse:
Ao ver a mãe numa situação que talvez não tenha volta, Anne corre para que chegue a tempo de reparar seus erros até que algo inesperado acontece. Anne fica presa em um mundo de fantasias onde a única coisa que pode salvá-la é um tesouro que existe no final do Arco-íris. Disposta a se arriscar em uma aventura perigosa, ela mergulha no mais profundo mistério do oceano na tentativa de ser perdoada  pala mãe. Dentro do desconhecido, Anne precisa correr atrás desse tesouro para entender o sentindo da vida, e nessa procura faz descobertas inimagináveis, passa por provocações tortuosas e em cada uma delas leva uma batalha no coração e uma lição valorosa para si.
Você já se perguntou qual é o tesouro no final do Arco-íris? Será que Anne vai ser capaz de encontrá-lo?
Anne é uma adolescente comum que nos apresenta sua história em primeira pessoa. No início, parece que só teremos a história de mais uma adolescente com seus problemas internos, mas não é só isso. Com seus pais se separando, Anne terá que mudar e passar a viver somente com a sua mãe. Do Rio de Janeiro, ela está indo para São Lourenço, uma cidade pequena e bem diferente da qual está acostumada a viver. Mas isto não é o pior. Anne não se dá bem com sua mãe, na verdade, ela acredita que a odeia, mas agora será obrigada a viver com ela.
Anne pensa e reflete sobre muitas coisas, especialmente sobre a morte. No início, até parece que estamos falando de uma adolescente depressiva ou algo do tipo, mas então, rapidamente ela vai nos apresentando fatos. Anne discutiu com sua mãe e não está disposta a pedir perdão, pois é orgulhosa. Ela vem sentindo algumas sensações estranhas e até tentou se desculpar com a mãe, mas o orgulho falou mais alto e ela desiste. Porém, Anne descobre que sua mãe foi baleada e está no hospital em estado grave. Ela se desespera e tenta ir até sua mãe, pedir perdão e deixar o orgulho de lado. Mas o destino não se importou com isso.
Anne sofre um acidente e entra em coma, mas neste coma ela acaba sendo levada para um mundo de fantasias e fica presa lá. Com seres mitológicos, magia e tudo o que a mais a sua imaginação permitir, Anne precisa encontrar o tesouro que sua mãe deixou para ela no final do arco-íris, mas para encontrá-lo irá percorrer um caminho reflexivo que a fará entender quem realmente se é e o que realmente deseja e principalmente o que verdadeiramente precisa.
Eu realmente li este livro em uma tarde, mas não porque ele é razoavelmente pequeno e sim porque ele consegue nos prender na leitura a cada fim de capítulo. Eu não gosto de ler sinopses e então não tinha ideia do que esperar do livro, portanto, quando fui começar a lê-lo realmente estava receosa e com medo de não gostar. Acredito que eu não esperava de forma alguma o que realmente estava em suas páginas. Eu amo a filosofia e a autora traz tanto dela para a história, porque afinal, ela é a base da reflexão, então a leitura foi fascinante para mim e eu realmente me surpreendi.
"Todos querem ir para o céu, mas ninguém quer morrer."
Anne é uma adolescente normal. No início, como eu não li a sinopse, pensei que estivesse entrando em uma história adolescente, na qual ela iria para uma nova escola, faria novos amigos e se apaixonaria, porém, isto é logo descartado porque a protagonista provoca pensamentos que nos permitem entender que a história dela não é aquilo ali. Pelo menos, não é só aquilo. Ela pensa. Ela reflete. Ela se posiciona diante das coisas. Mas parece que temos uma protagonista que deseja a morte ou pelo menos se preocupa muito com ela. Anne mesmo que não perceba, nunca está no presente, sempre está pensando no passado ou tendo medo do futuro, mas nunca focada realmente no presente e isto nos traz pensamentos e reflexões assim como para a protagonista.
"Perco tanto tempo, que já se passaram muitos anos da minha vida, e eu nada tenho, nada sei, nada faço e nada sou; vivo me redescobrindo a cada dia que passa, depois de tantas mutações." 
Temos muitos personagens secundários nesta história, mas nenhum que realmente faça parte dela. Muitos personagens passam pela vida de Anne, principalmente nesta caminhada atrás do tesouro, mas eles necessariamente não se tornam uma parte do conjunto com suas histórias. Acho que é a primeira vez que digo isto, mas é realmente a primeira vez que uma história não me fez pedir por personagens coadjuvantes que trouxessem suas próprias histórias e isto foi uma experiência muito interessante. Anne estava ali com seus medos, seus remorsos e seus desejos. Era sobre ela e ninguém mais.
"Que sentido tem a vida? Um dia vamos ir embora sem nada levar, sem ninguém para nos acompanhar. Sozinhos nascemos e sozinhos vamos morrer. Parece-me uma brincadeira inútil, que leva a caminho nenhum, para um monte de nada." 
Muitos escritores não são necessariamente as pessoas mais inteligentes que conhecemos, e eles não precisam ser, mas é claro que percebemos pela escrita e desenvolvimento de suas histórias o conhecimento que eles carregam. Marine Melo realmente parece ser uma admiradora da filosofia, da reflexão e de tudo que nela envolve e isso já foi um dos motivos pelo qual eu me identifiquei com o livro, mas mais que isso, acredito que qualquer um possa ver o conhecimento de Marine pela sua escrita. Os pequenos poemas nos começos de cada capítulo são sem dúvidas brilhantes e as questões trazidas por ela permite-nos refletir, mesmo que estas questões sejam simples e cotidianas, mas são justamente estas que deixamos passar. Acredito que ao ler tudo o que ela traz e refletir sobre aquilo é como se estivéssemos com a autora e ela estivesse nos dizendo seus anseios.
Acredito que Arcórnio é uma história que se desenvolve muito rápido, principalmente no início e isso não nos permite aprofundar mais no que a autora traz. Ao passar dos capítulos isto melhora muito e vemos cada vez mais o conhecimento que a autora tem e busca, porque acredito que o maior conhecimento que podemos tê-lo é a busca constante por ele. Espero que em futuros livros, Marine nos permita aprofundar mais em sua escrita e tudo o que ela traz consigo.
"Mas viver nessa morte, com certeza é muito pior do que morrer; eu não tenho escolhas a não ser juntar os meus pedaços partidos e viver, continuar minha vida jamais terá algum sentido de novo."
Arcórnio é um livro despretensioso que realmente nos surpreende por tudo o que traz. Em uma mistura de fantasia, onde a autora realmente mexe com o nosso imaginário, ela nos leva a reflexões muito importantes, interessantes e que muito vezes nem pensamos, como a morte. O que ela é? O que acontece? Você tem medo de morrer? Você tem mais medo de morrer ou de alguém que você ama morrer? Se alguém próximo a você morrer amanhã, você terá coisas das quais se arrependerá? Por que não deixar o orgulho de lado para não se arrepender amanhã? E isto é só o básico de tudo o que o livro traz. Arcórnio com sua mistura de fantasia e reflexão realmente nos apresenta uma história interessante e que merece ser lida.
"Eu considero a hipótese de que o suicídio seria tentador suficientemente para me conquistar."
Arcórnio vem com a missão de nos dar o bom senso, permitindo que o senso comum seja questionável. Quantas situações nossa sociedade acredita ser uma verdade porque é um senso comum, mas na realidade sabemos que não é assim? Precisamos questionar. Somos seres racionais para podermos criticar, questionar e mudar. Viver é uma verdadeira incógnita e questioná-la não nos torna tolos e sim sábios. O conhecimento é acessível para todos que o buscam e Arcónio vem para nos mostrar isto, afinal o maior tesouro e a maior incógnita que temos somos nós mesmos.
"A única coisa que vale a pena é ter a leveza de uma consciência tranquila, a leveza de dar um carinho, de destacar as qualidades ao invés dos defeitos." 
 Adquira

5 comentários:

  1. Oi, Gabi!
    Menina, amei o novo layout! Ficou lindo *o*
    Achei o título do livro interessante e diferente... Seria a mistura de arco-íris com unicórnio?
    Essa questão de morte que a autora levanta me lembrou muito O Ceifador e eu amei esse livro. Por conta disso, quero dar uma chance.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra ao livro Depois do Fim autografado

    ResponderExcluir
  2. Oi
    que bom que gostou e legal que a protagonista preencha toda a história sem precisar de coadjuvante, parece ser uma história que fale de perdoar, perder alguem que ama.
    PS: Gostei do layout.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá Gabi!
    Adoro livros para se ler em uma tarde <3
    Gostei da premissa, algo bem diferente e mágico, né?
    E que layout mais amorzinho <3
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Gabi.
    Eu não conhecia esse livro ainda e acredito que pelo menos no momento eu não leria ele. Mas achei interessante a autora usar de tanta reflexão em um gênero que geralmente não tem muito disso. E amei o novo layout do blog.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi Gabi!
    Não conhecia o livro ainda, mas achei a capa uma graça!
    A história promete ser emocionante também.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir