RESENHA | Doce Amargo II – Evelyn Santana

Livro: Doce Amargo - Livro II
Autora: Evelyn Santana
Editora: Essência Literária
Páginas: 334
Livro Anterior: Doce Amargo - Livro I | RESENHA
Para Melinda Blackwell, descobrir que seu casamento era apenas uma farsa foi a coisa mais dolorosa que poderia ter lhe acontecido. Os beijos que ela tanto amava, os toques que a enlouqueciam… nada disso era real. Ela não teve escolha, a não ser pedir o divórcio. Agora precisava seguir em frente, dando tudo de si para que a dor que Robert lhe causou não a transformasse numa pessoa irreconhecível.
Enquanto Linda batalha para reconstruir sua vida, Robert se dá conta de quão errada a vida dele parece sem a esposa ao seu lado.
Sozinho na mansão Blackwell, sem nunca ter alguém com quem dividir um momento importante, ele é frequentemente transportado para os dias leves e felizes que Linda costumava lhe oferecer.
Quando achou que estava em seu momento de felicidade plena, Linda viu tudo ser arruinado já que sua vida amorosa estava sendo construída por mentiras. Robert tinha casado com ela por causa de um testamento. Robert tinha traído-a. Robert não a amava. No entanto, Linda não podia culpá-lo totalmente, afinal, ela deveria saber que alguém como ele nunca se casaria com alguém como ela. Deveria saber que ela não seria suficiente para ele e mais, não deveria imaginar um amor da parte dele, sendo que o mesmo nunca nem disse estar apaixonado.
Eram muitas coisas passando pela mente de Linda, e mesmo que a maioria não fosse verdadeira, era o que ela sentia, era o que as mentiras contadas e agora descobertas a fazia pensar. Linda tinha sido verdadeiramente machucada, fazendo-a sentir o amargo de descobrir a verdade, mas, agora estava disposta a seguir com a sua vida, conhecer novas pessoas e reconstruir cada pedacinho de quem se era, mesmo que para isso precisasse descobrir quem verdadeiramente era.
Do outro lado da história temos Robert, o que mentiu, mas que está sofrendo as consequências de suas mentiras e as consequências de perder Linda. Robert se casou por um testamento, mas nunca quis o mal de Linda, tanto que ele se apaixonou. Ele nunca a traiu, mesmo que ela acredite nisso. E ele a amava, mas não sabia disso. Do outro lado de todas as mentiras, sofrendo as consequências, não será simples para Robert ao menos tentar reconquistar Linda e talvez já não consiga mais, porque a partir do momento em que a confiança dela se quebrou, ambos perderam o eixo que os levava um ao outro, fazendo com que se machuquem e isso só os afastará ainda mais.
Quanto mais próximos ficam, mais eles se machucam e isso os faz realmente pensar que talvez o erro seja tentar se aproximar. Depois de tantas mentiras, a verdade talvez seja a de que não devem ficar juntos. Pois, por mais que tentem, sempre caminham para lados opostos.
Quem acompanha o Magia é Sonhar e quem me conhece sabe o quão ansiosa estava para ler Doce Amargo II, sem a menor dúvida, é o livro que fiquei mais ansiosa pelo lançamento e com as expectativas lá em cima, Doce Amargo II encerra a duologia mais maravilhosa da minha vida.
"Pensar sobre isso doeu um pouco, no entanto, Linda não chorou. Não havia motivos para isso. Então ela sorriu, porque era o que pessoas fortes faziam ante a dor, lutando para manter a promessa de continuar sua busca pela felicidade, mesmo depois de ter o coração feito em zilhões de pedaços."
Desde o primeiro livro, o leitor vê um desenvolvimento verdadeiro de cada personagem e neste livro, a autora consegue continuar neste parâmetro, no entanto, ela entrega mais a seus leitores. Ela entrega mais vertentes de seus personagens, entrando mais afundo em cada um deles, mostrando mais deles para o leitor e nos tornando ainda mais íntimos. É possível sentir a tristeza, a felicidade, a agonia, a alegria, o medo e qualquer outra emoção do personagem, como se as emoções e os sentimentos saíssem da página e fosse para dentro do leitor.

Melinda, a nossa Linda, é verdadeira em suas emoções, isso desde o primeiro livro e é maravilhoso ver que isso ainda existe nela, mesmo que as mentiras que a cercaram tenham a machucado. Ela tenta seguir em frente e sinceramente, ela é tão forte e deseja tanto conseguir, que mesmo amando o Robert, o leitor se compadece e acaba desejando que se isso for a fazer feliz, que ela consiga.
"Uma mulher que se entrega de corpo e alma para um homem como Linda se entregou a ele... Não. Ela não tinha esquecido. Nenhum dos dois jamais esqueceria.
E talvez por isso doesse tanto."
Robert é um personagem que me surpreende desde o primeiro livro, onde falei que pensei que não fosse gostar dele, mas acabei amando. Mesmo que pareça entrar no tão clichê já conhecido: "chefe, rico e lindo", Robert sai disso e nos mostra ser um personagem com conteúdo, ainda mais neste livro que podemos ver um pouco mais sobre si mesmo e sobre os detalhes de sua família, o que mostra o porquê dele querer tanto cumprir aquele testamento. Porém, o melhor é que a autora não traz o personagem neste livro simplesmente para correr e rastejar atrás de Linda, é bem mais que isso e o leitor consegue sentir o desenvolvimento do personagem ao decorrer das páginas.

Eu esperava que personagens coadjuvantes fossem se desenvolver mais neste livro e eles se desenvolvem, como foi o caso da Chris, uma personagem que gosto desde o primeiro livro, mas que amei ainda mais neste. E não só ela, a autora desenvolve outros personagens, mostra alguns que tinham sido apenas citados (e que são extremamente importantes) e nos apresenta alguns novos personagens, como a Lilly que é a personagem que me conquistou desde o início desta história. Além de trazer algo novo para a história, a personagem acaba nos trazendo mais sobre o passado de Linda, porque é como se Lilly fosse a Linda do passado. Enfim, Doce Amargo II consegue apresentar muita coisa nova para o leitor, sem se tornar entediante, trazendo novidade e instigado-nos a continuar lendo.
"Era um recomeço singelo, sim, porém eu estava seguindo em frente, como disse a mim mesma que faria.
Sentia-me como uma nova Linda. Se melhor ou pior que a anterior, não saberia dizer, no entanto, com certeza, mais forte e menos ingênua."
Evelyn Santana sempre engana o leitor: quando parece que ela vai entrar em algum clichê, ela mostra que criou algo melhor que isso. Com a chegada de um novo personagem, tive medo de que a história se tornasse um triângulo amoroso e é maravilhoso como ela consegue mostrar que Doce Amargo II não é de forma alguma um triângulo amoroso.
Talvez na sinopse ou no resuminho possa parecer que este livro vai ser só a história de uma possível reconciliação, mas é muito mais que isso. Os personagens são explorados, e a verdade que não sabem sobre si mesmos é mais importante do que uma reconciliação, até porque era preciso se conhecerem primeiro, para depois tentarem algo.
"Ao que parecia, a Mel de que Will tanto gostava era mais diferente de Linda do que eu poderia supor. Era estranho e confortador ao mesmo tempo saber que as duas podiam coexistir dentro de mim, fazia-me perceber que Melinda Calle era menos quebrável do que sempre julguei ser." 
Estou tentando citar o menos possível da obra porque Doce Amargo II é realmente surpreendente para o leitor. É fascinante a forma como pequenas pistas que estavam no primeiro livro e não demos importância nos levam a revelações fortíssimas e não quero citá-las porque é realmente maravilhoso ir descobrindo com a narração da Evelyn.

Mais uma vez é necessário citar o quão maravilhoso é a escrita de Evelyn Santana. Uma autora que nos entrega um romance sempre além das expectativas, com história e conteúdo, prendendo o leitor do início ao fim. Ela consegue escrever com detalhes e com uma verdade surpreendente que permite que cada pedacinho desta história passe a fazer parte da vida do leitor.
"– Nós não fizemos bem um ao outro. Você me manteve longe por acreditar não me merecer, e eu... eu acho que mereço o que fez comigo por ter cometido o erro de me apaixonar por você." 
Foi maravilhoso e triste chegar ao fim deste livro. Maravilhoso porque sem deixar óbvio o final, Evelyn leva o leitor aos seus últimos capítulos com o coração acelerado por querer saber o fim de uma história tão maravilhosa, no entanto, foi triste virar a última página e entender que aquele era o ponto final, aquele era o ponto que mostrava que a história tinha se encerrado ali, depois daquele ponto, só a imaginação poderia fazer o leitor continuar a história. Preciso dizer que fico feliz por isso porque quando um livro me deixa triste por estar acabando, eu sei o quanto ele é bom. Doce Amargo II encerrou uma duologia que me marcou e que me fez rir, sorrir, chorar e pedir por mais alguns capítulos.
"A vida continuava, apesar de tudo, e o mundo não parava de girar para que eu me encolhesse e pudesse sentir a minha dor em paz. Por isso eu seguia mascarando, sorrindo quando queria chorar e dizendo estar bem, mesmo com o vazio me consumindo de dentro para fora."
Doce Amargo II encerra uma história que mostra a verdade sobre o amor, que pode nos fazer feliz, mas que também pode nos fazer sofrer. Uma história que mostra que errar é natural do ser humano, mas que nem por isso ele estará livre das consequências. Permeado por sentimentos, este livro mostra as emoções, as atitudes e as consequências de cada ato humano. Com tudo isso, a história nos trás personagens verdadeiros capazes de mostrar ao leitor o quanto somos parecidos, afinal, amar é fazer escolhas e nunca saberemos se as consequências de nossas escolhas serão doces ou amargas.
"Todas essas coisas eram efeitos da minha noite deplorável, e eu não iria colocar curativos inúteis nas minhas feridas enquanto elas ainda sangravam"
Adquira 

17 comentários:

  1. Oi Gabi,
    Adorei essa capa e título e essa sinopse... Acho que já peguei um spoiler do final do livro 1? HAHAHAHAHA
    Bom, quero ler de qualquer maneira! HAHAHAHAH
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alessandra!
      Infelizmente não tinha como não ter um spoiler porque ele já vem até na sinopse, porém, prometo que ainda assim você irá se envolver com a história.

      Beijos.

      Excluir
  2. Oie
    Já vi várias resenhas destes livros e estou curiosa para conhecer mais sobre as obras e a escrita do autor. Pelos teus comentários parece ser um bom livro.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      Sim, os livros são bons. Tenha curiosidade mesmo e conheça a história, é ótima.

      Beijos.

      Excluir
  3. Oie,

    Amei sua resenha, sempre quis ler esse livro. ♥

    Abraços...

    https://submundosliterarios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Gabi.
    Já tinha visto uma resenha sobre o primeiro livro, que já está na minha wishlist. Amo nacionais e esse realmente tinha me chamado atenção, pena que ainda não pude comprá-lo.
    Eu gosto de quando o autor desenvolve os personagens sozinhos e também como casal, não fica somente preso aos dois na narrativa. Adoro uma história de recomeço, sei que vou amar.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Miriã!
      Também nacionais e estou cada vez mais apaixonada por eles. Que bom que já estava curiosa com o livro, ele é muito bom mesmo. Espero que consiga lê-lo.
      Torço muito para que você ame também.

      Beijos.

      Excluir
  5. Oiii Gabi

    Que resenha arrasadora. Eu nem conhecia a dualogia mas fiquei com uma pontinha enorme de curiosidade, que tudo saber que a autora surpreende e que a narrativa dela é tão boa, é ótimo quando a gente pensa que tudo vai cair no clichê e então vem o autor e nos impacta com algo bem melhor.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alice!

      A resenha não é um terço do que o livro é. Espero que essa pontinha faça você ler a duologia.
      A Evelyn é realmente uma escritora maravilhosa e muito surpreendente.

      Beijos.

      Excluir
  6. Oi, Gabi!
    Ainda não tinha visto esse livro em nenhum lugar (nem o primeiro, eu acho), mas você falou tão bem da duologia que fiquei curiosa em ler. É ótimo quando os autores fogem do clichê pra nos surpreender, né? Adorei!
    Beijos

    Versos e Notas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bárbara!

      Como assim você ainda não conhece nem o primeiro? Realmente precisa lê-lo, fique curiose e leia, vai adorar.
      Sim, é ótimo quando a autora consegue nos surpreender.

      Beijos.

      Excluir
  7. Oi Gabi, eu ainda não li o livro 1, mas pela sua resenha, acho melhor me preparar para o final!! Adorei a capa e acho que vou curtir a leitura!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi!

      Sim, se prepare para tudo neste livro, é maravilhoso.
      Espero que curta a leitura.

      Beijos.

      Excluir
  8. Oiê!

    Não é o tipo de leitura que costumo priorizar, mas sua resenha está impecável, parabéns! Gosto de resenhas assim: que prendem atenção do início ao fim, que explicam o essencial sem deixar nada desconexo e não entregam além do que devem!

    Um beijo <3

    http://www.aquelaepifania.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!

      Obrigada pelo elogio, de verdade. Tenho muito medo de que minhas resenhas sejam tediosas, mas adoro o jeito que as escrevo, então não consigo mudar, e receber esse elogio é maravilhoso.
      Espero que a resenha te faça conhecer o livro e quem sabe se apaixonar também, não é?

      Beijos.

      Excluir
  9. Gosto bastante de leituras assim, mas não sei que fase é essa que eu to passando que não acho graça mais nesse tipo de história. Maaas sua resenha chamou minha atenção super e eu vi que poxa eu posso gostar real desse livro!!

    Beijos
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, ás vezes, os momentos que estamos vivendo não nos permitem apreciar tanto uma leitura, sei bem disso. Mas, sim, você pode gostar real desse livro e espero sinceramente que sim. Espere que você o ame assim como eu o amo.

      Beijos.
      Magia é Sonhar

      Excluir