RESENHA | Conto de Dragões – Fabi Zambelli

Livro: Conto de Dragões
Autora: Fabi Zambelli
Editora: Novo Século
Páginas: 416
Mariane, uma jovem universitária no auge de seus 20 anos, tem uma vida pacata e comum. Desde pequena ela sonha com criaturas místicas e sobrenaturais. No entanto, esses sonhos começam a ficar cada vez mais reais. A rotina que ela conhecia é completamente abalada quando um garoto misterioso entra em sua vida. O nome dele é Andrey, e parece ser perigoso – não que isso realmente importe para Mariane, já que ela se sente cada vez mais atraída por aqueles olhos verdes e profundos. Quando Andrey resolve abrir o jogo e revelar quem realmente é, o mundo da garota vira de cabeça para baixo e ela se vê envolvida numa guerra sobrenatural, na qual parece ser a chave da vitória dos dragões sobre os giants – criaturas místicas das quais, até então, ninguém ouvira falar. Mas há mais mistérios ao redor de Mariane do que ser simplesmente a “arma secreta”. Dragões e humanos precisam se unir para vencer um inimigo em comum. E em meio ao caos surge um amor improvável.
Apenas mais uma garota normal, Mariane realmente leva uma vida normal, está com vinte anos, mora com os pais, trabalha e faz faculdade. Mas um belo dia, em seus sonhos, tudo começa a ficar estranho, afinal, ela está vendo dragões, consegue se aproximar deles e são bonzinhos e desejam carinhos. Mas, então ela acorda.
Aquilo tudo era loucura, Mari sempre gostou da mitologia que envolvia dragões e os achava fascinante, mas acreditar que eles existiam já era um pouco demais. Porém, com as coisas estranhas acontecendo, como um garoto ligar para sua casa dizendo que ela é dele, e mesmo brava, ela se encantar com sua vez, como também esbarrar em um garoto que esbanjava beleza e a encantava só de respirar e, claro, continuava a sonhar com dragões, Mariane é levada a conhecer Andrey, o mesmo garoto que ligará para sua casa, o mesmo garoto com quem esbarrará por acaso.
Andrey não esbarrava com Mariane por acaso, ele a seguia. Ele a observava em todos os momentos, até por isso que entrou para a faculdade. Estava ignorando ordens de seu pai que também era seu líder, pois a necessidade de estar perto dela era bem maior que tudo.
Conhecendo-o, Mariane acaba sendo levada para uma realidade bem diferente da sua. Dragões existiam e o garoto por quem estava apaixonada era um deles. Mesmo em choque com as descobertas, Mariane sente a necessidade de se deixar levar pela fascinação e pela paixão.
Entrando cada vez mais nesta realidade paralela, Mariane sabe que os dragões são os bonzinhos da história, mas que o mal está por perto e este mal são os giants, que são criaturas místicas que saboreiam o prazer do caos, da morte e do poder. Depois de destruir muitas raças, eles estão na Terra, dispostos a destruir e terem domínio sobre o poder humano – que mesmo não parecendo, é bem poderoso. Mas os dragões estão aqui para derrotá-los, só não vão conseguir sozinhos e por isso precisam se aliar aos humanos. Contudo, os humanos são facilmente conduzidos a uma realidade falsa e depois de provas forjadas, será que elas ainda ficaram ao lado dos dragões? Se lutarem em lados diferentes, tantos os humanos quanto os dragões serão derrotados. Com uma guerra se aproximando, manter as forças unidas era essencial, mas unir raças tão distintas parecia realmente impossível.
Sabe quando você procura palavras para falar de um livro e realmente não as encontra? O Conto de Dragões é aquele livro que quando você vai indicar para um amigo, não consegue descrevê-lo e só diz: LEIA!
É necessário começar dizendo que o resumo que fiz sobre a história, foi realmente um breve resumo porque é impossível explicar e contar tudo o que é esta história. O livro de Fabi Zambelli tem tanto a oferecer, tem tanta dedicação colocada que isto fica explicito para o leitor. Em seu primeiro livro, ela  escritora realmente veio para mostrar que merece o seu espaço no mercado literário e mostrou mais, mostrou que é a autora que agarra o leitor com suas histórias e os prende, fazendo-o desejar ter mais livros dela para ler.
"– Você pode ser o que quiser – retribuiu com o mesmo timbre de provocação para desafiá-lo.
– Pois bem... – Apoiou-se na mesa. A conversa começaria a mudar de rumo ali. – E você me aceitaria pelo que quer que eu fosse?
– Depende."
Como falei que falar da história era fazer um breve resumo, é impossível falar de todos os personagens desta história porque são muitos e pode se dizer que todos são realmente importantes, então é claro que não vou falar de todos porque ficaríamos aqui por horas.
Nossa protagonista, Mariane, é uma personagem que se desenvolve durante a história. Ela começa como uma jovem normal, com uma vida comum e isso não nos permite ver muitos lados dela. Mas o leitor cria ideia de uma menina empoderada, segura e que não se faz de frágil por ser uma garota, contudo, durante a história, no meio de tudo, ela se perde, o que pode ser muito irritante. As pessoas estão se preparando para uma guerra e ela está chorando porque o garoto de quem gosta talvez não seja tão bonzinho. Isso era irritante demais. Entretanto, depois percebemos o quanto a personagem cresce e é bom ver isso, porque por mais que talvez seja o centro de quase tudo aquilo, outras pessoas, outras vidas estão sendo afetadas, não é só ela e o romance que está vivendo que importa. Quando essas mudanças realmente aparecem, o leitor consegue ver novamente uma mulher forte, guerreira e que luta pela vida e pelo que deseja. Por mais irritante que acaba sendo a personagem em alguns momentos, é maravilhoso ver a forma como a autora trabalha no desenvolvimento dela, indo de um extremo ao outro.
"Deveriam mesmo estar fazendo o errado pelos motivos certos, ou deveriam ter feito o certo pelos motivos errado?" 
Mesmo não me permitindo ler nenhuma resenha do livro porque queria ter a minha experiencia com ele sem saber de nada, foi impossível não ver algumas coisas no instagram e percebi, depois de ler o livro, que muitos adoraram o Andrey, o que acabou sendo diferente para mim. Andrey é um personagem que acabou entrando muito nos padrões, mesmos sendo um dragão, o que é irônico. Ele é muito lindo, chama a atenção de todos, garotas se apaixonam por ele e ele sabe disso e rindo de tudo isso, Andrey se apaixona perdidamente, disposto a tudo por isso, sendo superprotetor e sendo o namorado que todas desejariam. Tudo isso parece uma chuva de elogios, mas para todos que acompanham o blog, sabe que personagens muito perfeitos, que mesmo enfrentando o próprio líder e desobedecendo-o, consegue estar certo no final, me irritam. Acho que esses personagens acabam não tendo muito a oferecer porque não precisam se desenvolver. Andrey mesmo sendo um personagem assim, acaba sendo necessário por ter muitas das respostas que o leitor deseja e isso era a única coisa interessante no personagem.
"– Somos diferentes, afinal. Quero pensar um pouco em mim e em nós. E, mesmo que nossos mundos opostos sejam motivos suficientes para nos separar, o que aconteceu ontem – os dois sentiram arrepios calorosos e involuntários – foi uma das coisas mais perfeitas da minha vida."
Temos inúmeros personagens que fascinarão o leitor, seja ele sendo bonzinho ou não. Todos os personagens são tão brilhantes que a nossa imaginação fervilha imaginando-os e é tão maravilhoso ver cada uma dessas criaturas em nossas mentes. Matheus, Giulian, Luara, Pandora, Tenente Nunes e muitos outros, cada um do seu lado da história, lutando pelo bem e/ou pelo caos, se aliando, traindo, tudo é muito fascinante. Os vilões que acabam mesmo recebendo este título, como o Giulian e a Luara são extremamente maravilhosos. Você pode até odiá-los, mas não poderá negar o quão fantásticos eles são. A forma como são, não só fisicamente, mas a forma de pensar, a compostura e a hierarquia na qual vivem, tudo é muito bem descrito e traz o leitor com força para a história. Enfim, tudo realmente se desenvolve e envolve o leitor que ficará preso entre as ideias e ações de personagens tão magníficos.

Vocês podem se perguntar como eu elogio tanto o livro, mas não gosto de um personagem tão importante como o Andrey e irei explicar. Ele é importante para se ter respostas, é importante para lutar e então é importante para a guerra, mas ele deixa muito isso de lado por um romance que acaba incomodando muito. Não só ele, mas a Mariane, afinal estão juntos, acabam forçando um romance que não é necessário. As pessoas sabem que eles se amam e eles precisam vencer a guerra para ficar juntos, mas mesmo lutando, param para ter uma cena de ciúmes, para se declararem ou para se beijarem. Era irritante, dava vontade de gritar que pessoas estavam morrendo e não eram só eles que importavam no mundo.
Não que não devesse ter romance, mas não precisa ser daquele jeito porque saia de uma realidade de pessoas que precisam desesperadamente matar o inimigo para viver.
O que quero dizer é que são personagens importantes quando estão separados, mas o romance e a paixão aos extremos eram totalmente desnecessário e irritava. 
"Eles iriam atacar os humanos e conseguir o imenso poder espiritual que eles possuíam. Era por isso que os dragões estavam ali naquele momento: por vingança e para tentar salvar ao menos uma raça da lista de vítimas."
 Mesmo não gostando do romance, é impossível para de ler o livro. A autora consegue fazer o leitor sentir a necessidade de continuar e isso extremamente surreal. A cada capítulo, o leitor só deseja mais um capítulo e mais um e mais um, sem parar. Outra coisa simples, mas que foi muito bem feita são os nomes dos capítulos que ela escreveu. É cada um melhor que outro e realmente fazem o leitor ter vontade de começar a ler mais um capítulo.

Uma outra coisa que é realmente necessário elogiar é a escrita da autora que nos permitir não sentir a quantidade de páginas. O livro é extenso, as letras são pequenas e isso parece que vai pesar na hora da leitura, mas além de ter uma ótima escrita, Fabi Zambelli envolve o leitor e juro para vocês, é impossível sentir o número das páginas, quando o leitor percebe, a tarde se passou e ele já está no meio da história ou no fim.
"– Não pense que saímos por aí atacando seres vivos unicamente pelo nosso próprio bem-estar. Somos treinados para resistir à tentação, mesmo quando estamos quase à beira da morte."
Eu não tenho um grande acervo de livros que abordam gêneros como o deste livro, mas tenho alguns, dos quais gosto muito, mas acho que nenhum me fez ficar tão fascinada e extasiada durante a guerra existente do livro. Falando mais uma vez da escrita da autora, ela descreve com tanta maestria cada pedacinho da guerra, desde estar sendo ferido, de estar ferindo, mas principalmente sobre as sensações e emoções que cada um está tendo naquele momento que acaba deixando o leitor angustiado, surpreso e de boca aberta com tudo, não sei como ela consegue fazer isso, mas mais uma vez está mostrando o quanto se dedicou para escrever esta história.
"– Acabamos com os dragões, enfraquecemos os humanos e nada mais ficará em nosso caminho. Estaremos livres para fazer o que quisermos neste planeta..."
Eu sei que ao reler esta resenha, lembrarei de alguma coisa que é muito importante e que fascina o leitor, mas como já disse, é impossível falar para o outro todas as emoções, sensações e sentimentos que o Conto de Dragões passa para o leitor. É realmente um vício, é aquele livro que faz até quem não é leitor se tornar um leitor. Recheado por tudo que a ficção e a fantasia permite, a autora sabe manusear bem o conhecimento que tem para entregar ao leitor uma história que merece ser devorada do início ao fim.
"Os giants já estavam mobilizados. Os humanos estavam contra os dragões.
O caso já estava instalado. E logo o inferno queimaria na Terra..."
Adquira

4 comentários:

  1. Oiii Gabi tudo bom?

    Fico muito feliz em saber que a escrita da autora te cativou e te prendeu. Esse livro me lembrou Seraphina, uma dualogia sobre uma menina que era um dragão também em um mundo meio medieval, meio em guerra e meio mistico. Te confesso que todas as vezes que tentei ler algo relacionados com dragoes a leitura não fluiu, acho que foi pura falta de sorte mesmo. E talvez por essa razão esse livro não me chame a atenção, pois já tentei duas ou três vezes e não rolou.
    A resenha ficou maravilhosa e dá pra sentir o quanto a leitura te agradou.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabi, quando um livro é rico em detalhes e com bons personagens fica difícil mesmo falar tudo que a gente quer, mas acho que vc faz isso com muita destreza! Que bom que vc curtiu a leitura e parece que a autora fez um excelente trabalho mesmo.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Oi, Gabi!
    Já sei que vou gostar desse livro. Envolve dragões e é muito rico em detalhes *----* Melhor ainda que a escrita da autora é boa.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  4. Olá, Gabi.
    Eu amo tudo que envolve dragões, mas não queria ver um ao vivo não hehe. Achei o enredo do livro bem interessante e se der vou ler. Esses dias eu li um livro que aconteceu igual o que você comentou. Tá lá no meio da cena de luta e eles encontravam tempo para ficar com cenas de ciumes, me deu nos nervos hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir