7 de março de 2019

RESENHA | Por Lugares Incríveis – Jennifer Niven

Livro: Por Lugares Incríveis
Autora: Jennifer Niven
Tradução: Alessandra Esteche
Editora: Seguinte
Páginas: 336
Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, a garota se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.
Violet e Finch não poderiam ser mais diferentes: ela tem uma família estruturada, que a apoia, é popular e inteligente; enquanto Finch vem de uma família totalmente desestruturara, sem apoio e é literalmente chamado de aberração por todos da escola. Porém, essas diferenças se tornam invisíveis quando os dois se encontram no alto do prédio da escola, imaginando que o suicídio pode ser uma solução para os seus problemas.
A verdade é que ambos tem seus fardos para carregarem e no momento parecem um pouco pesados demais, no entanto, no alto daquele prédio, um ajudando o outro a descer, eles acabam criando uma amizade, onde um encontrará no outro a vontade de viver novamente. Mas será que isto é suficiente para ambos? Será que ambos estão recebendo a ajuda necessária? Vamos acompanhando isso por meio de uma visita por todos os lugares incríveis do estado onde moram, enquanto descobrem que a vida ainda pode ser bela.
Depois de meses após a compra deste livro, finalmente o li. Ainda receosa com o que esta história me reservava, fui arrebatada por Violet e Finch, esses dois jovens tão diferentes e ao mesmo tempo tão parecidos e, nisto, eu senti o impacto que a brilhante obra de Jennifer Niven causa em seus leitores.
"É tão alto que praticamente me sinto no céu. Olha para a calçada lá embaixo e o mundo se inclina. Fecho os olhos e sinto tudo girar. Talvez desta vez eu vá em frente, deixe o ar me levar para longe. Será como flutuar em uma piscina, adormecendo até que não exista nada."
Esta história tem dois protagonistas: Finch e Violet. E os dois conseguem nos mostrar suas histórias sem perder e nem roubar espaço do outro.
Violet, que aparentemente tem uma vida perfeita, sente o peso e a dor de perder a irmã em um acidente de carro em que ela estava junto. Enquanto Violet sofreu apenas ferimentos leves, sua irmã morreu naquele dia e por mais que não diga em voz alta, ela se sente responsável por este acidente e não acredita merecer estar viva, enquanto a sua irmã não está. A Violet é uma protagonista com muita bagagem, mas que vai te jogando tudo aos poucos porque ela é verdadeira com suas emoções e isso é incrível na personagem, tornando-a cada vez mais real para o leitor.
"O que não digo é o seguinte: quero viver. E o motivo para não dizer é que, considerando a pasta repleta de ocorrências na frente dele, o sr. Embry jamais acreditaria em mim. E tem outra coisa na qual ele não acreditaria: estou lutando para permanecer neste mundo caótico de merda. Ficar na parapeito da torre do sino não é para morrer. É pra ter controle. É pra nunca mais dormir de novo." 
Finch talvez tenha uma história mais difícil que a da Violet porque no primeiro instante, não entendemos este personagem que tem tantos pensamentos suicidas. O que acontece com ele? Por que se sente assim? Porém, aos poucos vamos vendo os problemas que o cercam surgindo: como o bullying constante na escola, a família desestruturada, o pai abusivo e muito mais que vai formando tudo o que está dentro de Finch, sugando-o. Ele é um personagem tão incrível, porque além de não ser perfeito em momento nenhum, consegue nos mostrar, sem realmente dizer, o quanto precisa de ajuda, tornando-o vulnerável e palpável.
"A outra Violet parece divertida e até meio durona, mesmo tendo um gosto musical horroroso. Agora tudo o que vejo é uma garota morrendo de medo de viver. Vejo as pessoas darem um empurrãozinho de vez em quando, mas nunca forte o suficiente porque não querem contrariar a pobre Violet. Você precisa de um baita tranco, não de um empurrãozinho. Você precisa retomar as rédeas. Ou vai ficar em cima do parapeito que construiu para si mesma para sempre." 
Por Lugares Incríveis é uma história que realmente consegue entregar aquilo a que se propõe, porém consegue trazer tanto com isso que se torna ainda maior do que já é. Temos dois personagens, jovens, com quadros depressivos e que precisam de ajuda, pois estão tendo pensamentos suicidas. A autora tem uma sensibilidade em mostrar a realidade desses personagens porque podemos ver claramente que ela entende a importância do que ela está representando e, isso, mais a dedicação em cada detalhe, é visto em cada página deste livro.
 "Esse é meu segredo: a qualquer momento posso sair voando. Todos exceto eu – e agora Violet – andam em câmera lenta, como se estivessem envoltos em lama. Somos mais rápido que todo mundo."
Este livro tem personagens tão destruídos internamente e que tristemente, em certos momentos, podem ver o suicídio como solução, no entanto, a autora consegue nos trazer o que significa estar vivo e o quanto a vida é preciosa. A forma como é importante viver cada momento; por cada lugar que eles visitam, enxergamos que mesmo em meio a tantos sentimentos conflituosos, vemos dois personagens que podem se salvar, que podem ainda ver beleza na vida e que só precisam de ajuda para enxergarem isso novamente.
"Conheço a vida bem o suficiente pra saber que não podemos acreditar que as coisas vão ser sempre iguais, não importa o quanto a gente queira. Não podemos impedir que as pessoas morram. Não podemos impedi-las de ir embora. Não podemos impedir nós mesmos de ir embora. Me conheço bem o suficiente pra saber que ninguém consegue me manter acordado ou me impedir de dormir. Tenho que fazer isso sozinho."
Com uma história que se desenvolve tão bem, o leitor não sente o peso das páginas e poderá facilmente passar a noite toda lendo este livro – como eu fiz –, pois o impacto que sentimos a cada pedacinho da vida de Violet e Finch, nos impede de largá-lo e quando o leitor fechar este livro, vai precisar de algumas horas – talvez mais – para processar tudo o que ele acabou de ler.
"E se a vida pudesse ser assim? Só as partes felizes, nada das horríveis, nem mesmo as minimamente desagradáveis. E se a gente pudesse simplesmente cortar o ruim e ficar só com o bom? É isso que quero fazer com Violet – dar a ela só o bom, manter o ruim longe, para que o bom seja sempre tudo o que temos à nossa volta."
Por Lugares Incríveis é uma história honesta, brilhante, incrível e impactante. Talvez, a cada vez que o ler, o leitor veja algo novo e sempre leve algo a mais consigo. Violet e Finch representam muitos jovens que precisam de ajuda, pois é isto que este livro faz: pede ajuda! Talvez seja difícil dizer com palavras, mas em todos momentos temos um grande pedido de ajuda, pois ninguém quer se suicidar, mas precisa de ajuda para enxergar a beleza da vida de novo e se, como sociedade, continuarmos ignorando a depressão e o suicídio, nunca podemos mostrar para essas pessoas que elas merecem mais e que suas vidas têm valor.
"Você me faz te amar,
E essa deve ser a maior coisa que meu coração já foi digno de fazer..." 

ADQUIRA

7 comentários:

  1. Oi Gabi,
    Li esse livro há alguns anos e ele é um dos favoritos da minha vida.
    É pesado, é chocante, mas me ajudou muito a superar a perda do meu pai.
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabs
    Eu comprei esse livro tem anos e até queria muito ler, mas minha irmã leu antes e acabou me dando o maior spoiler da vida. Perdi a vontade na hora. É ruim ler algo já sabendo que a gente vai sofrer, apesar do livro ser lindo e honesto, eu não tenbho mais coragem haha
    Beijo!

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Gabi

    Não importa quantas resenhas positivas eu leia... está aí um livro que eu não vou ler. Eu acho o tema pesado e tenho certeza de que não me sentiria bem fazendo essa leitura. Pelo menos sempre tenho a sensação de que a autora realmente conseguiu abordar o assunto de maneira responsável, o que é importantíssimo.


    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, Gabi.
    Esse foi o primeiro livro que li sobre esse assunto e fiquei chocada com o final. Mas a autora abordou a história de uma forma que marca e que nos faz querer olhar para o lado e prestar mais atenção as pessoas a nossa volta.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oiii Gabi

    A proposta desse livro é mega intensa e eu fico contente em saber que ele conseguiu se tornar ainda mais do que se espera e nos contar uma história tocante, com esses protagonistas tão sofridos e sensiveis. É um livro que quero ler, mas estou esperando o momento certo pra fazer porque sei que não será uma leitura tão leve como outras que sempre costumo fazer.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Gabi!
    Eu ainda não li esse livro, mas por conta da temática que eu evito. Que bom que gostou da leitura!
    Com certeza eu vou querer assistir o filme!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Adorei seu esse seu artigo, realmente é um dos melhores blog que estou visitando. Suas postagens são excelente! Parabéns!

    Já até salvei em meus favoritos. ❤️ ..

    Meu Blog: Loterias Estaduais

    ResponderExcluir