RESENHA | Violeta Profundo e Outros Contos - Anna Rosenrot

Livro: Violeta Profundo e Outros Contos
Autora: Anna Rosenrot
Editora: Novo Século
Páginas: 64
O que você faria se, por um breve instante, pudesse enxergar a realidade sob a ótica da aflição? Por meio de lendas perigosamente infantis a violentas guerras, descobrir-se-á a natureza oculta por de trás da atmosfera mundana. Num cotidiano atemporal e inspirador, fincarão-se as raízes do verdadeiro medo, expondo a relação do ser humano com suas mais nefastas emoções. Todas as suas certezas serão postas à prova numa narrativa instigante e inquiridora, demonstrando que, uma vez indagada, uma pergunta não poderá ser desfeita.
Violenta Profundo é o nome de um dos contos existente neste livro. Com contos que não se interligam de forma alguma, a autora traz a proposta de trabalhar com as emoções humanas e colocá-las sob uma visão mais caótica, no ápice maior de cada uma delas.
Trabalhando com um tom de suspense, a escrita poética traz para os leitores um pouco mais dele mesmo, querendo mostrar as próprias emoções dele em cada página.
Violeta Profundo e Outros Contos é um livro bem curto e quando o pegamos pensamos: Será que tem algo de interessante em 64 páginas? Bom, a resposta já pode ser vista nas primeiras páginas somente pela escrita da autora. Com um vocabulário bem vasto, a autora propõe uma linguagem mais formal, porém, de fácil entendimento.
"Se o Diabo é real, Deus deve ser também. Se nenhum deles é, eu devo ser."
Com 13 contos, eles são bem curtos, mas o melhor é que por mais que na primeira vez a gente leia seguindo uma ordem do início ao fim, é possível reler somente os contos que você mais gosta e isso traz mais um ponto positivo do livro. Por mais que todos os contos tenham a proposta de, em forma poética sem ser um poema, mexer com as emoções humanas e os padrões humanos, eles não são contos interligados. Cada um provoca no leitor uma reação e um entendimento e por mais que seja legal lê-los em uma ordem, podem ser lidos separadamente.
"A dor me toma e sorrio, de todo modo.
Eu nasci para destruir. Tudo. Inclusive você." 
Não existe um personagem em si, é sempre ele, ela, você, eu ou algo do tipo, provando que não é uma história comum e sim contos nos quais você mesmo precisa retirar a mensagem dele.
Como já falei sobre o entendimento que cada conto provoca, este livro é aquele que a cada vez que você lê tem algo novo. Algo que você não conseguiu compreender antes e agora consegue. É como se a cada vez que relê-lo, algo novo surgisse.
"Quando se é feio, não a feiura fútil e humana, mas a feiura sublime e absoluta que somente poucos chegam a conhecer-sabe-se que a perfeição envenena."
Em poucos páginas, a autora iniciante mostra talento para a escrita. A forma de trazer o suspense ao se estar falando de um padrão, de uma emoção, coloca aquilo no seu puro ápice, mostrando a verdade dentro de cada ser humano e isso faz o leitor querer algo a mais dela, algo que provoque ainda mais o leitor.
"Há sempre um mistério a circundar nossos segredos. Queremos padrões: roupas, corpos, cultura. E numa mania de se regrar tudo, o descontrole se torna ainda maior."
Essa resenha ficou menor do que geralmente fica porque o livro é tanto sobre o ser humano, que se torna muito pessoal. Violeta Profundo e Outros Contos provoca perguntas sobre si mesmo e nos faz entender que muito do que somos pode ser provocado pelo medo, seja da diferença, dos padrões, do amor, da morte ou até da vida.  E isso é difícil colocar em palavras para os outros porque se tornaria pessoal demais e não seria algo para todos. E para cada pessoa que lê-lo terá uma verdade para si mesmo.
"Talvez sua mãe estivesse certa quando disse que tudo era uma questão de opinião.
Prazer, sou a vida.
E a morte."
Adquira

5 comentários:

  1. Oii Gabi, tudo bem? Gostei muito da premissa do livro e gosto de livros que nos fazem refletir, e essa capa é linda demais <3
    - Beijos, Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gabi. Eu não conhecia o conto, mas não sou muito fã, isso porque me incomoda não ter personagens sendo desenvolvidos na história, não estou acostumada, muito menos quando vemos que há uma escrita poética, o que também não me agrada, mas eu adorei a capa e fico mais ansiosa ao saber que a autora iniciante possui um excelente trabalho.
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Gabi!
    Me apaixonei pela capa e pelo título. Gostei mais ainda do livro ser de contos, curtinho e ainda sim que mexe com você.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Natal Literário e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  4. Oi Gabi, que capa linda a desse livro! Eu não conhecia, mas achei bem interessante a proposta da autora.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha muito boa ate deu vontade de comprar o livro
    amei o seu blogue

    https://coisasdecrespasoficial.blogspot.com/2018/01/metas-para-2k18-blog-planner.html

    https://coisasdecrespasoficial.blogspot.com/2018/01/conhecendo-pentes-e-escovas.html

    ResponderExcluir