SETEMBRO AMARELO | Vamos Falar Sobre Suicídio? Livros Que Falam Sobre Suicídio

Suicídio é algo no qual é necessário falar e por mais que hoje o tema seja mais debatido do que antes, ainda é preciso falar mais, pensar mais e tentar entender mais para poder procurar ajuda e também para poder ajudar. 

Diferente das listas que costumam ser postadas no Magia é Sonhar, hoje vamos abrir este espaço para falar deste assunto que ainda afeta a tantas pessoas. Claro, vamos relacionar isto a livros e no quão importantes eles são para o mundo quando o autor se propõe a escrever sobre algo tão real da nossa sociedade, como é o suicídio.

O mês de setembro é o mês da prevenção do suicídio e temos a campanha Setembro Amarelo com o objetivo de alertar e conscientizar ao pessoas sobre os casos de suicídio no Brasil e no mundo e claro, mostrar suas formas de prevenção.
Mas é claro que essa campanha não se limita só a setembro, até porque o tema do qual tratamos é algo constante na nossa sociedade.

Mesmo se falando tanto hoje em dia, o julgamento em cima das pessoas que cometem tal ato ou tentam é muito grande. Claro, para quem está bem consigo mesmo, não tem nenhum tipo de depressão, é difícil compreender que alguém não possa valorizar a própria vida, mas já está mais do que na hora de procurar conhecer e entender o que realmente acontece com essas pessoas. Não estou falando que suicídio é o certo, mas se a gente que entende o valor da vida procurar entender o que está acontecendo com essas pessoas, podemos tentar ajudar e a real verdade é que é isso que elas precisam. Essas pessoas precisam de apoio, de ajuda. Elas precisam de motivos para viver e você pode ser a pessoa que vai estender a mão e lhe dar o apoio e os motivos necessários para que ela tenha valor na vida.


Para entendermos mais sobre este tema, hoje em dia é muito simples, pois temos um vasto campo de pesquisa na internet. E para aprofundarmos ainda mais isso, alguns autores desenvolvem muito bem livros que falam sobre o tema e além de te mostrar tudo, a história te permite sentir o que o personagem está sentindo. Te permite entender e ver como ele precisa de ajuda.
Toda obra de arte que se propõe a discutir, debater e explorar temas presentes em nossa sociedade, como o suicídio é simplesmente um grito para que todas as pessoas entendam, procurem ajuda, ajudem e simplesmente não julguem. Depressão é formada por muitas camadas e ninguém sabe ao certo o que feriu tanto aquela pessoa, mas apontar o dedo e julgar não ajuda ninguém, e mais, talvez um dia aconteça com você ou com alguém da sua família.
Se acontecer você, o que espero que não, você vai precisar do apoio dos outros e se vir acontecer com alguém próximo a você, será você quem precisará oferecer ajuda. Por isso é tão importante compreender, os números de suicídios são exorbitantes tanto entre jovens quanto adultos e isso não é algo que possamos ignorar. Pesquise na internet, assista filmes, leia livros, faça o possível para sempre compreender mais sobre este tema para que você possa ser a pessoa vai ajudar alguém a não entrar para as estatísticas.

De todos os livros que já li, muitos são sobre a depressão e o quanto isso pode levar uma pessoa a pensar e infelizmente a realmente se suicidar, e por isso trouxe três livros que li que mostram pessoas que simplesmente não viram mais alternativas que não fossem dar fim a própria vida. Esses livros mostram dois lados de uma história, porque temos uma pessoa que não conseguiu ajuda e não conseguiu encontrar motivos para continuar vivendo, enquanto temos um personagem afetado por isso, que também está sofrendo e que talvez possa querer seguir o mesmo caminho, mas quando encontra um alicerce, um motivo ou qualquer coisa, ele volta a entender o valor que tem a própria vida. 

Cartas de Amor aos Mortos – Ava Dellaira 

Preste a começar o ensino médio, Laurel decide mudar de escola para não ter que encarar as pessoas comentando sobre a morte de sua irmã mais velha, May. A rotina no novo colégio não está fácil, e, para completar, a professora de inglês passa uma tarefa nada usual: escrever uma carta para alguém que já morreu. Laurel começa a escrever em seu caderno várias mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Elizabeth Bishop... sem nunca entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era – encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um – é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.
Quando li este livro, nem passava pela minha cabeça ter um blog literário e naquela época, minha mãe estava em depressão e infelizmente, não fui a pessoa quem a ajudou. É muito claro que a depressão não afeta só a pessoa que a tem, mas todos a sua volta e isso me afetou. Começar a ler livros que retratavam este tema foi a minha ajuda, foi o que me fez melhorar e então foi assim que consegui me reaproximar da minha mãe. Cartas de Amor aos Mortos é um livro em que uma garota que sofreu tanto encontra a sua válvula de escape escrevendo cartas aos mortos em um trabalho de inglês. É muito difícil pedir ajuda e contar o que está acontecendo e este livro te mostra isto. O que seria da Laurel se não procurasse ajuda? Teria o mesmo fim que a irmã? Depois de tanto sofrer, quais motivos tinha para viver? Ela encontra esses motivos, ao mesmo tempo em que vai contado sua história para o leitor e pode ter certeza de que você se sentirá na pele da personagem e também vai entender a importância que é se ter apoio.

Eu Estive Aqui – Gayle Forman 

Desde pequenas, Cody e Meg são inseparáveis. Elas sempre planejam deixar a cidadezinha onde moram, em Washington, e estudar juntas em Seattle. Porém, tudo muda quando Meg consegue uma bolsa integral de uma faculdade prestigiada e vai embora sozinha. Sem a mesma sorte, Cody fica presa na cidade, fazendo vacinas para ajudar nas despesas domésticas.
O destino das duas parece selado, até que Cody recebe a pior notícia de sua vida: Meg se matou. Com uma meticulosidade macabra, sua melhor amiga encomendou um veneno com um alto nível de eficácia e escreveu e-mails a familiares e amigos, programando o envio para depois de sua morte, de forma que ninguém interferisse na decisão fatal.
Por mais que se esforce, Cody não consegue entender por que Meg se suicidou. Quando começa a investigar o que há por trás da morte, ela logo depara com o culpado perfeito: Ben McCallister, o músico metido a galã que vai para a cama com o maior número possível de garotas. O cara que era amigo de Meg e que a abandonou depois de transar com ela.
Contudo, com tempo, Cody percebe que a questão é muito mais complexa do que uma decepção amorosa. Suspeitando de uma frase enigmática do bilhete de suicídio da amiga, ela mergulha num universo virtual obscuro e sedutor e descobre um lado sombrio da própria mente, que a assusta, mas, ao mesmo tempo, a ajuda a lidar com a morte da amiga.
Quanto mais avança na investigação, mas Cody percebe que, para seguir com sua vida, precisa perdoar Meg e, o mais importante, perdoar a si mesma.
Depois de descobrir que sua melhor amiga se suicidou, Cody se pergunta como uma garota que tinha tudo, que estava na melhor fase de sua vida e tão feliz poderia ter dado fim a própria vida? E mais, como ela não sabia que a amiga estava sofrendo?
Esse livro da Gayle nos mostra o quão preocupante é os grupos existente na internet que apoiam o suicídio e que você precisa entender que aquilo não é ajuda. Ao mesmo tempo em que temos a visão de alguém que não conseguia enxergar a fraqueza da melhor amiga. É claro que se soubesse, Cody tentaria ajudar, mas já era tarde demais. Trazendo estes lados da questão, também temos o sentido de valorizar o que se tem, porque sermos felizes com o que temos é melhor do que sofrer pelo que não temos. Uma pessoa que tinha tudo, pelo visto não tinha motivos para viver, enquanto outra que não tinha nada, tinha vontade de conquistar o mundo e isso é mais que motivo para viver.

A Teia dos Sonhos – Karine Aragão

Júlia e Laura são duas adolescentes, de 16 anos, que, para eternizar a forte amizade que as une, decidem tatuar uma Teia dos Sonhos em seus braços. A euforia pela tatuagem única, desenhada por Júlia, esvai-se no dia seguinte, quando ela recebe a notícia de que Laura suicidara-se na noite anterior, atirando-se da janela do 13º andar. Júlia vê seus dias tomados pelo caos, em um misto de saudade e de raiva, sem saber os motivos que levaram Laura a tirar a própria vida. Júlia, então, embarca em uma busca que a leva a perceber os fantasmas que invadiram a cabeça de Laura e a refletir sobre sua própria vida. No meio de todo esse turbilhão, a presença de Bernardo representa a dúvida se o amor pode mesmo ser mais forte do que uma grande mentira.
Era óbvio que nesta lista não podia faltar este livro nacional que fará qualquer um chorar e sorrir com uma história tão real e tão emocionante. Novamente, temos duas adolescentes, uma que dá fim a própria vida, enquanto a outra que não entende o porquê da amiga ter feito isso, acaba entrando em um turbilhão de sentimentos e a busca por resposta pode levá-la a também uma depressão.
Mesmo que pareça um spoiler, a importância do livro não muda com o que vou falar. O mais importante deste livro é quando vemos que Júlia que nunca sequer pensou em suicídio, começa a não encontrar solução para nada e talvez isto seja uma opção, mas então, quando ela encontra ajuda, quando se permite realmente refletir, ela e o leitor entendem o que é encontrar motivos para viver. Ela entende a valorização da vida e o que é uma luta contra o desejo do fim dela. Tratando-se de suicídio entre jovens, este livro é importante para pais e filhos lerem, na verdade todos deveriam lê-lo. Sem dúvida, é incrível o que esta autora faz em tão poucas páginas.

Mostrei três livros que acabam mostrando estes lados da questão, mas existem vários outros. Um famoso, como As Vantagens de Ser Invisível que não mostra o suicídio, mas fala muito bem sobre depressão, é muito importante. Tenho dois na minha lista para ler que falam sobre o assunto: Os 13 Porquês e A Playlist de Hayden. Mas não só livros, existem séries, filmes, documentários, até músicas sobre o tema. E essas obras artísticas retratam com primor um tema tão forte, tão real e infelizmente, tão devastador. Não existe desculpas para você não procurar saber mais, pesquise, leia, assista e por fim: ajude. O mundo precisa de pessoas que não sejam acusadas de ser um dos porquês de se matar, mas precisa de pessoas que seja um dos porquês de viver.
Falar sobre suicídio é necessário e o que falei aqui não é nem o mínimo do que é preciso, mas se cada um se propor a falar, a prevenir que pessoas achem que a solução é o fim da própria vida, tenho certeza de que os números de estáticas destes casos irão diminuiu muito.
Não é vergonhoso procurar ajuda e não é vergonho ajudar, porque será assim que teremos o maior orgulho de valorizar a vida.

19 comentários:

  1. Oie!
    Li apenas um livro sobre esse tema, e chorei horrores. Como você falou, não é vergonhoso pedir ajudar, e espero que mais pessoas se conscientizem sobre isso.
    Parabéns pela postagem e por falar se um assunto tão importante!

    Beijos!
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gabi!
    Também acho super importante falar sobre depressão e tudo que acarreta, mas de uma forma que não seja romantizada.
    Desses livros, li somente os dois da última foto.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio de aniversário do Balaio de Babados e O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Oie
    Eu evitava ler livros com estes assuntos, mas acho importante debater o assunto e os livros podem ajudar muitas pessoas. Adorei as dicas.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá! =)
    A depressão é realmente algo muito cruel e é a partir dela que o suicídio ganha espaço né. De pensar que algumas pessoas julgam de forma tão ruim uma pessoa depressiva... "É dengo, é mimo demais, é mimimi demais..." Acho isso tão cruel. POr isso, é realmente muito bom ler, como você disse, para poder conhecer e ajudar.
    Postagem muito importante. Vamos usar aquilo que a gente ama para conscientizar. E de todos os livros que li com esse temática "Os 13 por quês" foi o que mais me deixou arrasado!

    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Desses da lista, li Cartas de amor aos mortos e gostei bastante. Quero muito ler Eu estive aqui, parece ser muito bom!

    Beijos,
    Isa
    http://viciadas-em-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Palmas para o seu post! A depressão é um mal que vem afetando gradativamente um grande número de pessoas e posts como o seu são completamente necessários para nos conscientizarmos dessa realidade e de estar pronto para ajudar o próximo que estiver precisando. Com uma palavra amiga, e inclusive encaminhando-o à um psicólogo, que poderá ajudar de forma melhor. Os livros citados são sensacionais, mas o que mais me emocionou ainda é Por lugares incríveis. Se não conhece, leia, acho que você vai gostar!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Vi uma postagem esses dias com o mesmo tema, aqui eu infelizmente não conheço nenhum dos livros citados, mas sim precisamos falar sobre isso.

    clebereldridge.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi.
    Eu acho muito legal e importante a iniciativa do projeto do governo, é extremamente importante que o assunto seja mais debatido e conhecido. Eu sempre vejo as mesmas listas de livros, então fiquei mais animada ao ver alguns que mal conhecia. Super indico Quando tudo faz sentido que é um livro maravilhoso e muito abordado sobre o tema.
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Gabi!
    Infelizmente, passo por isso e afeta muito as pessoas ao meu redor, a minha única saída são os livros. Leio muito livros que falam da depressão e me ajuda um pouco, mas não 100%. É muito dificil, porém, não é impossivel. Além de eu lutar comigo eu tento ajudar outras pessoas que estão na mesma situação e ainda tento passar para as pessoas o que acontece com a gente, mas, muitos não entendem e julgam. Dos livros que você listou, eu li apenas as vantagens de ser invisível. Mexeu muito comigo e me fez refletir.

    beijinhos, Jenni.

    sinopsedoslivrosjenni.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bom?
    Esse assunto é algo extremamente delicado e muito importante. Tão importante que eu acho válido não tocar nesse assunto só em setembro. Temos que ser sensíveis para receber pessoas que precisam de ajuda em todos os meses do ano. Não é mesmo? :/
    Sei lá, tanta gente precisa de ajuda e algumas pessoas só lembram disso em setembro, sabe? Isso me incomoda um pouco. (desculpa meu desabafo!)
    Gostei do livro Carta de amor aos mortos. Só esse título me prendeu bastante e achei bem forte.
    As vantagens de ser invisível eu não li, mas eu assisti ao filme.
    Ótimas dicas! Beijos
    5 O'clock Tea

    ResponderExcluir
  11. Olá, Gabi.
    Os três primeiros livros estão na minha lista de leituras. Acredito que quanto mais lermos sobre o assunto melhor vamos identificar os sinais ao nosso redor. Minha prima teve depressão e quase se matou e ninguém percebeu. É algo muito delicado e que as vezes está acontecendo debaixo do nosso nariz.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  12. Oi

    Atualmente varios livros veem abordando esse assunto do suicidio.Ainda não encontrei nada falando desse assunto usando o cenario o Brasil ,mas principalmente os escritores americanos vem abordando bastante o tema.
    Desses livros eu ja li "Carta de amor aos mortos ", "Os 13 porques " e "A playlist de Hayden"
    O do Hayden,eu particularmente achei meio chato :/.

    Beijão
    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
  13. A Playlist de Hayden foi uma leitura que não consegui acabar, não sei porquê, mas aborreceu-me muito! Também tenho os 13 porquês em lista de espera e esse da Gayle Forman está na minha wishlist. =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  14. Oi, Gabi

    Acho que o setembro amarelo é essencial para a conscientização sobre o assunto. Eu não leio livros com o tema porque eu não curto, então não li nenhum desses, mas quanto mais o assunto for debatido mais fácil identificaremos possíveis suicidas e poderemos ajudá-los.

    Beijo
    - Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  15. Oi Gabi! Eu acho muito bacana a discussão do assunto e como sempre vc sempre escreve muito bem! Não leio muito sobre o tema, mas tenho vontade de ler Se eu estive aqui e tb Os 13 porques!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  16. Oi
    desses que você falou eu só li Carta de amor aos mortos, uma história muito boa e que mexeu muito comigo. A Playlist de Hayden eu já li confesso que me revoltei com algumas coisas na história, pois ninguém parecia se importar.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi Gabi,
    O livro com essa temática que mais me impactou foi 'Por Lugares Incríveis'.
    Precisamos falar sobre isso, é um tabu, mas muitos precisam de ajuda.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Gabiiii infelizmente eu nunca li nenhum dos livros citados, tenho cartas de amor aos mortos, mas ainda não li e quero ler em breve hahaha. Amei o seu post e essa iniciativa, muitos veem isso como uma coisa boba, mas suicídio é muito mais que isso Parabéns eu amei.

    Um beijo da Jhenny

    ResponderExcluir
  19. Oi! É um tema que tem que ser debatido constantemente e os livros abordarem o assunto é super importante. Bjos ❤
    Click Literário

    ResponderExcluir