Primeiras Impressões | Doce Amargo II – Evelyn Santana

Livro: Doce Amargo – Livro II
Autora: Evelyn Santana
Editora: Essência Literária
Livro anterior: Doce Amargo – Livro I | Resenha
Para Melinda Blackwell, descobrir que seu casamento era apenas uma farsa foi a coisa mais dolorosa que poderia ter lhe acontecido. Os beijos que ela tanto amava, os toques que a enlouqueciam… nada disso era real. Ela não teve escolha, a não ser pedir o divórcio. Agora precisava seguir em frente, dando tudo de si para que a dor que Robert lhe causou não a transformasse numa pessoa irreconhecível.
Enquanto Linda batalha para reconstruir sua vida, Robert se dá conta de quão errada a vida dele parece sem a esposa ao seu lado.
Sozinho na mansão Blackwell, sem nunca ter alguém com quem dividir um momento importante, ele é frequentemente transportado para os dias leves e felizes que Linda costumava lhe oferecer.
Melinda sabe de uma coisa: tem que superar, mas esquecer é praticamente impossível. Quando se entregou a paixão e amou perdidamente, teve seu coração despedaço por um simples testamento. Quando a felicidade parecia tão real em sua vida, descobriu que seu casamento não passava de uma farsa. Entendendo que Robert nunca lhe amou, ela decide ir embora.
Não podia continuar vendo-o. Não podia vê-lo e se lembrar que todos os beijos, todos os toques, todas as vezes em que se amaram não passaram de fingimento. Morando agora com a amiga, ela tem um novo emprego e um caminho para seguir sua vida. Sabendo que é impossível esquecer tudo o que viveu, ela fica orgulhosa de acordar mais um dia e seguir em frente. E é seguindo em frente que Linda conhecerá Will. Com um encontro armado pela amiga, ela verá no belo sorriso dele, que pode sorrir novamente. Galanteador, Will parece disposto a simplesmente fazer Mel – como ele a chama – feliz e quem sabe, fazer ela se apaixonar novamente.
Robert está sozinho. Vivendo na mansão, ele sente o peso de uma cama ser espaçosa demais para ele, porque a falta que Linda faz é perceptível em tudo. Mesmo que desde o início soubesse que o romance entre eles estava fadado ao fracasso, ele não conseguiu não se entregar, era maior que ele. Ele se entregou e viveu aquela paixão, mas sempre soube que a base daquele relacionamento era uma mentira, e o dia em que Linda também descobriu, Robert sentiu o peso de não ter lhe contado a verdade. A mentira arruinou a única coisa que tinha construído nos últimos anos em sua vida e o pior era saber que essa mentira tinha sido contada por ele mesmo.
Quando Robert percebe que realmente precisa ir atrás dela porque a ama e para mostrar que mesmo que tenha mentido, nunca fingiu o desejo e a paixão que sentia por ela, Linda parece já estar seguindo com a vida. Parece que ela, a real vítima de tudo, talvez tenha encontrado alguém capaz de amá-la de verdade, e no fundo, foi sempre isso que Robert desejou, mas antes de perceber que ele a amava. Enquanto ele tenta conquistá-la novamente, ela experimenta seguir em frente e talvez descobrir uma nova versão de si mesma.

Finalmente, após alguns meses desde que li Doce Amargo, a pré-venda do segundo livro foi liberada e eu estou simplesmente pirando para poder ter o livro em mãos e conseguir ver até onde esta história vai, porque é muito raro um romance me fascinar como este fascinou.
Como ainda está em pré-venda, não posso ter o livro em mãos ainda, não tem como trazer uma resenha completa para vocês, mas estava tão ansiosa que eu precisei trazer as Primeiras Impressões que tive do segundo livro, já que tive acesso há alguns capítulos. Bom, o que posso dizer é: Depois de ler os primeiros capítulos, estou ainda mais ansiosa para poder ler o livro todo.
"Ela se prometeu uma vida nova e, para isso, precisava de atitudes novas."
Mesmo tendo acesso há uma boa quantidade de capítulos, liberado pela autora, eu li somente sete capítulos para realmente ter só aquele primeiro impacto, se não chegaria ao meio da história e acabaria tendo muitas ideias formadas sobre todo o enredo.
O que posso dizer é que em apenas sete capítulos, Evelyn Santana agarrou mais uma vez o leitor, prendendo-o em sua história. 

Logo no início vemos uma mudança em Linda que faz o leitor sorrir. Por mais que o romance entre ela e o Robert tenha sido fantástico e por mais que o leitor torça para eles ficarem juntos, o leitor sente, junto com a personagem, o impacto da mentira e vê que mesmo que ainda doa, ela está realmente tentando seguir em frente e é maravilhoso ver isto. Linda, com toda sua ingenuidade e fé no amor, precisa se reerguer depois da rasteira que a vida lhe deu e ela realmente está tentando e ver que faz bem para ela acordar mais um dia e perceber que está bem, é fantástico. Com isso, nos primeiros capítulos é perceptível o crescimento da personagem. Ela pode estar sofrendo, mas não se redeu ao sofrimento. Ela sabe que merece mais e não se menospreza para si mesma porque talvez alguém não correspondeu ao seu amor.
"O passado estava morto, não devia ser lembrado, portanto já não havia mais razões para chorar pelo que passou, ou sentir pena de si mesma."
Desde o primeiro livro, mesmo que soubesse que estava se apaixonando por Linda, Robert tinha noção de que o relacionamento deles estava baseado em uma mentira e agora, depois de tudo revelado, podemos ver as consequência disso para ele. Mesmo com a herança, mesmo tentando seguir em frente, ele se prende ao que fez, porque ele não é vítima e é bom ver isso. Claro, ele está sofrendo, mas depois da mentira, é o mínimo que poderia acontecer.
Vemos que o personagem tem consciência de que errou ao mentir, mesmo que tenha tido um motivo, quando o James, uma pessoa tão sem sentimentos, joga na cara dele que se ele tivesse contado toda a verdade para a Linda, desde o início, ela teria ajudado e hoje eles poderiam realmente estar vivendo aquela paixão. Então, mesmo que ele pudesse culpar o James e a Susan, ele entende que a culpa é dele e então podemos imaginar que o personagem terá um ótimo desenvolvimento interno.
"Então ela sorriu, porque era o que pessoas fortes faziam ante a dor, lutando para manter a promessa de continuar sua busca pela felicidade, mesmo depois de ter o coração feito em zilhões de pedaços."
Já nos primeiros capítulos, temos um personagem novo: Will. Não sei como será o desenvolvimento dele no livro todo, mas nos primeiros capítulos, vemos um homem capaz e disposto a fazer Linda sorrir. Ele é verdadeiramente um galanteador e provavelmente apaixonado. Mesmo que eu ame o Robert, ver a Linda sorrir e ficar corada perto dele é tão fofo. Ele, com palavras, consegue fazê-la entender que a vida não acabou. Ela pode e deve vivê-la intensamente. Como o aparecimento dele na história ainda não é muito grande, temos, por enquanto, o que ele demostra ser, e ele demonstra ser realmente bom e apaixonante. Mas, talvez, Evelyn Santana possa surpreender.

Ainda não dá para ter certeza se os coadjuvantes terão mais espaço na história, mas acho que sim. Acho que talvez possa nascer um casal que nunca imaginei no primeiro livro, contudo, parece ser interessante e engraçado para a história.
"Ela não tinha esquecido. Nenhum dos dois jamais esqueceria. E talvez por isso doesse tanto."
Mesmo tendo chegado no reencontro do Robert e da Linda, não dá para ter uma noção real de como eles se desenvolverão no decorrer de tudo e se realmente ficarão juntos, mas dá para ver que a Evelyn veio neste livro para trabalhar no desenvolvimento de personagens já tão brilhantes.
A Linda fala que tá construindo uma nova versão de si mesma, mas acho que ela está é realmente se descobrindo e vê-la sorrir com o simples fato de estar se superando deixa o leitor feliz, porque é impossível não se apegar a ela desde o primeiro livro.
"Sentia-me como uma nova Linda. Se melhor ou pior que a anterior, não saberia dizer, mas, com certeza, mais forte e menos ingênua."
Robert vem no início para mostrar que realmente está sofrendo. Ele que acreditava não precisar de ninguém, se apegou aos hábitos de ter Linda por perto, desde o fato de dormir ao lado dela, até ao fato de se tornar mais próximo da família, coisa que ele não era capaz antes.

Estou ansiosa para ver estes dois personagens realmente lutarem em lados opostos, mas pela mesma coisa: felicidade. Robert quer conquistá-la novamente e mostrar que a realmente a ama, mas Linda tem dentro de si a mágoa de saber o porquê dele nunca falar "eu te amo", e ela está aprendendo mais de si mesma. Sabe que não precisa perder a sua essência, mas sabe também que pode seguir em frente sem ele, talvez nunca o esqueça, mas outra pessoa pode fazer ela se apaixonar e a vida segue.
"Ao que parecia, a Mel de que Will tanto gostava era mais diferente de Linda do que eu poderia supor. Era estranho e confortador ao mesmo tempo saber que as duas podiam coexistir dentro de mim, me fazia perceber que Melinda Calle era menos quebrável do que sempre julguei ser."
Quando falo deste conflito entre os personagens, acredito que ele vai passar a ser um conflito entre o leitor que se apega aos personagens. Porque por mais que você queira que eles voltem e sofra com a talvez infelicidade de Robert, ainda tem aquele sentimento que te lembra que a Linda sofreu e que talvez ela realmente possa ser mais feliz seguindo em frente. Enfim, como vocês devem perceber, estou muito ansiosa para saber o que a autora vai trazer realmente para seus leitores.

Intercalando novamente a narração entre Melinda e Robert, é necessário falar novamente do quão magnífica é a escrita desta autora. Falei disso na resenha do primeiro livro, mas ainda assim é surreal a forma como ela demonstra conhecimento e domínio no momento da escrita. Sabe articular bem, o uso das palavras é excepcional e ela consegue tornar a narração, em primeira pessoa, parte do leitor, ela consegue nos levar para dentro da história.
"— Não ter me amado não queria dizer que não tivesse um coração, só que ele não era meu."
O primeiro livro é magnífico, o que deixa o outro impossível de ser melhor, mas não sabemos como, a autora Evelyn Santana consegue, logo em seus primeiros capítulos, mostrar que Doce Amargo II é ainda melhor, ultrapassando a excelência do primeiro.  
Adquira

6 comentários:

  1. Você falou com tanto carinho do livro que não teve como não me deixar curiosa! Achei bem bacana saber que embora o foco seja o progresso da protagonista, a autora também descreve os sentimentos dos outros personagens, o sofrimento e arrependimento deles. Claramente a protagonista é bem forte pra conseguir se reerguer e seguir em frente, e agora ela merece essa chance de se descobrir de novo!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Primeiramente, eu me identifiquei com o título que você deu à publicação, pois esses dias eu estava pensando em qual nome eu colocaria, quando eu fosse publicar sobre o livro que eu estou lendo. Como esse meu blog é novo, será a primeira análise literária que farei e como eu não gosto da palavra "resenha" para esse fim, eu pensei em por "impressões".
    Gostei do seu texto. Não conhecia o livro e adorei a capa dele. Não é lá um estilo de livro que eu estou na vibe de leitura no momento, mas quem sabe mais para frente!
    beijos
    5 O'clock Tea

    ResponderExcluir
  3. Oi Gabi, tudo bem? Nunca li nada da autora, mas eu amo romances e com tanto carinho que vc teve pelo primeiro livro e as boas impressões do segundo, certeza que é uma história inesquecível! <3 Adorei a capa!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Oi, Gabi!

    Não conhecia os livros, mas que bom que o que você já leu do segundo até agora te agradou! É muito bom quando a gente se apega a um personagem e consegue ver o desenvolvimento e amadurecimento dele ao longo da série.

    Beijos,
    Isa
    Viciadas em Livros
    Participe do Amigo Secreto Literário do Viciadas em Livros

    ResponderExcluir
  5. Oi Gabi,
    O livro 2 tem o mesmo título que o 1? Isso me confundiu um pouco, confesso, rs.
    Mas gosto da premissa da história e daria uma chance a obra.
    Parece ter tudo o que eu gosto, rs.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alessandra!
      Sim o segundo livro vai levar o mesmo nome que o primeiro, só mudando a identificação como Livro I e Livro II. Confesso que no início também achei meio confuso, mas a gente se acostuma!
      Dê uma chance sim a obra, é realmente muito fascinante.

      Beijos!

      Excluir