5 Motivos pelos quais A Culpa É Das Estrelas é épico

Quando publicado em 2012, John Green estava entregando ao mundo o que viria a ser o seu maior best-seller e dois anos depois, em 2014, o mundo se emocionava nos cinemas com a bela história de amor de Hazel e Gus.
Porém, mesmo hoje, apos alguns anos, o livro ainda é um sucesso e ainda é o livro pelo qual muitas pessoas começam a ler e, hoje, quando o filme é exibido por uma emissora aberta, podemos ver o impacto que está história ainda causa nas pessoas e em seus fãs. Por isso, vamos listar 5 motivos pelos quais A Culpa É Das Estrelas é épico. E por que épico? Bom, todo leitor sabe o quanto do John Green usa esta palavras em seus livros e porque, realmente, a história de Hazel e Gus é épica.

1 - FOI ESCRITO POR JOHN GREEN

É claro que o primeiro item desta lista seria o autor. É claro que tem leitores que não gostam dos livros dele, porém, é inegável a legião de leitores que ele carrega consigo. E, até as pessoas que não gostam tanto do autor, concordam que ele consegue com que muitos jovens que não leem, passem a ler.
John Green é um escritor de 40 anos que de uma forma impressionante consegue compreender o jovem e passa isso para suas histórias, mostrando a verdade com realidade, sem menosprezá-los ou entrar esteriótipos.

2 - A ADAPTAÇÃO CINEMATOGRÁFICA É TÃO BOA QUANTO O LIVRO

É sempre muito falado sobre adaptações frustantes, porém, A Culpa É Das Estrelas consegue sair disso e se torna uma ótima adaptação. Além de conseguir retratar muito bem as personalidades dos personagens, o filme consegue absorver a essência do livro e transmiti-la para todos. 
É claro que como toda adaptação, ela tem suas adaptações e algumas mudanças e, claro, cabe também ao leitor entender que um filme nunca conseguirá ter todas as cenas de um livro ou algo do tipo. Em A Culpa É Das Estrelas, as pequenas mudanças não são significativas e o filme é uma ótima retratação do livro.

3 - OS PROTAGONISTAS TEM CÂNCER, MAS NÃO É UMA HISTÓRIA SOBRE O CÂNCER

Quem pesquisa sobre A Culpa É Das Estrelas, pode muito bem acabar vendo isto: os personagens tem câncer, mas não é sobre o câncer. No início, talvez não seja possível compreender isto, porém, se analisarmos, é a verdade.
A Hazel conta sobre a forma como foi diagnosticada com câncer, mas aquela ali não é uma história sobre a luta contra o câncer, é uma história sobre uma personagem que precisa se permitir, é uma história sobre duas pessoas que realmente se apaixonam. A protagonista não fala sobre o grupo de apoio porque é ali que ela venceria o câncer, ela fala dele porque é ali que ela conhece o Gus. 
Então, sim, por mais que John Green nos traga personagens com câncer, nunca foi sobre isso e sim sobre amor, alegria e acima de tudo, sobre vida e sobre como devemos nos permitir vivê-la.
"– ... Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você." 

4 - NÃO É APENAS UM ROMANCE, É UMA HISTÓRIA SOBRE TODAS AS RELAÇÕES E A IMPORTÂNCIA DE CADA UMA 

Quando vamos falar deste livro ou do filme, falamos muito sobre a história de amor épica entre Hazel e Gus, porém, algo que a história traz e que emociona o leitor é sobre a profundidade de cada personagem e as relações entre eles.
A relação da Hazel com os pais é uma das partes principais da história, principalmente em relação à mãe. Hazel sabe que sua mãe abdicou da própria vida por ela e por mais gratidão que sinta, o maior medo que Hazel tem não é sobre como o câncer pode acabar consigo, mas sim o que será de sua mãe quando a única filha morrer. O que ela irá fazer? Será que se entregará a uma eterna depressão até não existir? O que vai ser? E isso é algo que realmente faz o leitor se emocionar e mais uma vez entender que ali não é simplesmente um romance, mas sim uma história sobre sentimentos e principalmente sobre amor que infelizmente estão rodeado pelo medo.

5 - O LIVRO MOSTRA QUE MESMO SENDO UMA HISTÓRIA JOVEM, AINDA É REFLEXIVA E PERMITE QUE O LEITOR PENSE

Para terminar, é claro que não poderia faltar o que John Green consegue trazer em todos os seus livros: importância. Infelizmente, muitos autores escrevem para o público mais jovem, mas acabam caindo em esteriótipos e simplesmente escrevendo o que todos já estão cansados de ouvir.
John Green, em todos os seus livros, mas principalmente em A Culpa É Das Estrelas mostra o quanto jovens cultivam cultura, refletem e o quão importante são suas questões e seus problemas, não são simplesmente dilemas como muitos dizem. O jovem encontra nesta história a verdade sobre si mesmo, sobre suas questões, afinal todos só querem viver cada momento, mas, existem problemas para qualquer um e é errado não tratá-lo com a mesma importância só porque a pessoa é jovem. Hazel Grace e Augustus Waters nos mostram que não só o câncer, mas que até as questões mais simples nos dão medos e que temos impasses, mas é importante continuar e se permitir. Se permitir a tudo que é realmente importante para si mesmo.
Após estes cinco motivos, é muito claro que A Culpa É Das Estrelas é e sempre será épico. Milhares de pessoas começaram a ler por causa deste livro e muitos ainda irão. Não é só mais um romance bobo, é simplesmente uma história sobre vida, medo e amor. Contada da melhor forma possível, é extremamente emocionante e no fim de tudo, a única coisa que podemos dizer é que é totalmente épica.

17 comentários:

  1. Tava assistindo o filme ontem na globo <3 o livro e maravilhoso também ;D
    Beijos https://strangerboy01.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também assisti ele na globo <3
      Tanto a adaptação quanto o livro são maravilhosos, né?
      Beijos

      Excluir
  2. Nunca li e nem assisti ao filme. Normalmente eu fujo de livros onde há casais (não tenho muita paciência para lengalengas sentimental hehehe). Outra coisa que contribui para que eu não leia esse livro, é o fato dele apresentar doenças... Não me sinto confortável lendo sobre isso.
    Beijinhos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nanda!
      Bom, mesmo você não gostando, peço que você dê uma chance ao livro. É tão lindo! Ele apresenta personagens com doença, mas realmente não fica nisso, é mais uma questão de mostrar aos personagens a maravilha de viver a vida.
      Se um dia você se sentir confortável, dê uma chance.

      Beijos.

      Excluir
  3. Oi Gabi, não me odeie, por favor, mas não sou fã do autor, mas gostei de duas coisas da sua lista o fato de não ser um livro sobre câncer, não tenho muita paciência para sick-lit e de ter tido uma boa adaptação, isso sempre agrada aos fãs!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi.
      Eu nunca te odiaria, sei que muitos podem não gostar do autor. Porém, se um dia você der uma chance, pode acabar gostando. A adaptação é realmente maravilhosa.

      Beijos.

      Excluir
  4. Nunca li o livro, mas o filme é bem bonitinho... Mas não faz o meu estilo hahaha
    Adorei a lista de motivos, quem sabe eu não dou uma chance ao autor, mas realmente não é o tipo de tema que me interessa XD

    Beijão
    http://atocadalebre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O filme realmente é lindo, né? Bom mesmo não fazendo seu estilo, vou ficar muito feliz se a lista te proporcionar uma curiosidade mínima e quem você não dê uma chance... estou torcendo por isso.

      Beijos.

      Excluir
  5. Apesar dos elogios e sei que o autor escreve muito bem, até hoje não tive coragem de ler esse livro pois perdi alguém para essa doença horrível que é o câncer.
    Bjs
    https://eternamente-princesa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Tudo bem?
      O autor realmente é muito bom, mas o que quero realmente dizer é que sinto muito pela sua perda, de verdade.
      É impossível para mim entender o que você sentiu ou ainda sente e então, do fundo do meu coração, desejo que de alguma forma consiga superar a falta que essa pessoa deve fazer. Infelizmente, essa doença estraga a vida de muitas pessoas e isso é horrível.
      Espero que você esteja ou fique bem.

      Beijos.

      Excluir
  6. Oi, Gabi. Ta aí o único livro que gosto do John Green. Gostei muito da história não ser focada em câncer, e sim nos personagens, em como cada um lida e vai levando sua vida. Eu confesso que em boa parte da leitura os momentos de reflexão do autor se tornaram enfadonhos demais pra mim, talvez seja por essas partes que eu não me dê bem com Green. Os livros dele tendem a se tornar filosóficos demais, isso irrita. Mas ACEDE é o livro que me fez chorar muito, e tem personagens cativantes, que conseguem a empatia do leitor. O filme é maravilhoso também, os atores são perfeitos juntos e eu nem consigo assistir ele outra vez porque chorei tanto no cinema que prefiro evitar haha
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Miriã!
      Fico feliz que você tenha gostado de pelo menos um livro do autor, de verdade. Também amo essa questão de não focado no câncer e sim nos personagens. Eu amo a reflexões que o Green propõe, mas entendo que muitos acabam não se relacionando bem com isso e nem consegue interagir com a leitura.
      ACEDE realmente consegue fazer o leitor sentir empatia. Mesmo sabendo que sempre vou chorar, assisto o filme inúmeras vezes... minha mãe fala que eu gosto de chorar, por isso faço isso.

      Beijos.
      Magia é Sonhar

      Excluir
  7. Eu amo ACEDE, li quando era bem nova e me apaixonei demais. Foi um dos primeiros livros que eu realmente me emocionou e me fez ter vontade de aproveitar a vida. A adaptação foi maravilhosa!

    Beijos
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Muita gente leu este livro lá no início de seu lançamento e até hoje muitos leitores se emocionam, não é? A adaptação é realmente fantástica.

      Beijos.
      Magia é Sonhar

      Excluir
  8. Oi Gabi! Tudo bom?
    Que saudade de ACEDE <3 lembro que li logo que sai do Ensino Médio, quando tava aquela hypeeee enorme e nossa sem hora como essa história me quebrou emocionalmente em todos os sentidos. A Hazel e o Gus foram maravilhosos e dá uma saudade lembrar deles.
    Foi meu primeiro livro do John e dali pra frente passei a confiar nas histórias dele de olhos fechados!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Denise! Tudo ótimo e com você?
      Faz alguns anos que li, mas já reli e sempre leio várias partes (quando não leio inteiro) e na primeira vez que li, foi emocionante mesmo. Eles são maravilhosos mesmo.
      Ao contrário de muitos, este foi o último livro do autor que eu li, tirando o que ele lançou ano passado. O primeiro que li foi Cidades de Papel e também confio demais no autor e em suas histórias.

      Beijos.
      Magia é Sonhar

      Excluir
  9. Oii Gabi, eu amo esse livro do john, e sou apaixonada pelo filme, confesso que me emocionei mais com o filme do que com o livro, achei a adaptação bem fiel.
    - beijos, Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir