3 de março de 2019

RESENHA | A Cabana – Wiliam P. Young

Livro: A Cabana
Autor: William P. Young
Tradução: Alves Calado
Páginas: 248
"Best-seller mundial, A cabana já vendeu mais de 4 milhões de livros no Brasil. “Esta história deve ser lida como se fosse uma oração – a melhor forma de oração, cheia de ternura, amor, transparência e surpresas. Se você tiver que escolher apenas um livro de ficção para ler este ano, leia A cabana.” – Mike Morrell Publicado nos Estados Unidos por uma editora pequena, A cabana se revelou um desses livros raros que, a partir do entusiasmo e da indicação dos leitores, se tornam um fenômeno de público – com quase 20 milhões de exemplares vendidos no mundo – e de imprensa. Durante uma viagem de fim de semana, a filha mais nova de Mack Allen Phillips é raptada e evidências de que ela foi brutalmente assassinada são encontradas numa velha cabana. Após quatro anos vivendo numa tristeza profunda causada pela culpa e pela saudade da menina, Mack recebe um estranho bilhete, aparentemente escrito por Deus, convidando-o a voltar à cabana onde acontecera a tragédia. Apesar de desconfiado, ele vai ao local numa tarde de inverno e adentra passo a passo o cenário de seu mais terrível pesadelo. Mas o que ele encontra lá muda o seu destino para sempre. Em um mundo cruel e injusto, A cabana levanta um questionamento atemporal: se Deus é tão poderoso, por que não faz nada para amenizar nosso sofrimento? As respostas que Mack encontra vão surpreender você e podem transformar sua vida de maneira tão profunda quanto transformaram a dele. Você vai querer partilhar este livro com todas as pessoas que ama. Esta edição especial inclui um texto inédito do autor, relembrando os 10 anos de sucesso que marcaram a trajetória do livro e contando detalhes da gravação do filme. Além disso, traz um caderno de fotos com cenas da adaptação desta emocionante história para as telas do cinema."
Mack, é um homem que sofreu muito quando criança nas mãos de um pai  que não foi capaz de amá-lo, porém, mesmo assim, ele conseguiu construir sua própria família e se tornou um pai que nunca teve: um bom pai.
Fazendo uma viagem de final de semana, uma tragédia acontece: sua filha mais nova é raptada por um sequestrador e a única coisa que encontram é o vestidinho vermelho cheio de sangue. Sendo mais uma vítima de um homem que parece impossível de encontrar, Mack acaba entrando na Grande Tristeza e muda todo seu relacionamento com Deus, perdendo a fé que tinha.
Quatro anos após a tragédia, Mack ainda parece perdido em si mesmo e sem fé alguma, até o momento em que recebe um bilhete, de Deus, dizendo para ele voltar na cabana onde o vestido de sua filha fora encontrado. Mesmo que soubesse que aquilo pudesse não ser verdade, afinal, desde quando Deus se comunica por bilhetes, Mack vai até a cabana e lá ele irá desconstruir todas as ideias impostas na sua cabeça, mas mesmo diante da presença de Deus, Mack só quer perguntar: "Se você, Deus, é tão poderoso e ama tantos seus filhos, por que não foi capaz de proteger a minha filha?"
Você provavelmente já ouviu falar deste livro que foi lançado pela primeira vez em 2007 e é um fenômeno mundial. Eu também já conhecia. Ouço falar desta história desde os meus nove anos de idade, época em que eu ainda nem lia, isto porque era e é um dos livros favoritos da minha mãe. Porém, como ela empresta livros, ele acabou se perdendo e eu nunca verdadeiramente me interessei. No entanto, neste mês, após ganhar essa edição de presente da minha mãe, resolvi tentar enxergar o que ela vê de tão grandioso em A Cabana e bom, só posso dizer que é um livro que se mostra ser muito mais do que se propõe e isso é incrível.
"Pouco depois do verão em que Missy desaparecera, a Grande Tristeza havia pousado nos ombros de Mack como uma capa invisível, mas quase palpável. O peso daquela presença embotava seus olhos e curvava seus ombros. Até os esforços para afastá-la eram exaustivos, como se os braços estivessem costurados nas dobras escuras do desespero que agora, de algum modo, tinha se tornado parte dele. Comia, trabalhava, amava, sonhava e brincava sempre usando essa vestimenta, como se fosse um roupão de chumbo. Andava com dificuldade pela melancolia tenebrosa que sugava a cor de tudo."
Mack é um protagonista que se faz presente, ao mesmo tempo em que o leitor se coloca tanto no lugar dele, que muita vezes esquecemos que é a história de Mack, não sua e isso é incrível. O autor traz um protagonista com sentimentos e emoções reais e muito palpáveis. Afinal, quem nunca quis perguntar diretamente para Deus porque ele permite que a gente sofra tanto?
Obviamente, se dermos este livro para um pai ou uma mãe que perdeu seu filho, acho que a empatia pelos sentimentos deste homem se tornam ainda maior, mas não se restringe só a essas pessoas, consegue alcançar a todos, o que torna Mack um verdadeiro protagonista.
"Vivera em um só dia anos de emoções e agora sentia-se entorpecido, à deriva num mundo subitamente sem significado."
Temos muitos outros personagens, porém, não temos muito o que falar deles porque eles são o que são. Ao trazer a figura de Deus, Jesus e o Espirito Santo para uma ficção, poderia se criar algo incomodo ao relacionar isto com a perfeição e mesmo que tenhamos essa ideia, o autor é tão incrível que consegue deixar cada ponto desta história palpável e nos fazer imaginar que poderia ser nós no lugar de Mack, o que é surreal ao mesmo tempo em que só torna a história ainda mais real.
"Mas este é um bom lugar para começar. Acho que começar tirando do caminho as questões que vêm da cabeça faz com que as do coração fiquem mais fáceis de ser trabalhadas... quando você estiver pronto."
A Cabana pode-se dizer que é um livro cristão por termos Mack que cresceu dentro desta religião e enxerga tudo ao seu redor condicionado aquilo a que a igreja te ensinou. Então temos um grande quebra de tabu ao ter este livro que em maior parte, acredita-se ser para um público religioso, fazendo uma grande crítica a religião e aos condicionamentos que ela empoe. Precisa-se de uma igreja para falar com Deus? Precisa acreditar em Deus para ter fé? O que é fé? Existe um único Deus ou é dividido conforme as religiões? Quantas pessoas que não acreditam na existência de um Deus praticam muito mais o que Deus desejava do que muitos religiosos?
Isso sem dúvida foi algo que me fez adorar este livro. Quem é religioso, vai gostar da história e vai se sentir conectado. Quem acredita em Deus, mas não frequenta nenhuma religião, vai se conectar com o que chama de fé e até quem não acredita, vai saber entender o que é este livro e mesmo sem uma fé em Deus, vai se conectar consigo próprio.
"– Viver sem ser amado é como cortar as asas de um pássaro e tirar sua capacidade de voar."
Um livro bem escrito e aparentemente simples, fez um sucesso tão grande. Isso por que? Isso porque vemos nestas páginas um autor que mesmo trabalhando com algo tão polêmico consegue colocar o leitor em momentos empatia por todo o livro. Talvez você não concorde com isso ou aquilo, mas vai entender que para Mack e para sua perda tão grande, é importante. Encerrando muito bem, A Cabana não nega que é um trabalho grandioso e que teve pessoas por trás que se dedicaram e isso é o mais importante.
"–Mackenzie, você não pode "produzir" confiança, assim como não pode "fazer" humildade. Ela existe ou não. A confiança é fruto de um relacionamento em que você sabe que é amado. Como não sabe que eu o amo, não pode confiar em mim."
A Cabana é um livro sobre conexão e fé. Sobre perdas e lutar. Se conecte com a sua fé para superar uma perda e continuar lutando. Talvez a sua fé seja em um Deus, na natureza ou em nada disso. Tudo bem. Tenha fé em si mesmo. Conecte-se com aquilo que acredita e por mais que sua dor seja grande no momento e talvez ela nunca passe totalmente, você conseguir continuar lutando e sorrir vai se tornar algo natural de novo.
"– Dentre os mistérios de uma humanidade ferida, este também é bastante notável: aprender, permitir a mudança."

ADQUIRA

7 comentários:

  1. Não é o meu tipo de livro, mas o filme quero assistir. Gosto bastante da Octavia Spencer XD

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabi,
    Eu tenho esse livro aqui em casa, mas nunca li, acredita?
    Na verdade, o livro é da minha mãe, porque acho que a história não me prenderia por tantas páginas, acredito que vou acabar vendo o filme, neste caso.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Gabs
    Eu já tentei ler esse livro mas o começo é muito lento e muito chato! Não consegui passar disso e acabei abandonando. Mas o filme é lindo!! Eu chorei horrores e acredito que se eu tivesse conseguido ler a obra teria me emocionado também.
    Beijo

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Li A Cabana faz muitos anos e é um dos favoritos da Vida, não sei descrever o quanto esse livro me tocou e me emocionou. É maravilhoso.

    Amei a resenha.

    Beijos.

    http://palavrasdavanessa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá, Gabi.
    Eu amei esse livro. E o filme também. Sou evangélica desde criança e acredito que as questões levantadas pelo protagonista são questões que em algum momento também levantamos. Chorei horrores tanto com o livro como no cinema hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Esse é um dos meus livros preferidos. Adorei a capa dessa versão. O filme é bom também.
    Bom restante de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Voltamos do hiatus com bons conteúdos.

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  7. Oi Gabi!
    Eu adorei esse livro quando li, e a adaptação tbm ficou bem legal! Adoro o tema e como é abordado dentro da trama!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir