RESENHA | A Menina Dos Olhos Molhados – Marina Carvalho

Livro: A Menina Dos Olhos Molhados
Autora: Marina Carvalho
Editora: Globo Alt
Páginas: 296
Bernardo é jornalista por vocação: curioso, comprometido e muito bom com as palavras. Trabalha há anos em um importante jornal da cidade e suas matérias investigativas são sempre elogiadas. Ele só tem uma limitação... Odeia trabalhar em equipe. Há alguns anos, Bernardo sofreu com uma grande decepção amorosa, o que contribuiu para o seu jeito fechado e antipático. Por isso a incumbência de levar Rafaela – a nova estagiária do jornal – para todos os lugares é como o inferno para ele. Bernardo não perde nenhuma oportunidade de evitá-la, mas Rafa, além de ser uma jornalista extremamente talentosa, não engole desaforo. Com o passar dos dias, Bernardo percebe que não conseguirá seguir seu plano de ignorar a estagiária, muito menos todos os sentimentos que ela desperta nele. Entre reportagens intrigantes e perigosas, eles vão descobrir que têm muito mais em comum do que a imensa paixão pelo jornalismo.
Bernardo está indo para mais um dia normal de trabalho. Adorava o que fazia, jornalismo é e sempre foi sua paixão e também a sua válvula de escape. Porém, naquele dia, algo diferente aconteceu. Sendo chamado na sala do chefe, ele teve a infeliz notícia de que teria que ser o mentor de uma nova estagiária, ou como ele mesmo falava: teria que ser babá de estagiária.
Mesmo percebendo a dedicação de Rafaela, Bernardo deixava claro o quanto não gostava daquilo. Deixava claro o quanto não gostava de serviço em equipe e que não facilitaria para ela. Com isso, mesmo sendo obrigados a trabalharem juntos, a relação entre eles não era a das melhores.
No entanto, enquanto discute como sempre com a estagiária e sem entender o porquê se lembra de uma menina dos olhos molhados, ele começa a se sentir confuso em relação a Rafaela. Seus sentimentos estão indo mais longe do que ele gostaria admitir e naquela implicância toda, Bernardo percebe que gosta da presença de Rafaela e que suas discussões são os pontos altos de seu dia. Contudo, Bernardo não admitira estar se sentindo assim novamente. Não poderia se entregar. Já tinha se apaixonado e as consequências disso foram desastrosas.
Se Bernardo realmente permitir se entregar ao que está sentindo, primeiramente terá que aprender a lidar com as feridas que estão o machucando por dentro.
A menina dos olhos molhados promete muito, mas cumpre pouco. Com as expectativas lá em cima, o romance é incapaz de provocar reações no leitor e por mais que tente, é difícil se concentrar em uma história que não desperta o interesse.

Na história, temos dois protagonistas: Bernardo e Rafaela. E só. Não existe mais personagens importantes. Os outros personagens citados é sempre como se fossem a plateia dos protagonistas, é sempre por eles ou com eles e isso é frustrantes demais. Uma personagem que talvez possa ser considerada com mais importância é a Valentina. Mas, a história cria um suspense quase tosco em volta da personagem porque o leitor não demora a entender o que realmente aconteceu, então o suspense, levado até os últimos capítulos é inútil.
"Uma vez eu resolvi depositar meus créditos no índole de uma pessoa e me ferrei bonito. Agora? Sinto muito. É cada um por sua conta."
Bernardo é um cara muito esperto, muito inteligente, muito bonito e muito tudo, entendem? Não que ele seja visto como perfeito, já que é narrado por ele, mas ainda assim, é possível ver é que preciso ressaltar as qualidades dele quase sempre. Como, do nada, ele dizer para si próprio como ele consegue ter várias mulheres, se desejar.
Rafaela é uma personagem vista pela narração de Bernardo e então, é perceptível que se o livro fosse narrado em 3ª pessoa, ela seria bem melhor aproveitada. É uma personagem que mesmo sendo protagonista poderia ter sido melhor aprofundada, a visão que temos da personagem é superficial demais. 
"Acontece que quero mesmo ouvir um pouco mais sobre a garota que invadiu minha vida sem pedir licença e tem causado uma bagunça danada nela." 
Como já disse, o livro é narrado em primeiro pessoa e pelo personagem principal, Bernardo e isto, é o que já de início incomoda o leitor. A narração dele é tosca e superficial, é muito prática e direta, ao mesmo tempo em que quer mostrar como funciona o protagonista e isso só consegue deixar ele ainda mais supérfluo. A narração é o primeiro ponto em que percebemos que a história não tem aprofundamento nenhum. Ela não é muita coisa e está bem longe disso.

Com essa narração desinteressante, somos levados para uma divisão entre o passado e o presente do protagonista. Como já falei, tenta-se criar um suspense sobre o passado do personagem, mas a autora, infelizmente, não consegue e no presente, é tudo muito óbvio. Entra muito naquele clichê: um romance que começa por uma implicância. O ódio que vira amor. E sim, em muitos casos, isso consegue funcionar, mas, aqui é muito óbvio que não funciona. O leitor consegue entender cada ponto da história, mas não no sentido bom, no sentido de que é só mais uma história comum que todos conhecem e todos sabem o final.
"Não sou capaz de definir o que sinto por ela — birra, desprezo, admiração —, mas há algo entre nós, e está cada vez mais difícil ignorar." 
E claro, com tudo isso, até eu acreditei que nada mais me surpreenderia e nem me decepcionaria mais. Porém, estava enganada. Tem uma cena da história (não posso dizer qual porque seria spoiler) em um acontecimento que é tão tosca que é impossível encontrar palavras para descrevê-la. Sabe aquela cena que é impossível de acontecer em uma situação normal, porém, é colocada ali somente para mostrar o quanto um personagem se importa com o outro? É bem assim. Mais uma vez, é direto, prático e sem significado algum. O diálogo é desinteressante num nível de provocar sono no leitor. 
"Há tanto a ser falado, mas me perco no brilho molhado daqueles olhos cor de caramelo.
A menina dos olhos molhados, pensei. É a segunda vez na vida que encontro uma garota com esse tipo de olhar."
Eu posso citar somente uma coisa boa neste livro: o jornalismo. A única coisa que consegue se mostrar interessante na história é, com toda a certeza, os casos que os protagonistas precisam pesquisar, entender e criar uma matéria. Acredito também que neste pequeno ponto podemos ver que a autora tem potencial sim e que poderia ter uma história muito interessante, mas, de algum forma foi levada para o superficial e comum.

O livro consegue mesclar tudo o que torna uma história ruim em si só e é extramente decepcionante. Acontecimentos que você entende que seria só uma questão de conversar, acaba sendo tratado como o maior drama do mundo e isso desestimula muito o leitor.
"–... Não sei ao certo desde quando, embora compreenda bem o porquê, mas estou louco por você. Não louco de raiva. Louco... por você."
Com uma péssima narração, os personagens são superficiais e a história é consequência de toda uma estrutura desinteressante. Sem nenhum aprofundamento, o leitor que não desiste da história se decepciona ainda mais com os acontecimentos simplesmente impostos para algo que o leitor não consegue sentir e o final, mais que óbvio, fecha uma história que é extremamente frustrante.
"Fiquei encantado pelos olhos dela porque eles brilhavam. Imediatamente pensei: Por que os olhos dessa garota estão molhados? Então, com o passar dos dias, percebi que eles não estavam molhados. Eles eram. Sempre." 

14 comentários:

  1. Amei a resenha, ainda não conhecia esse livro!

    https://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gabi. Já o livro e senti a mesma coisa que você. Os personagens não são nenhum pouco cativantes, apesar deu ter gostado da narrativa do Bernardo, senti ela estranha em boa parte da história como se fosse pouco aprofundada. Também não gostei da Rafaela, talvez porque ela sempre é vista pelos olhos dele, e o passado do Bernardo com a Valetina também foi meio idiota, ficou um suspense pra quase nada. Eu sei que tem o primeiro livro, que fala do ponto da Rafaela, talvez eu até sentisse mais empatia por ela se lesse esse, mas perdi o gosto pela leitura.
    Beijos
    suddenlythings.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Miriã!

      Não sabia que você tinha lido o livro e é bom saber que mais alguém conseguiu enxergar esses "problemas" que eu também vi. Fiquei sabendo, depois de lê-lo, que tinha um primeiro e, sendo bem sincera, não irei ler. Posso até tentar ler outro livro da autora, mas, mais uma versão desta história, de jeito nenhum.

      Beijos.

      Excluir
  3. Oie
    Sua resenha é a segunda que leio que traz pontos negativos da história. Logo que foi lançado eu queria muito ler, e os comentários negativos me desanimaram. Que pena, o enredo prometia ser bom, e esta capa é maravilhosa.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!
      Após ler o seu comentário, antes de responder, fui procurar resenhas do livro, porque ainda não tinha lido nenhuma, como só acessei uma, só posso dizer de uma, mas ela também falava de alguns pontos negativos.
      Eu não sabia nada do livro antes de lê-lo e sinto muito por desanimá-la, mas eu realmente não gostei. Sim, a capa é muito maravilhosa.

      Beijos.

      Excluir
  4. Não julgue o livro pela capa real!!! Fiquei apaixonada pela capa (afff, sim tenho essa mania de ler alguns livros por conta da capa, quem não, né? haha) e me interessei pra ler a resenha. Fico triste de saber que o livro não é tão legal assim :(, talvez o maior erro da autora, pra mim, é a falta de personagens secundários. Se ela não ganhasse leitores pelo romance, poderia ganhar por esse aspecto.
    Do mesmo jeito, ainda quero ter a oportunidade de ler. Adorei a resenha!
    beijos e abraços da sozoca <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu compro livros pela capa porque não gosto de ler sinopses e realmente é aquilo: "não julgue o livro pela capa". Eu também amo a capa, mas não a história não fluiu de jeito nenhum. Infelizmente, a falta de outros personagens é real e extremamente frustrantes.
      Se você lê-lo, espero, de verdade, que tenha outra opinião.
      Beijos!

      Excluir
  5. Oi! Nossa que pena o livro ter decepcionado tanto, eu lia e foram poucos elogios. E lendo os comentários vi que não foi a única a não gostar. Pode ser que eu leia no futuro, agora me desanimei. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!

      Eu juro que não queria te desanimar, mas realmente não gostei do livro e não podia mentir. Se um dia você ler, espero que tenha uma opinião diferente da minha.

      Beijos.

      Excluir
  6. Virgem Maria, fiquei até com medo agora hehehehehe eu li outro livro da autora e gostei bastante, mas acho que vou deixar passar esse rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi!

      Eu vi que a autora tem outros livros e que muitos leitores gostaram. Não por agora, mas mais pra frente, eu posso tentar ler algo dela.
      Não sei se você iria gostar, mas eu realmente não gostei.

      Beijos.

      Excluir
  7. Olá, Gabi.
    Eu já li vários livros da Marina e gostei de todos que li até agora. Acredito que esses problemas se devem pelo livro ser a mesma história de Azul da Cor do mar, só que pelos olhos do protagonista masculino. Então acredito que para se ter uma visão mais ampla da história o outro livro tem que ser lido antes. Mas como não li nenhum deles, posso estar enganada hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Oiii Gabi

    Parabens pela sua sinceridade, amei a resenha pois aponta todos os defeitos com muito respeito e nos permite entender muito bem todas as dificuldades que vc encontrou na história. Uma pena que a narração seja tão vazia e ruim, é impossivel o romance despertar algo no leitor quando a própria narrativa já é tão falha. Muito obrigada mesmo por essa critica, quero conferir outros titulos da autora como Amor nos tempos de ouro, mas Menina dos olhos por exemplo ja irei evitar (até porque já não me chamava muito a atenção mesmo...)

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Oii Gabi, menina se tem uma coisa que eu odeio em livros é quando a autora é superficial e não aprofunda em nada, ainda mais se tiver personagens superficiais como vc disse na resenha, nossa fico extremamente desapontada viu.
    -Beijos,Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir