RESENHA | Divina Essência - Helena Andrade

Livro: Divina Essência
Autora: Helena Andrade
Editora: Ler Editorial
Páginas: 296
Já imaginou se você tivesse a chance de encontrar a cura para uma doença?
E se esta doença atingisse pessoas que você ama?
Melissa é uma bióloga engajada na pesquisa de plantas com propriedades terapêuticas. Após anos de estudos, ela descobre uma flor rara, capaz de trazer novas possibilidades no tratamento de uma doença hematológica. Unindo-se a uma equipe de cooperação internacional ela parte em busca do objeto de sua pesquisa. Lá ela conhece Giovanni, um jovem médico italiano por quem seu coração irá bater mais forte. Mas ele não está livre para viver esta paixão e Melissa descobrirá que a pesquisa tem mais implicações em sua vida do que poderia imaginar, fazendo surgir novos desafios capazes de impulsioná-la à ultrapassar seus próprios limites.
Uma história de amor arrebatadora, entremeada pela luta de uma intrépida pesquisadora na busca pela cura de uma doença.
A bióloga Melissa está extremamente engajada em sua pesquisa e os motivos que a levam a isso só mostram que mesmo sendo forte, ela pode ser frágil. Pesquisando plantas com propriedades terapêuticas, ela está ainda mais engajada na planta que poderia ter a cura para a Talassemia. A doença que levou seu padastro. A doença que parecia persegui-la.
Porém, agora, dois italianos se juntariam a pesquisa e, por motivos ainda desconhecidos, eles realmente tinham alguma ligação com a pesquisa. Mesmo que no início não gostasse tanto da ideia deles se juntando a pesquisa, Melissa se permitiu sentir todas as sensações do mundo ao observar o italiano, Giovanni, a olhando como se o desejo estivesse totalmente presentes em seus olhos. Fazendo seu coração bater mais forte, Melissa deseja se entregar a nova paixão, mas nada é tão simples quando ele não está livre para viver aquele sentimento e mais ainda, Melissa logo descobrirá que a pesquisa é ainda mais importante para eles, já que eles tem os genes da b-Talassemia, a anemia de Cooley.
Novamente, aquela doença a perseguia atingindo as pessoas que amava. Era mais uma razão para conseguir a cura para a doença, mas também era mais uma razão para sentir o medo a rodear, lembrando-a que as pessoas que ela amava poderiam partir novamente. Se já era forte antes, Melissa precisa ser ainda mais para seguir em frente, mesmo que a dor tentasse lhe segurar. Ela só precisa seguir em frente, a essência de tudo sempre estaria onde ela estivesse.
Quais palavras escolher para falar de uma história que consegue nos agarrar e nos levar profundamente para cada detalhe de si? Sinceramente, não sei como escrever esta resenha e explicar para vocês a capacidade desta autora de trazer amor, emoção, sentimento, sensações e muito mais nas páginas deste livro que vai fazer vocês pensarem mais a cada momento.
"Os tons de vermelho dançaram a frente de meus olhos. Ela era perfeita. Deslizei os dedos pela pétala. Macia demais para o meu toque. Tão frágil e tão potente."
A protagonista, Melissa, é uma mulher forte e isso podemos ver desde o início, mas a autora vai nos deixando resquício de que ela tem muito mais a nos oferecer, mostrando que exitem mais camadas para serem desvendadas. É uma personagem humana, que sente profundamente cada detalhe de sua vida e que ama e que se machuca e que pode fazer escolhas erradas, mas que tenta sempre ser fiel ao que deseja.
Giovanni e Lorenzo. Não posso falar deles separadamente porque é um combo, um te lembra o outro. Eu amei demais o Lorenzo e talvez por isso não tenha gostado tanto de Giovanni, mas, o que não posso negar é que ambos nos trazem a beleza da vida. Por mais difícil que seja ser positivo em alguns momentos, ainda temos que sorrir e ver o dia ou a noite a nossa frente, pois não sabemos o que acontecerá no futuro. Giovanni e Lorenzo conseguem nos passar esta sensação, pois, por mais triste que seja ter a doença, eles ainda estão ali, com esperança após acordar para mais um dia.
"Ter seu cuidado, estar tão próxima, só tornava as sensações de meu corpo mais intensas, a dor parecia me levar para as profundezas sem fim da escuridão. Não era o breu, mas sim o vermelho escuro, denso e pesado, a jorrar da ferida aberta em meu coração."
A história nos propõe um romance e até a sinopse nos diz isso, mas Divina Essência vai muito mais além. Talvez por eu gostar tanto de Lorenzo, não me identifiquei muito com o romance. Mas, mesmo que em certo capítulo tive o receio de que o romance se transformasse em um triângulo amoroso, fico muito feliz em dizer que a autora não permite que isto aconteça. Ela é verdadeira com seus personagens e com seus leitores, deixando os verdadeiros sentimentos de cada personagem virem a tona. Sabemos por quem Melissa está apaixonada e sabemos quem ela ama profundamente, mas como amigo e é interessante ver que a personagem não entra em esteriótipos e nem se "confunde" com seus sentimentos, ela é verdadeira e entende a verdade do que sente.
"Após toda a turbulência das últimas semanas, este lugar parecia perfeito. Por que não? Simples, fácil, leve. Não precisava lutar, conquistar, sofrer. Bastava deixar me levar, ser conduzida, tal com a dança. Um oásis no deserto seco, árido, sofrível."
Falei que a história é muito mais que um romance, porque, verdadeiramente é. Divina Essência, como em muitas histórias, nos fala sobre uma doença, mas o mais interessante é que não vemos as doenças da "moda" que conquistam leitores como o câncer ou o alzheimer, não que essas doenças não sejam importantes, no entanto, Helena Andrade nos apresenta a esta doença que atinge de forma dura seus pacientes e que talvez não conhecemos tão bem. Eu mesma não conhecia e tive a curiosidade de pesquisar mais sobre e é bom quando um autor consegue fazer com que seu leitor tenha curiosidade do que está além das páginas.

A autora não nos apresenta superficialmente a doença, os sintomas, o tratamento e nem a pesquisa que os personagens estão realizando. Ela realmente se aprofunda no assunto e não pense que fica tedioso, porque não fica. É realmente essa base que conduz a história e sinceramente, sinto orgulho de ter lido algo que é explicito em suas páginas o quão dedicada a escritora foi com esta história. Desde os detalhes da pesquisa, da cultura indígena até os lugares pelos quais os personagens passam, tudo é bem desenvolvido e nada é superficial e isso é o que torna essa história ainda melhor.
"São as novas mudanças de caminhos que muitas vezes nos levam a novas experiências, atingindo não o objetivo dado como certo, mas nos mostrando outra possibilidade de alcançá-lo."
Por mais que a pesquisa e o romance possam ser os pontos de entrega da história, mais uma vez, vemos que tem muito mais por trás ao conhecermos as famílias dos personagens, principalmente da protagonista. Não é só um mero detalhe da história, é importante e conseguimos ver isso e é mais um ponto que consegue capitar a atenção do leitor, já que as relações familiares nos propõe novos pontos de vistas e mais respostas também, porque tem muito mais de Melissa juntamente com a sua família.
"Somente o amor é capaz de penetrar o coração que se transformou em gelo pela dor da perda."
Este é o segundo livro que leio da Helena Andrade e mesmo que esperasse que ele fosse bom, a autora mais uma vez provou o quão bem escreve. O quão bem sabe conduzir uma história e isso é fascinante. As folhas deste livro nos mostram sentimentos e conteúdo como se fosse possível que ambos prendessem o leitor do início ao fim. A história nos propõe novos aprendizados, mas acima disso, nos propõe reflexão: você pode fazer o seu destino, o seu futuro, seja lá como quiser chamar, mas pessoas importantes farão parte da sua vida e a sua essência é construída por cada detalhe de cada momento de si mesmo e mesmo que você faça seu futuro, a sua essência, aquilo que você tem dentro de si, ainda estará dentro de si e isso nunca vai mudar.
"Gostaria tanto de fugir e esquecer todos estes fracassos: a pesquisa, a desilusão do amor e, principalmente, a morte do meu grande amigo por esta disfunção que me persegue. Talvez esteja na hora de parar também de persegui-la. Ela parecia ser tão mais forte do que eu, sozinha neste lugar, lutando em vão, rodeada por tanta gente e me sentindo só.. Precisava mudar minha vida, sair deste ciclo de dor."
Divina Essência nos traz muitas coisas e nos faz refletir muito, mas, mais que tudo, nos faz ver a importância de sorrir, de continuar e de lutar pelo que acredita. Não importa o que digam, só importa o que acreditamos, o que sentimentos e o que floresce da nossa essência. É isto que Divina Essência nos permite ver e isso é muito mais do que a maioria das pessoas conseguem ver e sentir em toda a sua vida.
"Talvez amor assim não seja comum, talvez sejamos abençoados em encontrar que desperte em nós um sentimento desta magnitude. Capaz de nos fazer perder o rumo, mudar os caminhos, desfazer compromissos e querer assustadoramente assumir outros."
Adquira

18 comentários:

  1. Gabi, a resenha ficou fascinante! Adorei a forma como abordou itens essenciais da história trazendo sua percepção e emoção. Gratidão pelo carinho!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gabi
    Eu ainda não conhecia a doença então fiquei confusa a respeito do que ela realmente é. Não sei bem se leria a trama, mas por ser nacional, eu imagino que daria uma chance, sim. Só não curti muito a capa, acho que não tem nada a ver com o que a trama traz, mas posso estar enganada.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Miriã.

      Eu também não conhecia a doença e fiquei bem curiosa. Fico feliz que por ser nacional, você daria uma chance. Eu também tendo prevalecer muito a literatura nacional.
      Também acho que a capa não se aprofunda muito no que o enredo traz, já que ela é só a representação da protagonista.

      Beijos.

      Excluir
  3. Oi Gabi! Pela capa e pelo nome, achei que seria uma coisa extremamente diferente, mas essa resenha me deixou bem intrigada. Achei o máximo ser nacional. Essa história parece ser realmente interessante.

    Beijo!
    www.controversos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Caroline!

      Sim, o título e a capa não entregam muito do que a história realmente é. Nacionais estão arrasando.

      Beijos.

      Excluir
  4. Não conhecia o livro, não faz muito meu estilo, mas vou anotar a dica ...

    ResponderExcluir
  5. Oie
    Ainda não li nada da autora, agora sua resenha me deixou curiosa. Tem um enredo forte, gostei das suas ressalvas.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!

      Realmente o enredo é forte e bem interessante. Fico feliz que tenha ficado um pouquinho interessada.

      Beijos.

      Excluir
  6. Excelente resenha, não conhecia a autora nem o seu livro, mas fiquei curioso, porque gosto sempre de romances que abordam assuntos sérios como as doenças.

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha se interessado. Realmente, romances que conseguem abordar assuntos sério é muito interessante.

      Beijos.

      Excluir
  7. Olá, Gabi.
    Mais uma excelente resenha, antes dela eu não tinha me interessado pelo livro, mas agora quero conhecer essa história. Pela capa confesso que esperava outra coisa. Eu nunca tinha ouvido falar dessa doença, por isso vou pesquisar. E quero te agradecer pelas palavras lá na minha resenha. Você foi a unica que comentou sobre o que eu falei e te agradeço muito por se importar. fez muita diferença.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil!

      Fico feliz que a resenha tenha feito você se interessar pela história. Também não conhecia a doença e fiquei super curiosa em relação a ela.
      Não me agradeça por aquilo, Sil. Não precisa. Eu realmente espero que faça diferença para você, mesmo que só um pouquinho. Sua resenha foi tão verdadeira e compartilhar sua história conosco só mostra a sua sensibilidade, fico feliz que o livro tenha te dado coragem de dar mais este passo.

      Beijos.

      Excluir
  8. Oi, Gabi!
    Menina, por esse título eu nem imaginava que a história focasse nessa tal doença. Achei bem interessante como a autora soube deixar o suspense.
    Eu não sou muito fã de triângulos, mas para conhecer essa história eu me arriscaria.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luiza!

      Ao ver a capa e o título pela primeira vez, não imagina que a história se desenvolveria a partir de tal doença. Surpreendente, né?
      Luiza, não é um triângulo, pode ler sem problemas. A protagonista não é a clichê, ela sabe quem ama.

      Beijos.

      Excluir
  9. Oiii Gabi

    Se aprofundar nos detalhes de uma doesnça de maneira que não fique tedioso ao leitor é uma tarefa bem dificil, tem que ter uma sensibilidade grande ao tratar do tema, amei saber que a autora conseguiu surpreender. Não conhecia o livro, mas achei a história super legal.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!!

      Realmente é um trabalho complicado o que Helena Andrade realiza e ela tem a sensibilidade necessária para conseguir escrever esta história tão bem.

      Beijos.

      Excluir
  10. Olá, Gabi!!!

    Se eu tive a oportunidade de encontrar a cura para uma doença minha vida ia se resolver bastante... A começar por mim mesma. Que sofro de uma doença neurológica sem cura, porém tratável para manter-me estabilizada. E não atinge meu lado cognitivo.

    Depois, minha mãe e minha avó. A primeira com distúrbios emocionais severos há mais de 20 anos, nunca controlados. E, minha avó, alzheimer em estágio avançado a ponto de não reagir mais a ninguém.

    E, então, meu marido. Que está com câncer, em tratamento.

    Dureza, né! Pois, é! A vida é dura. E penso que temos que aproveitar o máximo dela!

    Agora... ter em minhas mãos, como a protagonista do livro, a oportunidade de desenvolver a cura para uma doença apenas, mas que a toca profundamente e de forma tão pessoal como as que eu citei acima, deve ser uma leitura fascinante. Amei muito sua indicação e vou ficar de olho nesse livro porque gosto realmente de leituras que me deem uma injeção de ânimo, com pitadas de outras temáticas se entrelaçando!

    Beijooos <3

    http://www.aquelaepifania.com.br/2018/03/resenha-extraordinarias-mulheres-que.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eliza!

      Acho que não sei bem como responder seu comentário, mas só fico feliz por você sentir que aqui é bom espaço para você compartilhar coisas tão especiais. Fico muito, muito contente com isso.
      Fico triste pelo que você e sua família tenham que passar, infelizmente a vida é realmente dura, né? E, realmente temos que aproveitar o máximo dela.
      Espero que você goste do livro e que a história realmente te dê uma injeção de ânimo.

      Obrigada pela confiança ao compartilhar isto conosco.
      Beijos.

      Excluir