RESENHA | Mulheres Que Não Sabem Chorar – Lilian Farias

Livro: Mulheres Que Não Sabem Chorar
Autora: Lilian Farias
Editora: Giz Editorial
Páginas: 208
A vida de Marisa é regida pelo controle. Seja à frente do seu trabalho ou da vida dos filhos, ela é racional, mantendo-se sempre fria, um ser à parte das banalidades, cuja única preocupação é ser um exemplo. Olga é sua antítese. Sentimentos à flor da pele, dor flagelando a carne, pensamentos embaçados pelo esquecimento proporcionado pelo álcool. Sozinha, preocupa-se em apenas ser, em um mundo cercado por fatos que não reconhece mais como seus. Enquanto isso, Ana e Verônica esbarram com o acaso.
Duas senhoras solitárias, vizinhas e antagônicas. Será que um dia alguém acharia que poderiam viver em paz? Mais ainda, será que poderiam se apaixonar? Duas jovens livres e independentes. O que as impede de ficar juntas?
Mulheres que não sabem chorar é mais que uma história de amor entre iguais. Junto a estas personagens tão humanas, o leitor vê-se despido dos preconceitos, pudores e medos. Ora crua, ora poética, a trama nos obriga a enfrentar o espelho e se ver como nunca imaginou antes. Pois ao mergulhar neste romance, o que fará você pensar não é a forma como vê o amor, mas sim a forma com que ele se volta em sua direção. Esteja preparado.
Marisa é uma mulher muito autoconfiante que tem tudo ao seu controle. Uma ótima profissional, cobra muito de seus funcionários e em casa, cobra muito de seus filhos. Viúva, ela leva uma vida que considera ser boa para si mesma, mas então tudo começa a se tornar um pouco diferente, como quando seus filhos vão embora para a Europa por causa do intercâmbio. Marisa lembra-se de não chorar quando eles nasceram e muitas vezes se sentiu inútil sendo só a mãe deles, mas ao vê-los ir embora ela tinha a certeza de seu amor por seus filhos e ela não conseguia negar, estava machucando-a vê-los partir. Porém, não foi só isso, tudo se torna bem diferente do habitual quando sua vida cruza com a de Olga. Já se conheciam e não se gostavam, mas aquele momento fora diferente, afinal, Marisa estava ajudando-a.
Olga é uma mulher que se permite sentir, mas a vida não lhe foi tão boa e os acontecimentos a levou para um desejo insaciável em busca pelo esquecimento e Olga o encontrou na bebida. Se entregando a bebida, Olga perdeu tudo o que ainda lhe restava. Perdeu a filha. E por isso, em busca de atender ao último pedido de sua filha, ela tenta controlar seu vício, procura ajuda e tenta realmente viver, mas não é fácil, ainda mais sendo uma mulher neste mundo tão machista. Mas Olga encontrará ajuda na pessoa que menos espera: Marisa. A vida dessas duas mulheres já consideradas senhoras e que são vizinhas se cruzam, mesmo que o ódio recíproco tenha sido sempre constante entre elas, e agora, esse ódio possa ser amor.
Ana é uma jovem que luta. Luta pelo outro, luta por ser mulher, mas ao mesmo tempo parece presa em si mesma, sem conseguir se salvar, sem conseguir ser realmente a mulher que é. Aparentemente uma jovem normal, que o único problema é se formar na faculdade, Ana tem muito mais dentro de si, ela tem anseios e receio pois ao mesmo tempo em que anseia ser livre, o receio e o medo do que já lhe aconteceu no passado a perseguem. Quando conhece Verônica, Ana parece ver a luz através de seu sorriso, mas algo impede que estas duas jovens fiquem juntas e a partir daí, Ana conhecerá Marisa e juntas, irá abrir suas feridas de seu passado, o mesmo passado que a mantêm presa. O que liga todas essas mulheres? Todas lutam por algo e nenhuma sabe chorar, mas mais que isso, a sociedade as une, seja pela crueldade, pelos padrões ou pelo machismo. Elas são só mais algumas das vítimas da nossa sociedade.

Sempre é difícil começar uma resenha, tentar trazer resumidamente o que é, o que transmite um livro é um desafio constante para mim. Entender o que criticar, seja positivamente ou negativamente demanda muito cuidado, mas o que já falei aqui no blog e ainda é bem verdadeiro, é muito difícil resenhar um livro no qual você só tem elogios. Mulheres Que Não Sabem Chorar é forte, é lindo, é empoderado, é real e é brutal. Transmitir para vocês o que é este livro, é um grande desafio, mas antes de mais nada, precisam que saibam que este livro deveria ser lido por toda a nossa sociedade que ainda é tão machista e tão opressora. Ele é um grito de quem todos os dias sofre com essa sociedade.
"Ainda me restava decorar, por dentro, uma alma vazia. Uma infância tempestuosa; uma adolescência limpando os destroços deixados pelas tempestades da infância. Adulta, uma mulher sem coragem para enfrentar seus próprios monstros. Cansada demais para tentar. Ferida demais para reagir. Anestesiada. Se lugar neste mundo. Apática à vida."
Mulheres Que Não Sabem Chorar não apenas uma protagonista ou duas, ela tem várias, ela tem as mulheres que representam todas as outras que constantemente sofrem, mas aprendem a não chorar, porque viver neste mundo já é considerado algo normal e chorar não irá resolver. Marisa, Olga, Ana, Verônica e todas as outras mulheres que fazem parte desta história são tão diferentes entre si e ao mesmo tempo tão iguais, pois todas tem o mesmo anseio de ser livre. 
Elas são a representação de que um autor consegue criar e desenvolver personagens reais, humanos, cheios de qualidades e defeitos, capazes de amar, mas também de sentir ódio, de desejar justiça, mas também desejar vingança. Por mais cruel que pareça ser ter esses sentimentos "ruins", eles nos tornam reais. Ninguém vive cem por cento feliz. Ninguém só sente amor. E isso não torna ninguém ruim, mas como você lida com eles sentimentos, determinará o que se tornará.
Falar de personagens específicos é tão impossível neste livro, porque todos nos mostram a realidade, a dureza de viver, de ser mulher e fazer parte desta sociedade. Tanto a Marisa, a Olga, a Ana ou qualquer outra, independente de suas atitudes, boas ou ruins, nos trazem uma realidade cruel e nos prende em suas histórias, até porque, a verdade é esta: não existe contos de fadas, a realidade é desafiadora e é cruel.
"Todo mundo tem algo a dizer, todos nós temos experiências fabulosas, só que em algum lugar do mundo a arte de ouvir fora perdida com a própria arte de viver."
Falei tanto sobre as personagens mulheres que compõe esta história e o quanto elas mostram da nossa realidade machista que preciso dizer sobre uma questão levantada por uma personagem na história que a autora traz: "Só as mulheres sofrem com o machismo?" Muito bem respondida, o livro não vem só para dizer que só as mulheres sofrem, mas na verdade, vem para mostrar que todos sofrem com esta sociedade machista. Como a própria história diz, homens e mulheres são machistas e homem e mulheres sofrem por causa do machismo. 
Quis trazer isto para a resenha para mostrar que este livro é um grito pela liberdade de todos, não só da mulheres, como muitos gostam de se referir ao movimento das mulheres. Não estou falando de feminismo, machismo ou qualquer coisa, mas sim de um movimento a favor a liberdade de todos. Em busca de um mundo melhor. É claro, possivelmente, homens e mulheres não sofrem pelos mesmos motivos, e eu como mulher entendo essa história protagonizada por mulheres e concordo sim em que o mundo é divido pelo gênero, menospreza as mulheres e ter um livro tão bem desenvolvido mostrando isto é a forma concreta de que todos entendem isso, mesmo que alguns finjam não ver. 
Mulheres Que Não Sabem Chorar não luta só pela liberdade e a igualdade para as mulheres, mas luta sim pelo mundo. Luta para que esta sociedade se desprenda dos preconceito e entenda realmente o sentido de igualdade para todos.
"Como alguém que passou por tantas torturas pode se recuperar? Como alguém que só vivenciou o ódio seria capaz de amar?  
Desde a primeira vez que vi algo sobre este livro, ele me despertou a atenção e me fez ter expectativas altas. Afinal, ele parece pedir para ser lido. A história chama a atenção desde o título, mas então você começa a ler, e só aquele início de leitores falando do livro e deles próprios, já consegue te prender, porém não só isso, você está no primeiro capítulo e é como se a sua mente despertasse, a sua imaginação fluísse e então você está dentro da história, está assistindo aquelas mulheres que no início parecem ter uma história despretensiosa que não tem muito a agregar, mas aí você está envolvido pela escrita da autora e percebe o quão inteligente deve ser a pessoa que escreveu aquilo. Largar este livro por um momento sequer será impossível.
Era necessário ressaltar aqui a escrita de Lilian Farias. Essa autora que veio para quebrar tabus, mostrar o seu conhecimento e lutar pela sua liberdade. No início, é bem estranho imaginar como ela ligará todos esses personagens, mas então, ela lhe mostra a capacidade que tem. Ela mostra para o leitor como se dedicou para desenvolver esta história. E com tudo isso, ela prende o leitor do início ao fim em sua história tão envolvente e tão verdadeira.
"E as pessoas continuam inertes a essa realidade. E a mulher que sobreviveu tem que continuar. Seguir em frente. Eu sou uma mulher que sobreviveu. Eu quero segui em frente."
Existem finais bons, ruins, surpreendentes e existem finais que realmente fecham um ciclo. Mulheres Que Não Sabem Chorar é um livro que elogios não são capazes de descrever, mas, então o leitor chega no final, ele vira a última página desta história e percebe que o final dele é surpreendente, bom, realmente está fechando todas as pontas soltas, mas acima de tudo, ele é real. Ele é verdadeiro com a história e talvez, no início, seja meio frustante, mas o leitor entenderá e amará ter lido tal história e ter chegado até chegou, mesmo que isso encha os olhos de lágrimas, o coração ainda está feliz de ter lido algo tão empoderado, verdadeiro, brutal e acima tudo, apaixonante.
"Meu principal plano é ser livre. Presa? Não. Ser livre é um passo de cada vez, inclusive para voar. Se os anos de outrora foram de tortura, quero ressignificar. Transformar dor e angústia em serenidade e sabedoria. Como uma criança que aprende a dar os primeiros passos."
Mulheres Que Não Sabem Chorar é o livro em que todas as expectativas são superadas. É o livro em que a história não é só mais uma. A história é uma luta, não só pelas mulheres, e sim pelo mundo, mas talvez, mostrar a luta das mulheres seja uma forma de lutar por um mundo de liberdade, afinal, as mulheres estão sempre lutando seja por direitos, igualdade, mas principalmente, pela liberdade. Elas aprenderam a não chorar, porque precisam ser forte, afinal, o mundo está contra elas, mas estas mulheres que tanto lutam precisam chorar porque colocar para fora os medos, receios, anseios e tudo o que tem dentro de si é libertador. Faz parte de ser livre. Não só elas, mas todos que sofrem pela sociedade opressora, padronizada, preconceituosa e machista da qual fazemos parte. Enfim, Mulheres Que Não Sabem Chorar é a arte em sua forma mais pura lutando por todos.
"Algumas cargas, só as mulheres compreendem. E quando uma mulher chora aliviada, o universo também sente. Outras mulheres também sentem."
Adquira

15 comentários:

  1. Sua resenha, além de bem estruturada, teve um forte significado para mim, como um lampejo de luz no escuro. Como diz a música "Quando tudo está perdido / Sempre existe uma luz". Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Oi
    que bom que o final é real, pois as vezes precisamos fugir do viveram felizes para sempre. Já li resenhas super positivas dele e fazia tempo que não lia uma resenha, adorei a sua visão e que a história tem várias personagens que são representativas.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que interessante!
    Não conhecia a obra, mas fiquei extremamente animada a ler.
    E gostei muito da capa também.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oie
    O livro tem um enredo forte e teus comentários me deixaram bem curiosa.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Amei a resenha o livro parece ser muito interessante!
    Já curti sua página e já estou seguindo o blog!
    Beijos!
    pequenomundodasresenhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Que resenha incríííííível! Esse livro parece ser demais, ainda mais por mostrar mulheres fortes! Girl Power sempre!
    Adorei e anotei na minha listinha já!
    Beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=plwVPEYShNo&feature=youtu.be

    ResponderExcluir
  7. Parece interessante...

    Se quiser participar e/ou divulgar, separei um presentinho ara uma leitora lá no blog: https://oblogdafenixx.blogspot.com.br/2017/08/sorteando-blog-esta-de-volta.html

    ResponderExcluir
  8. Uaua, mais uma resenha lacradora por aqui <3 Um livro com mulheres fortes, realmente parece interessante! E gostei da capa tb!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Amei sua resenha, ainda não conhecia a obra!

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá, Gabi.
    Infelizmente eu não gostei desse livro. Achei bem decepcionante. Achei que ia encontrar uma coisa e encontrei outra. E também odiei a Marisa. Só o final que me surpreendeu.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  11. Meu Deus que resenha maravilhosa.
    Esse livro parece ser otimo.
    Acho importante esses livros desmonstrando a força da mulher .Amei demais

    Beijos

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
  12. Oi, Gabi

    Concordo com você, realmente resenhar livros que a gente curtiu muito é bemmm mais difícil!
    Eu pensei que não conhecia o livro, pois não lembrava da capa, mas lendo a resenha me recordei do enredo, que li em outras resenhas.
    Gosto de histórias que passam uma mensagem para o leitor e que abordam assuntos importantes. Há leituras que são muito edificantes e que acrescentam muitas coisas na nossa vida, essa parece ser uma dessas histórias!

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Gabi!
    Não conhecia esse livro, mas achei a premissa interessante. Só em saber que ele acrescenta tanto e tem uma mensagem tão forte, já me deixa muito feliz.
    É ótimo finalizar uma leitura e ela se tornar tão boa que você não consegue descrever, embora seja dificil falar sobre ela. Vou procurar mais sobre a obra.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Alguém me dá esse livro please?! perfeito!
    Quero ainda mais por causa desse quote no final!
    Como eu nunca tinha ouvido falar dele? vai pro meu skoob.
    www.omundodatutty.com

    ResponderExcluir